San Lorenzo 1 x 3 Santos

Data: 06/04/2021, terça-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – 3ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio El Nuevo Gasometro, em Buenos Aires, Argentina.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL).
Auxiliares: Miguel Roldán e Sabastián Vela (ambos da COL).
Cartões amarelos: Diego Rodríguez (SL).
Gols: Lucas Braga (06-1), Ángel Romero (26-2) e Marinho (45-1, de pênalti); Ângelo (49-2).

SAN LORENZO (ARG)
Devecchi; Andrés Herrera, Alejandro Donatti, Braghieri, Bruno Pittón; Palacios (Óscar Romero), Diego Rodríguez (Elías), Juan Ramírez; Angel Romero, Di Santo e Franco Troyansky (Nicolás Fernández).
Técnico: Diego Dabove

SANTOS
João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro e Pirani (Soteldo); Marinho (Ângelo), Lucas Braga e Marcos Leonardo (Bruno Marques).
Técnico: Ariel Holan



Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores

Nesta terça-feira, o Santos jogou bem e venceu o San Lorenzo por 3 a 1, no Estádio El Nuevo Gasometro, na partida de ida da terceira fase da Libertadores. O Peixe marcou dois gols na primeira etapa, com Lucas Braga e Marinho, de pênalti. No segundo tempo, os mandantes diminuiu com Ángel Romero, ex-Corinthians. Na reta final, Ângelo fez o terceiro para os brasileiros.

O time comandado por Ariel Holan teve um excelente início na Argentina, avançando o bloco de marcação e conseguindo abrir o placar logo aos seis minutos. Sendo consistente na defesa, o Santos não passou sufoco na defesa e ainda conseguiu ampliar com Marinho batendo pênalti.

Na etapa final o Santos teve uma queda de rendimento e perdeu o controle do jogo. Além de diminuir a produção ofensiva, os comandados de Holan viram Romero diminuir o placar. Apesar disso, o time mostrou concentração nos minutos finais e segurou o triunfo na Argentina, marcando o terceiro com Ângelo no fim.

As duas equipes voltam a se enfrentar na terça-feira da semana que vem, às 21h30, no Mané Garrincha. O Peixe avança para a fase de grupos com uma vitória, um empate ou uma derrota por um gol de diferença.

O jogo:

Elétrico, o Santos tomou conta das ações ofensivas dos primeiros minutos. Em duas oportunidades, o time recuperou a bola e encontrou Marcos Leonardo, que não conseguiu finalizar as jogadas. Já aos seis minutos, Luan Peres roubou a bola no meio-campo e soltou para Lucas Braga pela esquerda. O jogador balançou para cima da marcação, trouxe para dentro e acertou um belo chute para abrir o placar.

Após marcar o gol, o Peixe diminuiu o ímpeto ofensivo, mas conseguiu segurar a vantagem. A primeira chegada do San Lorenzo veio apenas aos 32 minutos, com Pittón pegando sobra dentro da área e finalizando para fora. Na sequência, Troyansky recebeu cruzamento da direita e testou muito próximo da trave.

Aos 44 minutos, Pirani recebeu na intermediária e fez belo lançamento para Marcos Leonardo. O atacante foi derrubado pelo goleiro do San Lorenzo, e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Marinho mandou no canto alto direito e ampliou o placar.

No retorno do vestiário, foi o Santos que teve a primeira oportunidade no ataque. Pará avançou pela direita e cruzou na medida para Lucas Braga, que cabeceou e exigiu defesa de Devecchi. Em seguida, o San Lorenzo respondeu com Pittón de cabeça, parando e João Paulo, e Ramírez finalizando de fora da área à esquerda.

Aos 26 minutos, o time argentino conseguiu diminuir o placar. Fernández avançou pela direita, cruzou e encontrou Ángel Romero na área, após Pará não conseguir cortar a bola. O ex-jogador do Corinthians dominou e finalizou no canto para marcar.

Além de segurar a vitória, o Santos marcou o seu terceiro gol. Primeiro, Soteldo arriscou de fora da área e Devecchi espalmou para o lado. No rebote, Ângelo cortou para dentro, chutou e viu o goleiro do San Lorenzo deixar a bola escapar, passando rente à trave. No último lance, o garoto de 16 anos aproveitou nova rebatida de Devecchi e apenas empurrou para as redes, sacramentando a vitória.

Bastidores – Santos TV:

Holan diz que Santos fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada

O Santos deu um grande passou em busca da classificação para a fase de grupos da Libertadores ao vencer o San Lorenzo por 3 a 1, na Argentina. Após o apito final, Ariel Holan analisou o desempenho da equipe e disse que o Peixe fez os melhores 45 minutos desde a sua chegada. No primeiro tempo, o Peixe abriu dois gols de vantagem, com tentos de Lucas Braga e Marinho, de pênalti.

“Eu acho que a equipe fez uma boa partida, mas o San Lorenzo é um bom time. Tem excelentes jogadores e, como mandante, é um time muito complicado. Eu valorizo muito a vitória, mas ainda temos um jogo, espero que possamos repetir em Brasília o bom jogo que fizemos hoje”, afirmou Holan.

“Sim (foram os melhores 45 minutos), mas recém começamos. Creio que, pelo tamanho do San Lorenzo, foram os nossos melhores momentos desde que assumi o time”, completou.

Holan também comentou sobre a confusão no gol marcado pelo San Lorenzo, visto que a defesa do Santos mostrou uma desorganização pontual no lance.

“Foi uma jogada estranha, porque o Felipe Jonatan sentiu uma dor na perna, e pensamos que ele havia falado para fazer a substituição. Neste momento, o árbitro reiniciou rápido e estávamos mal posicionados. Foi uma pena, porque até aquele momento o time estava jogando muito bem. Creio que, com muito amor próprio, o San Lorenzo conseguiu avançar, mas também conseguimos contra-golpear. Por sorte, fizemos diferença desta forma”, analisou o treinador.

No fim da coletiva, Holan pediu a palavra e mandou um recado especial para Sandry, que teve o rompimento do ligamento cruzado do joelho direito constatado nos últimos dias e permanecerá, no mínimo, seis meses longe dos gramados.

“Só queria mandar um abraço ao Sandry. Infelizmente, é muito jovem e teve esta infelicidade da lesão no ligamento cruzado, mando a ele um forte abraço”, finalizou.

Após treinos em Atibaia, Holan vê Santos em evolução e no caminho certo

Jogando um futebol convincente durante considerável parte da partida, o Santos derrotou o San Lorenzo por 3 a 1 e deu um importante passo rumo à fase de grupos da Libertadores. O bom desempenho do time em campo coincide com a primeira apresentação da equipe após um longo período de treinos.

Sem poder treinar na cidade de Santos, o Peixe foi para Atibaia e realizou sua preparação para o duelo da Libertadores no Hotel Bourbon. Durante quase duas semanas, Ariel Holan pôde implementar detalhes do seu modelo de jogo com mais paciência, a partir de muitas repetições nas atividades.

Após o jogo na Argentina, o técnico do Santos avaliou positivamente a atuação da equipe no Estádio El Nuevo Gasometro, elogiando a postura dos jogadores em campo.

“Valorizo muito que o time quis permanentemente jogar, mesmo com a pressão do San Lorenzo. Para mim, isso é muito importante, porque temos que seguir jogando desta maneira, melhorando jogo após jogo”, afirmou o técnico.

Antes da sequência em Atibaia, Holan não havia tido uma semana livre para treinar o Santos. Até o momento, o técnico esteve a beira do campo em cinco partidas da equipe, com três vitórias, um empate e uma derrota.

Lucas Braga corresponde, e Holan ganha boa dor de cabeça no Santos

Marcando três gols no San Lorenzo fora de casa, o Santos deu um importante passo em busca da vaga na fase de grupos da Libertadores. Jogando pela esquerda, Lucas Braga foi a aposta de Ariel Holan para o ataque e não decepcionou, marcando o primeiro gol do Peixe na partida.

Com um Santos postado para recuperar a bola e acelerar, Lucas Braga foi uma importante válvula de escape pelo lado do campo. Correspondendo no jogo decisivo, o atacante plantou uma boa dor de cabeça no treinador argentino.

Isso porque Holan tem diversas opções para montar o setor ofensivo do time para a sequência da temporada. O único titular absoluto é Marinho, que voltou de lesão no joelho esquerdo e atuou contra o San Lorenzo pela primeira vez em mais de dois meses.

Soteldo, que é uma importante peça da equipe, não foi escalado por ter ficado de fora das semanas de treino em Atibaia, devido ao problema logístico na Venezuela. Uma alternativa seria escalar o venezuelano por dentro, como um meia, função essa que já foi exercida pelo camisa 10 anteriormente.

Outro nome que pede cada vez mais espaço é Ângelo. O atacante de 16 anos, que se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores, pode encontrar dificuldade no início por jogar prioritariamente pela direita, setor ocupado por Marinho.

Caso queira tornar o time mais móvel, Holan pode escalar o Peixe sem uma referência no ataque, como Kaio Jorge e Marcos Leonardo. Nesse cenário, Marinho, Soteldo, Lucas Braga e Ângelo disputariam as três vagas da frente.

Lucas Braga acredita que os dias de treino facilitaram a implantação do modelo de Holan

Autor do primeiro gol da vitória do Santos, Lucas Braga concedeu entrevista coletiva após a vitória sobre o San Lorenzo. O jogador avaliou positivamente as semanas de treino do Peixe em Atibaia, dizendo que foram importantes para que Ariel Holan implementasse de maneira mais efetiva as duas ideias.

“Como a gente teve um tempo bacana para trabalhar, isso nos ajudou bastante a colocar em prática. Claro que ainda falta um pouco de ritmo de jogo para todos nós, mas isso vem naturalmente”, afirmou o atacante.

Lucas Braga ainda comentou sobre os méritos do Santos na importante vitória sobre o San Lorenzo na Argentina.

“A gente colocou em prática aquilo que o professor nos pediu: a calma para jogar e a posse de bola, os gols saíram naturalmente. Quando a gente manteve a postura em campo, facilitou para nós”, disse o jogador.

Ângelo se torna o jogador mais jovem a marcar um gol na história da Libertadores

Nesta terça-feira, Ângelo quebrou um recorde ao balançar as redes na vitória sobre o San Lorenzo: o atacante se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol pela Libertadores, com 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

Ângelo saiu do banco de reservas já na reta final da partida, substituindo Marinho. Na primeira tentativa, parou em defesa do goleiro do San Lorenzo. No entanto, já nos acréscimos, aproveitou o rebote de Devecchi e marcou o gol histórico.

Ângelo fez o seu primeiro jogo como profissional do Santos quando tinha apenas 15 anos, no Brasileirão do ano passado, contra o Fluminense. Desde então, o jogador disputou 15 partidas, marcando o seu primeiro gol pelo time principal nesta terça.

Ariel Holan parabeniza Ângelo por feito histórico: “Muito orgulho”

A vitória do Santos por 3 a 1 sobre o San Lorenzo, na Argentina, pelo jogo de ida da terceira fase da Libertadores, ficou marcada, principalmente, pelo feito histórico do atacante Ângelo. O garoto se tornou o jogador mais jovem a marcar no torneio, com apenas 16 anos, três meses e 16 dias de idade.

E o acontecimento rendeu elogios do técnico Ariel Holan. Em suas redes sociais, o comandante argentino parabenizou o atleta e afirmou estar muito orgulhoso.

“Parabéns Ângelo, jogador mais jovem a marcar na Libertadores. Muito orgulho!!!”, comentou o treinador.

Ângelo, por sua vez, agradeceu o treinador: “Obrigado professor, vamos por mais!!!”.