Red Bull Bragantino 1 x 1 Santos

Data: 01/04/2021, sábado, 20h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 10ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon e Fabrini Bevilaqua Costa
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.
Cartões amarelos: Ricardo Ryller, Aderlan (B); Lucas Braga e Pará (S).
Gols: Claudinho (26-1) e Lucas Braga (01-2)

RED BULL BRAGANTINO
Cleiton; Aderlan, Fabrício Bruno, Léo Ortiz, Edimar; Ricardo Ryller (Ramires), Lucas Evangelista, Claudinho; Artur, Pedrinho (Cuello) e Ytalo.
Técnico: Maurício Barbieri

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres, Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota, Gabriel Pirani (Lucas Lourenço); Marinho, Lucas Braga e Marcos Leonardo (Allanzinho).
Técnico: Marcelo Fernandes (interino)



Santos busca o empate contra o RB Bragantino, mas segue em situação delicada no Paulista

Neste sábado, o Santos saiu atrás do placar, mas buscou o empate por 1 a 1 com o Red Bull Bragantino, no Nabi Abi Chedid, pela décima rodada do Campeonato Paulista. Os mandantes abriram o placar com Claudinho, enquanto o Peixe deixou tudo igual com Lucas Braga.

Apesar de ter enfrentado uma equipe qualificada, o empate ainda deixa o Santos em uma situação delicada no Paulistão. O time tem um ponto a menos do que o Guarani, segundo colocado do grupo D, que ainda joga nesta rodada. Além disso, tem quatro pontos a mais do que o vice-lanterna São Bento, que também tem uma partida a menos.

O primeiro tempo foi dominado pelo RB Bragantino. Os mandantes marcaram alto e recuperaram diversas bolas no campo de ataque, inclusive na origem do gol que abriu o placar. Logo no primeiro minuto da etapa final, o Santos deixou tudo igual, com um bonito chute de Lucas Braga. O Peixe até chegou a balançar novamente as redes, mas o gol de Jean Mota foi anulado.

Com o resultado, o Santos foi a dez pontos, na terceira posição de sua chave.

O jogo

O jogo começou bastante intenso em Bragança Paulista, com as duas equipes tentando chegar ao ataque. A primeira oportunidade real foi do RB Bragantino, com Ytalo finalizando em cima de João Paulo e, no rebote, Pedrinho chutando fraco para o goleiro pegar novamente.

Depois de um período mais morno da partida, o Massa Bruta conseguiu abrir o placar aos 26 minutos. Pará saiu jogando errado, Pedrinho recuperou e passou para Claudinho. O camisa 10 arriscou de fora da área e contou com um desvio para marcar o gol.

Após sofrer o gol, o Peixe até tentou se lançar ao ataque, porém sem grande sucesso. Pará recebeu cruzamento na segunda trave e testou por cima do travessão. O RB Bragantino respondeu com Pedrinho, invadindo a área e parando em defesa de João Paulo.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, o Peixe deixou tudo igual. Marinho recebeu pela direita e enxergou Lucas Braga livre pela esquerda, fazendo a inversão. O atacante dominou e finalizou forte, de esquerda, para fazer um belo gol. Bem melhor depois do intervalo, o Alvinegro seguiu pressionando no ataque.

Aos 16 minutos, o Santos chegou a balançar as redes pela segunda vez, com um lindo chute de Jean Mota de fora da área. No entanto, o VAR anulou o gol por Marinho ter recebido em condição irregular no início do lance. O próprio Jean Mota voltou a levar perigo, em cobrança de falta defendida por Cleiton.

Marcelo Fernandes valoriza o empate do Santos e diz: “Aqui não tem ninguém de corpo mole”

Neste sábado, o Santos ficou no empate por 1 a 1 com o Red Bull Bragantino, permanecendo fora da zona de classificação para as quartas de final do Campeonato Paulista. Apesar disso, o interino Marcelo Fernandes valorizou o resultado conquistado em Bragança Paulista.

Na entrevista coletiva depois do jogo, o auxiliar fixo exaltou a postura dos jogadores do Peixe e lamentou a anulação do que seria o gol da virada da equipe na segunda etapa.

“Valorizar não só o ponto conquistado, porque jogamos contra uma equipe dificílima, que é de Série A e de Sul-Americana, e o Santos mostrou a que veio aqui em Bragança. Tentamos fazer o resultado, chegamos à virada com um segundo gol, que não é conclusivo o impedimento. Eu já vi o lance, realmente é complicado, até pela nossa situação, mas só tenho a dignificar os nossos jogadores. Fomos para o intervalo e voltamos com uma atitude completamente diferente, mesmo tomando um gol no primeiro tempo, a equipe se mostrou muito coesa, digna do Santos Futebol Clube. Estou muito feliz”, afirmou.

Perguntado sobre a perspectiva da chegada de um novo técnico, Marcelo Fernandes deixou claro que não quer ficar pensando sobre o assunto e mandou um recado sobre a postura dos jogadores em campo.

“Eu sou funcionário do clube, sou o auxiliar fixo da casa. Não é a primeira vez que isso acontece comigo, e, graças a Deus, a gente tem um domínio no grupo em todas as vezes que aconteceram. Haja visto o jogo de hoje, com o que esses jogadores fizeram. Não só por mim, mas pelo Santos, que é o mais importante. O importante é frisar que aqui não tem ninguém de corpo mole, é realmente uma má fase, que com certeza vai passar, hoje os jogadores deram um importante passo para isso”, disse Marcelo Fernandes.

“Quanto à chegada de um treinador e minha permanência, não fui comunicado e não quero nem pensar nisso. Meu pensamento é de trabalhar todos os dias, já que temos pouco tempo para treinar”, finalizou.

Lucas Braga destaca “poder de reação” do Santos e lamenta gol anulado

O Santos saiu atrás do placar, mas buscou o empate com o Red Bull Bragantino neste sábado. O Peixe fez um primeiro tempo muito ruim, porém voltou melhor do intervalo e mostrou poder de recuperação, deixando tudo igual com um belo gol de Lucas Braga.

O atacante destacou a postura da equipe na etapa final e comentou sobre o gol anulado do Santos, que seria o da virada. Na origem da jogada, Marinho recebeu em posição irregular, de acordo com o VAR.

“É importante, porque a gente vinha de uma sequência muito ruim, em que não marcávamos gols, ainda que não seja o resultado que a gente queria. A gente buscou a vitória até o final, inclusive teve um lance ali que acho que não estava impedido. Mas vale o poder de reação que a gente teve”, afirmou Lucas Braga ao Premiere.

“Não fizemos um bom primeiro tempo, mas conseguimos construir boas jogadas no segundo. É crescer nos próximos jogos”, completou.