De 15/novembro/1977 a 24/novembro/1977



Essa foi a terceira excursão do Santos na temporada de 1977. Os artistas da companhia não são mais os mesmos, as cotas oferecidas também não são mais polpudas como anos atrás, mas o prestígio (embora abalado) consegue sobreviver. Foi acertado com o empresário argentino Samuel Ratinoff que o clube receberia Cr$ 150 mil por partida, livre de despesas.

O presidente Modesto Roma não sabe precisar em quantas viagens ele acompanhou o Santos e muito menos quantas o clube fez, mas não esconde o orgulho de ser presidente do único clube brasileiro que mantém seu mercado no Exterior, apesar dos pesares.

O meia De Rosis (ex-Portuguesa Santista), recém contratado, é uma das novidades. Clodoaldo, que retorna aos gramados após 6 meses afastado devido a uma cirurgia no joelho, é outro.

O técnico provisório, Ramos Delgado, queria utilizar a excursão para testar o juvenil Pita, habilidoso meia que fez um ótimo campeonato juvenil e que poderia ser testado longe da cobrança e da pressão da Vila Belmiro.

E sua aposta foi acertada, pois o garoto Pita foi considerado a grande revelação desta viagem. O lateral Fernando também surpreendeu a todos ao ser deslocado para quarta zaga.

Mas nem tudo foram flores, a excursão também teve seus desencontros. Cinco jogadores voltaram contundidos (Toinzinho, Marçal Alfredo, Neto e De Rosis), o clube recebeu apenas metade do valor da cota que havia sido combinada e teve até um terremoto no roteiro.

Além disso o clube teve o roteiro original alterado, pois não podia desrespeitar o intervalo legal mínimo de 72 horas entre as partidas determinado por uma Portaria da CBD, uma vez que poderia ser punido em até um ano de suspensão. Ainda assim, o Vice-presidente de Esportes, Milton Teixeira, decidiu desrespeitar a Portaria, afirmando que duvidava que a CBD puniria o clube.

O roteiro inicial, muito mal elaborado pelo empresário Samuel Ratinoff, previa jogos contra o Talleres (16/11), em Córdoba, Atlético Tucumán (19/11), em Tucumán e, por fim, o Newell’s Old Boys (22/11), em Rosário.

Esta Portaria foi criada pela CBD durante os anos 60, quando o Santos estava no auge, para evitar que o clube jogasse dia sim, dia não, em suas viagens pelo Exterior. Por esse descuido o amistoso com o Newell’s Old Boys foi cancelado e Ratinoff arranjou outro amistoso em Salta, para diminuir o seu prejuízo.



Delegação: 19 jogadores e 10 acompanhantes

Goleiros – Ricardo e Ernani
Laterais – Nelsinho Baptista e Gilberto Sorriso
Zagueiros – Alfredo Mostarda, Fernando, Neto e Marçal
Meio-campistas – Aílton Lira, Carlos Roberto, Clodoaldo, De Rosis, Pita e Toinzinho
Atacantes – Nilton Batata, João Paulo, Juary, Evilásio e Rubens Feijão

Campanha:

J
V
E
D
GP
GC
SG
A
03
02
0
01
12
07
05
66,7%



Resultados:

16/11/1977 – Santos 1 x 2 Talleres-ARG – Amistoso – La Boutique, Córdoba
20/11/1977 – Santos 6 x 3 Comb. Juventud Antoniana/ Gimnasia Ibura-ARG – Amistoso – Salta
22/11/1977 – Santos 5 x 2 Atlético Tucumán-ARG – Amistoso – Tucumán

Artilheiros: 12 gols

04 gols – Juary
03 gols – Aílton Lira e João Paulo
01 gol – Clodoaldo e Gilberto Sorriso



Fontes:
– Almanaque do Santos FC – Guilherme Nascimento
– Jornal Folha de SP
– Estadão