O Santos confirmou neste sábado a venda de Yeferson Soteldo ao Toronto FC, do Canadá. A negociação faz com que o Peixe seja liberado do transfer ban imposto pela Fifa. A punição era justamente por conta da dívida do clube com o Huachipato pela compra do venezuelano.

O Alvinegro repassou sua parcela da venda ao Huachipato. Para quitar o valor final, os brasileiros ainda irão pagar 500 mil dólares (cerca de R$ 2,7 milhões na cotação atual), divididos em parcelas a partir de junho.

O acordo ainda prevê que o Santos receba 12,5% de uma venda futura de Soteldo, caso o meia-atacante seja transferido para fora da MLS (Liga Norte-americana).

De acordo com o presidente Andres Rueda, a venda foi importante para o Peixe ser liberado da punição que impedia a chegada de novos reforços.

“Foi uma proposta que o Huachipato também aceitou e, principalmente, que o atleta queria. Não podíamos segurar o Soteldo, diante desse cenário. Na verdade, o Santos comprou, mas nunca pagou”, explicou o mandatário.

“Com este Transfer Ban resolvido, abrimos uma janela para podermos considerar a contratações pontuais, dentro da responsabilidade financeira que assumimos no Clube, de atletas para encorpar o elenco, dada a participação em muitas competições de forma simultânea”, completou.

Soteldo chegou ao Santos no início de 2019 e teve um total de 104 partidas, com 20 gols. Em sua mensagem de despedida ao jogador, Rueda agradeceu pelos serviços e desejou sucesso na nova etapa da carreira.

“Temos de agradecer ao Soteldo por esse período no Santos, que tanto nos trouxe alegrias e por sua combatividade em campo. Certamente gostaríamos que ficasse mais e fizesse história com a nossa camisa. Desejamos sorte em seu novo clube”, concluiu o presidente.



Soteldo publica carta e se despede do Santos ( Em 27/04/2021 )

Nesta terça-feira, o venezuelano Yeferson Soteldo utilizou as redes sociais para publicar um vídeo se despedindo do Santos. No post, aparecem algumas imagens da passagem do atacante pelo clube, enquanto lê uma carta e mostra a tatuagem que fez em homenagem ao alvinegro praiano.

O camisa 10 segue rumo ao Toronto, do Canadá. Entre outras razões, o que o motivou foi a questão financeira do Peixe, que estava impedido de contratar por não ter conseguido pagar seu passe. Entretanto, o carinho do atleta com o clube e a torcida é enorme, e foi eternizado em sua pele.

Ao todo, Soteldo disputou 104 jogos com a camisa do Santos, tendo marcado 20 gols. Ao lado de Marinho, era considerado o principal jogador do atual elenco e um dos grandes responsáveis pela grande campanha na Libertadores de 2020, da qual o time da Vila foi vice-campeão.

Confira a carta de despedida de Soteldo:

“Foram dois anos e meio. Mais precisamente 830 dias desde que a camisa do Santos passou a ser minha segunda pele. Como já sabem, hoje faz parte da minha primeira. Antes de chegar e assinar meu contrato, sabia exatamente do que o clube precisava. Não é tão difícil assim, não é mesmo? Quem conhece o time de Neymar, Pelé e tantos outros que fizeram história? Quem não sabe que esse é o maior time brasileiro do mundo? Para mim foi uma honra e um desafio.

Cheguei e fui apresentado com a 10. Por Deus, a 10 do Rei. Ninguém acreditava que fosse dar certo. Você lembra? Falavam da minha altura, do meu país, de tudo. Só não falavam que eu tinha confiança total em mim mesmo. Hoje saio com a certeza de que deixei tudo nas 104 vezes que vesti essa camisa como se fosse minha pele.

Mas você sabe melhor do que ninguém que nesse tempo não foi só de alegrias. O clube não vive seu melhor momento. Mas eu sei que é só uma fase, e logo virão as vitórias e títulos que você merece. E quando isso acontece, eu estarei entre vocês. Orgulhoso de toda a dedicação que tive com o Santos. E no meu novo papel de torcedor. O que está na pele é para sempre.

Uma vez ouvi uma frase mais ou menos assim: Quando você luta para se agarrar a alguém, essa pessoa se vai. Quando você decide deixar ela partir, ela fica. Deixo o Santos, mas sei que ele nunca me deixará. Ele estará gravado sempre na minha carreira, na minha vida e na minha pele”.