Ponte Preta 3 x 0 Santos

Data: 16/04/2021, sexta-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 5ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Rafael Tadeu de Souza.
VAR: José Claudio Rocha Filho
Cartões amarelos: Yuri (PP); Balieiro, Kevin Malthus, Marcos Leonardo (S).
Gols: João Veras (08-1), João Veras (32-1) e Moisés (33-1).

PONTE PRETA
Ygor Vinhas; Apodi, Luizão, Ruan Renato e Yuri; Barreto e Dawhan (Léo Naldi); Niltinho (Pedrinho), Camilo (Renan Mota) e Moisés; João Veras (Paulo Sérgio).
Técnico: Fábio Moreno

SANTOS
John; Balieiro (Pará), Kaiky, Luan Peres e Copete; Kevin Malthus, Ivonei (Lucas Lourenço) e Gabriel Pirani (Jean Mota); Ângelo (Marinho), Lucas Braga e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Ariel Holan



Santos joga mal e é atropelado pela Ponte Preta em Campinas

Nesta sexta-feira, o Santos visitou a Ponte Preta e teve atuação ruim, sendo derrotado por 3 a 0, no Moisés Lucarelli, em partida válida pela quinta rodada do Campeonato Paulista. Os gols da Macaca, marcados por João Veras, duas vezes, e Moisés, saíram ainda na etapa inicial.

O Santos não viu a cor da bola no primeiro tempo. Perdido nos encaixes e deixando muitos espaços nas costas da zaga, o time de Holan sofreu muito no contra-ataque e viu a Ponte Preta marcar três gols. Na segunda etapa, o Peixe teve o domínio na posse, mas levou perigo apenas em duas cobranças de falta.

Com a derrota, o Santos estacionou nos seis pontos, na segunda colocação do grupo D. O próximo jogo da equipe é contra a Inter de Limeira, na domingo, às 20h, na Vila Belmiro.

O jogo

A Ponte Preta tomou a iniciativa e teve a primeira chegada com perigo. Apodi foi acionado pela direita e tocou para João Veras, que chutou travado. A bola passou rente à trave. Aos oito minutos, a Macaca abriu o placar. Moisés avançou com velocidade pela esquerda e cruzou rasteiro. John rebateu mal a bola para dentro da área, e João Veras mostrou oportunismo para marcar.

O Santos teve a posse de bola em sequência, mas encontrou dificuldade para criar. A Ponte Preta voltou a assustar, com Niltinho. Ele recebeu belo lançamento de Camilo, saiu na cara de John e parou em boa defesa do goleiro do Peixe. Aos 32 minutos, Camilo foi acionado pela esquerda e tocou para o meio da área. A zaga do Peixe não conseguiu cortar, e João Veras fez o seu segundo gol no jogo.

Um minuto depois, a Macaca chegou ao terceiro. Niltinho foi preciso e lançou Moisés em profundidade, e o atacante não desperdiçou, finalizando na saída de John. O Santos foi para o intervalo sem chutar uma vez com perigo ao gol defendido por Ygor.

Holan promoveu três mexidas no intervalo, colocando Pará, Lucas Lourenço e Marinho na equipe. Na primeira chance do time, Lucas Lourenço bateu falta pela esquerda e exigiu defesa de Ygor. Mesmo tendo o domínio da bola, o Santos teve uma posse estéril, com muita dificuldade para invadir a área e levar perigo.

Em nova cobrança de falta, desta vez pela direita, Marinho bateu forte, e o goleiro da Macaca teve que saltar para espalmar. A Ponte Preta chegou em duas escapadas: Paulo Sérgio finalizou de fora da área à esquerda do gol, e Barreto tentou de cavadinha e parou em John. O último lance de perigo do Santos veio em um cabeceio de Luan Peres, em um jogo de futebol pobre do time de Holan.

Holan aponta erros do Santos para conter contra-ataques e explica ausência de Soteldo

Nesta sexta-feira, o Santos fez uma partida ruim no Moisés Lucarelli e foi derrotado por 3 a 0 pela Ponte Preta, sofrendo três gols ainda no primeiro tempo. O Peixe esteve perdido nos encaixes defensivos e cedeu muitos espaços para a equipe campineira em contra-ataques.

Após o apito final, Holan analisou o desempenho do time e apontou os erros do Santos nos 45 minutos iniciais. Na visão do técnico, os deslizes não foram apenas defensivos.

“A administração da bola no campo rival teve erros no primeiro tempo. Esses erros possibilitaram os contra-ataques e, quando aconteceram, não estivemos próximos para deter o jogo no início do contra-ataque. Uma vez que a bola caía nas costas, era difícil de defender. Creio que cometemos erros na posse e na contenção dos contra-golpes”, afirmou Holan.

“Penso que não conseguimos defender bem os contra-golpes no primeiro tempo, e o jogo praticamente terminou ali”, completou.

Holan também explicou a ausência de Soteldo, que não foi relacionado para a partida desta sexta. O argentino não esconde a preocupação com o condicionamento físico da equipe.

“Soteldo teve dificuldade para se recuperar do jogo de terça, fez um esforço muito grande na preparação deste momento. No domingo, seguramente irá jogar alguns minutos, mas temos que pensar em como podemos nos equilibrar para que possamos jogar na terça-feira, pela Libertadores. Temos que pensar e ver como podemos corrigir os erros de hoje. Temos que preparar um time que jogue com mais solidez do que hoje”, finalizou Holan.

Com elenco curto, Holan busca encontrar equilíbrio para o Santos ter “coesão”

Na sexta-feira, o Santos teve uma noite infeliz em Campinas e foi derrotado por 3 a 0 pela Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. Pensando na estreia do Peixe na Libertadores, que acontece na terça-feira da semana que vem, Ariel Holan escalou uma equipe mista, preservando alguns titulares.

Na coletiva após a partida, o técnico argentino não escondeu que está preocupado com o condicionamento físico de seus jogadores. Holan destacou que o grupo do Peixe não é repleto de opções, sendo necessário encontrar o equilíbrio entre as competições que disputa.

“Temos um elenco curto, todos os jogadores têm que jogar. Estamos jogando a Libertadores e o Paulista, já jogamos quatro jogos de Libertadores e temos que ver como podemos equilibrar o time para podermos fazer partidas competitivas, da mesma forma como fizemos na Libertadores”, afirmou Holan.

“Não é simples, temos que fazer alterações para que tenhamos uma equipe com coesão. Temos que encontrar um jeito de conseguir isso, ainda que seja muito difícil”, completou.

Holan explicou por que substituiu Ivonei, no intervalo, e Kaio Jorge, no segundo tempo. A dupla voltou recentemente do departamento médico.

“Ivonei está voltando de uma lesão e lhe falta ritmo de jogo. A mesma coisa com o Kaio Jorge, que é muito importante. Os jogadores não podem correr riscos de lesão, porque temos um elenco muito pequeno e todos são importantes. O difícil é resolver se joga a base que vem jogando a Libertadores e quantas partidas aguenta jogar tantas vezes”, finalizou.

Lucas Braga diz que Santos não foi efetivo e destaca posse de bola pouco produtiva

O Santos jogou mal e foi derrotado por 3 a 0 pela Ponte Preta neste sábado. O Peixe esteve perdido em campo na primeira etapa, sofrendo os três gols nos 45 minutos iniciais. Na opinião de Lucas Braga, o time comandado por Ariel Holan não soube transformar a posse de bola em chances reais para balançar as redes.

“Nós não fomos efetivos, deixamos eles abrirem uma larga vantagem no primeiro tempo. Depois, para correr atrás foi difícil, a gente teve a posse de bola, mas finalizou muito menos do que eles”, afirmou Lucas Braga ao Premiere.

“Acho que faltou um pouco na finalização, de chegar no último terço e definir. Eles fizeram isso muito bem no primeiro tempo e saíram com a vitória”, completou.