América-MG 2 x 0 Santos

Data: 03/07/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 9ª rodada
Estádio: Estádio Independência, em Belo Horizonte, MG.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Denis da Silva Ribeiro Serafim (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Brigida Cirilo Ferreira (ambos de AL).
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Cartões amarelos: Zé Ricardo, Ribamar e Vagner Mancini (A); Pará, Lucas Braga, Luiz Felipe e Diniz (S).
Gols: João Paulo (09-2) e Carlos Alberto (48-2).

AMÉRICA-MG
Matheus Cavichioli; Eduardo, Anderson Jesus, Eduardo Bauermann e João Paulo; Zé Ricardo (Ramon), Juninho Valoura e Marcelo Toscano (Juninho); Felipe Azevedo (Alan Ruschel), Ribamar (Carlos Alberto) e Rodolfo (Geuvane).
Técnico: Vagner Mancini

SANTOS
João Paulo; Pará (Madson), Luiz Felipe (Ângelo), Kaiky e Felipe Jonatan (Sánchez); Camacho, Jean Mota e Gabriel Pirani (Moraes); Marinho, Marcos Guilherme e Lucas Braga.
Técnico: Fernando Diniz



Santos perde para o América-MG e desperdiça chance de encostar no G4 do Brasileirão

O Santos viu a sua sequência de quatro jogos de invencibilidade chegar ao fim na noite deste sábado. Pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, o Peixe perdeu por 2 a 0 para o América-MG, na Arena Independência, em Belo Horizonte. João Paulo e Carlos Alberto foram os autores dos tentos decisivos do embate.

Com o resultado, o Alvinegro Praiano estacionou nos 12 pontos, na sétima colocação, e desperdiçou a chance de encostar no G4. O time, aliás, ainda pode cair de posição conforme os resultado dos adversários. Já o Coelho subiu para o 14º lugar, com nove.

O jogo

Os visitantes iniciaram a primeira etapa pressionando os rivais. Com o relógio marcando apenas dois minutos, Felipe Jonatan apareceu livre dentro da área e finalizou, mas foi travado na hora certa e a bola passou por cima. Já aos 13, Marinho recebeu na meia-lua e arriscou. Atento, Cavichioli defendeu.

Na sequência, foi a vez de Marcos Guilherme testar o goleiro. O atacante foi acionado em velocidade pela esquerda e chutou firme para boa intervenção do atleta americano. Três minutos depois, o camisa 23 saiu cara a cara com o arqueiro, que fez grande defesa para evitar o tento. No lance seguinte, Cavichioli voltou a brilhar, dessa vez em arremate cruzado de Felipe Jonatan.

Do outro lado, o América respondeu aos 31 minutos. João Paulo desceu com liberdade pela esquerda e cruzou na cabeça de Ribamar, que tirou tinta da trave esquerda de João Paulo.

Na volta do intervalo, os donos da casa melhoraram. Aos nove minutos, João Paulo recebeu pela esquerda e tentou o cruzamento. A bola, no entanto, tomou o rumo do gol e surpreendeu o goleiro santista, que não conseguiu evitar o tento.

Em desvantagem, o Santos partiu para cima do Coelho. Aos 23, Camacho ficou de frente para a meta e emendou uma bomba, obrigando Cavichioli a fazer mais uma ótima intervenção. Dez minutos depois, Madson cruzou pela direita e encontrou Carlos Sánchez na segunda trave. De costas para o gol, o uruguaio tentou um voleio, mas mandou por cima.

Já aos 42, foi a vez de Moraes tentar. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou nos pés do estreante, que chutou a centímetros do poste. No lance seguinte, Marinho disparou pela esquerda, deu lindo corte no zagueiro e arrematou cruzado, porém viu Matheus Cavichioli brilhar mais uma vez.

E os tentos desperdiçados acabaram custando caro. Isso porque, já aos 48 minutos, Carlos Alberto disparou em rápido contra-ataque, tocou na saída de João Paulo e decretou o triunfo americano.

Diniz analisa derrota do Santos para o América-MG e critica arbitragem

A sequência de quatro jogos de invencibilidade do Santos chegou ao fim neste sábado com a derrota de 2 a 0 para o América-MG, na Arena Independência, em Belo Horizonte, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Na visão de Fernando Diniz, no entanto, o Peixe não merecia o resultado negativo.

O treinador destacou a postura do time, mas apontou a falta de pontaria e a má atuação da arbitragem como cruciais para o revés.

“Jogamos bem o primeiro e o segundo tempo. Tivemos chances para fazer o gol. Não conseguimos fazer o gol, mas continuamos bem. A gente criou chance do começo ao final. Tivemos quase o triplo de finalizações. Somado a isso, teve um pênalti extremamente claro por qualquer ângulo. Não é mais ou menos, é muito pênalti. Chega a ser ridículo o lance. Coisa horrorosa, o cara faz pênalti por cima, dando carga, ele pisa no tornozelo. A gente fica revoltado”, comentou em coletiva.

“No primeiro tempo, quando a América propôs uma marcação mais intermediária, com alguns momentos de tentar fazer pressão alta, tivemos o domínio completo do jogo. Tivemos pelo menos quatro chances claras de fazer o gol. No segundo o América fez ajuste para colocar o time um pouco mais pra trás. A gente continuou atacando e tomando um gol em um lance em que provavelmente o jogador tentou cruzar. A equipe jogou bem do começo ao final do jogo, assim como foi contra o Fluminense. O time perdeu muito por conta das nossas imprecisões nas finalizações e pelo erro claro da arbitragem, que também não teve critério nenhum”, completou.

O comandante, aliás, recebeu um cartão amarelo por reclamação no segundo tempo. Com isso, ele chegou a três advertências e, portanto, está suspenso do embate contra o Athletico-PR, na próxima terça-feira.

“O América fez cera do começo ao final. Depois, o punido é o clube e o técnico. Tomei o meu terceiro cartão amarelo. Essa que é a punição. Pra quem quer jogar tem punição. Pra quem não quer jogar fica tudo ok”, finalizou.

Com o resultado, o Alvinegro Praiano estacionou nos 12 pontos, na sétima colocação, e desperdiçou a chance de encostar no G4. O time, aliás, ainda pode cair de posição conforme os resultado dos adversários.

Diniz se diz “totalmente contra” a saída de Luan Peres do Santos

O técnico Fernando Diniz afirmou neste sábado que é absolutamente contra a saída de Luan Peres do Santos. O zagueiro está perto de ser anunciado como reforço do Olympique de Marselha, da França.

Após a derrota de 2 a 0 para o América-MG nesta noite, o comandante criticou a diretoria do Peixe pela venda de um jogador crucial para o elenco.

“Fui totalmente contra, absolutamente contra, o tempo todo contra e sou contra até agora. Temos time que no primeiro semestre lutou ate a última rodada pelo rebaixamento do Paulistão. Era uma coisa clara que a gente precisava se reforçar e não perder jogadores, ainda mais um jogador do tamanho que o Luan Peres tem no Santos hoje. Ele em carisma da torcida, joga bem todos os jogos, tinha uma sintonia fina comigo. Sou totalmente contrário”, disse em coletiva.

“Penso no clube a minha vida inteira, nunca fui um treinador que chego e quero fazer o clube para mim e fico pedindo um monte de contratação milionária. Quase sempre o contrário disso, mas no caso do Luan eu fui absolutamente contra”, acrescentou.

O defensor foi liberado do embate contra o Coelho e já se despediu do grupo. Ao todo, o jogador realizou 90 jogos com a camisa alvinegra.

Luan Peres tem contrato até fevereiro de 2025 e foi comprado por cerca de R$ 16 milhões junto ao Brugge, em parcelas.

De volta após nove jogos, Kaiky tem números consistentes contra o América-MG

Apesar da derrota de 2 a 0, o jogo contra o América-MG, neste sábado, trouxe um ponto positivo para o Santos. Trata-se de Kaiky, que voltou a ser utilizado por Fernando Diniz depois de nove partidas.

Com a liberação de Luan Peres, que está acertando a sua transferência para o Olympique de Marselha, da França, o defensor de apenas 17 anos teve mais uma chance de ser titular do Peixe e não decepcionou.

Além da precisão dos botes, o camisa 28 foi essencial na saída de bola, ajudando na construção das jogadas ofensivas. Segundo dados do Footstats, ele foi o atleta alvinegro que mais efetuou desarmes (3) e rebatidas (6) no embate diante dos mineiros. Além disso, acertou 76 dos 80 passes que tentou.

No lance do segundo gol do América-MG, no entanto, Kaiky falhou. Com o relógio já marcando 48 minutos do segundo tempo, o zagueiro desistiu de acompanhar Carlos Alberto, que disparou livre para a área em rápido contra-ataque e estufou as redes.

E apesar da boa atuação do defensor, Fernando Diniz destacou que é totalmente contra a saída de Luan Peres, titular da posição.

“Fui totalmente contra, absolutamente contra, o tempo todo contra e sou contra até agora. Temos time que no primeiro semestre lutou ate a última rodada pelo rebaixamento do Paulistão. Era uma coisa clara que a gente precisava se reforçar e não perder jogadores, ainda mais um jogador do tamanho que o Luan Peres tem no Santos hoje. Ele em carisma da torcida, joga bem todos os jogos, tinha uma sintonia fina comigo. Sou totalmente contrário”, disse em coletiva.

Kaiky iniciou a temporada como titular absolto do Peixe, mas perdeu espaço desde a chegada de Diniz. Com o novo comandante, ele soma apenas três compromissos, com uma vitória e duas derrotas.