Ariel Holan não é mais o técnico do Santos. Após mais uma derrota pelo Campeonato Paulista, o argentino pediu para ser desligado do Peixe, em um diálogo transparente com a diretoria. Andres Rueda, presidente do clube, detalhou o processo em entrevista nesta segunda.

“Ontem, conversando com o treinador após o jogo, de uma maneira muito transparente, ele nos solicitou que o jogo contra o Boca fosse o último à frente do time”, afirmou o presidente, que completou: “Agora de manhã, estamos vendo se ele realmente será o nosso técnico contra o Boca. Eu lembro que nós temos uma comissão permanente no clube”.

Rueda deixou claro que não tinha o objetivo de perder o técnico neste momento, mas revelou que a situação já estava bastante desgastada.

“Ponderamos, não era o que eu queria. O pessoal confunde projeto de três anos com contrato de três anos com o treinador. Existe uma quebra de contrato de qualquer parte. Ponderamos e de comum acordo aceitamos essa situação. Tentei reverter, não teve jeito. Houve até caso de fogos no apartamento dele. Soltaram rojão. Isso o deixou de uma maneira pouco confortável. Agora de manhã estamos vendo se realmente vai ser nosso técnico com o Boca ou se não vai ser nosso técnico com o Boca. Neste sentido, o clube tem uma coisa boa, uma comissão permanente”, disse o mandatário.

Por fim, Rueda garantiu que o Santos buscará trazer um treinador que tenha um perfil semelhante ao de Holan, sem que haja uma ruptura de projetos esportivos.

“O perfil não muda. Queremos um treinador que goste de jogar com a base, que jogue para a frente, que agregue tecnologia. Vamos fazer o possível para trazer o treinador mais rapidamente. A nossa comissão permanente existe para isso: suprir essas lacunas entre um técnico e outro”, pontuou Rueda.

“Eu lembro que quando escolhemos o Ariel para ser o treinador, a aceitação da torcida foi de praticamente 100%. A torcida entendeu, gostou da contratação. Era um nome bem cotado. De novo, ele tem um perfil que se encaixa no Santos. Simplesmente, as coisas não aconteceram como planejado”, finalizou.

Holan deixa o Santos após 12 partidas no comando da equipe, com quatro vitórias, três empates e cinco derrotas.