São Paulo 4 x 0 Santos

Data: 06/03/2021, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo D – 3ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Arbitragem: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa e Alex Ang Ribeiro.
VAR: José Cláudio Rocha Filho
Cartões amarelos: Pablo (SP).
Gols: Gabriel Sara (04-2), Luan Peres (27-2, contra), Pablo (30-2) e Tchê Tchê (41-2).

SÃO PAULO
Tiago Volpi; Arboleda (Rojas), Bruno Alves e Léo; Igor Vinícius, Rodrigo Nestor (Luan), Daniel Alves, Gabriel Sara (Bruno Rodrigues) e Reinaldo; Luciano (Tchê Tchê) e Pablo (Toró).
Técnico: Hernán Crespo

SANTOS
John; Sandro, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonathan; Alison, Sandry e Jean Mota (Marcos Leonardo); Bruno Marques (Pirani) Lucas Braga e Soteldo.
Técnico: Ariel Holan



São Paulo goleia Santos em estreia de Holan e vence primeiro clássico da nova temporada

O São Paulo venceu com autoridade seu primeiro clássico da nova temporada. Recebendo o Santos neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista, o Tricolor entrou em campo precisando se afirmar contra um adversário da mesma prateleira após a goleada sobre a Inter de Limeira no meio de semana e não decepcionou o técnico Hernán Crespo, garantindo mais uma goleada, pelo mesmo placar, 4 a 0. Gabriel Sara, Luan Peres (contra), Pablo e Tchê Tchê balançaram as redes.

Pela segunda vez consecutiva, o São Paulo saiu de campo sem sofrer gols. Novamente o time foi a campo com três zagueiros, esquema que vem se comprovando eficaz. Além da solidez defensiva, o Tricolor também foi muito bem no ataque mais uma vez, encontrando alternativas e agredindo com diferentes jogadores.

O Santos, por sua vez, segue sem vencer no Campeonato Paulista. Depois de empatar os dois primeiros jogos, desta vez o time acabou derrotado por um placar elástico em plena estreia do argentino Ariel Holan, que ainda busca conhecer melhor o elenco e as possibilidades que ele oferece.

O jogo

O primeiro tempo foi comprometido pela chuva torrencial que caiu na região do Morumbi pouco antes da partida. Com um gramado cheio de poças d’água, Santos e São Paulo travaram uma disputa com poucas emoções nos minutos iniciais, composta quase que exclusivamente por bolas aéreas, desarmes e raras chances claras de gol.

Já que não dava para assustar o adversário com a bola nos pés, o jeito era testar o goleiro chutando de onde era possível. Soteldo entendeu bem isso e logo no primeiro minuto de jogo, após jogada individual pela esquerda e cruzamento rebatido pela zaga, acabou finalizando direto, mas Tiago Volpi não teve dificuldades para fazer a defesa. Pouco depois, em cobrança de falta de longa distância, o goleiro são-paulino novamente interveio sem grande esforço.

A blitz santista continuou no início do jogo e só não foi revertida em gol porque aos nove minutos uma das poças d’água instauradas no gramado do Morumbi jogou a favor dos mandantes. Arboleda vacilou dentro da área e foi desarmado por Soteldo, mas o mau estado do campo impediu a continuação da jogada.

Já o São Paulo chegou com perigo pela primeira vez aos 16 minutos. Pablo recebeu lançamento e, pela esquerda, deixou Luan Peres para trás, invadido a área. Mas, na hora de ajeitar para bater para o gol, a poça d’água desta vez foi a favor do Santos, atrapalhando o ritmo do lance e minando qualquer chance de o camisa 9 tricolor abrir o placar.

Daí em diante a única outra oportunidade mais aguda foi do Santos, aos 26 minutos, quando Soteldo novamente apareceu bem pela esquerda do ataque, fez jogada individual dentro da área e arrumou um mínimo espaço para bater no cantinho de Tiago Volpi, mas mandou para fora.

O São Paulo veio com novidade para a etapa complementar. Arboleda, que sofreu um pisão no primeiro tempo, foi substituído por Rojas. Mas, quem acabou fazendo a diferença foi Gabriel Sara. Após cobrança de escanteio de Daniel Alves, o jovem meio-campista apareceu no meio da área para cabecear para o fundo do gol, sem chances para o goleiro John, abrindo o placar no Morumbi.

Pouco depois, Rojas recebeu na direita, driblou Luan Peres dentro da área, levou para o meio e bateu cruzado, mas pegou mal na bola, desperdiçando uma grande oportunidade para ampliar o marcador.

Embalado com o gol, o São Paulo seguiu pressionando o Santos no campo de ataque. Aos 16 minutos, Gabriel Sara chegou livre pela esquerda e cruzou na área, mas Luciano e Pablo não conseguiram completar para o gol. Depois, aos 23, foi a vez de Léo perder uma chance clara dentro da pequena área ao “furar” a bola e vê-la bater em sua perna de apoio, facilitando a defesa de John.

De tanto insistir, o Tricolor foi premiado aos 27 minutos. Luciano fez ótima jogada individual, limpando a marcação, invadindo a área e batendo pro meio do gol na intenção de algum companheiro completar para o fundo das redes. Mas, quem fez isso foi Luan Peres, que tentou cortar, mas jogou contra o próprio time, ampliando para o São Paulo.

Mal deu tempo de o Santos sacudir a poeira, e o terceiro gol dos donos da casa veio. Igor Vinícius fez grande lançamento direto para Pablo, que saiu sozinho e aproveitou o fato de o goleiro John ainda estar voltando para a sua meta para bater de longe e aumentar ainda mais a vantagem são-paulina no clássico.

Como se não bastasse, antes do apito final Tchê Tchê ainda teve tempo de fechar a conta com um golaço, transformando a elástica vitória em goleada. O volante, que entrou na vaga de Luciano, cortou para o meio e bateu colocado, no ângulo, de fora da área, para encerrar a noite tricolor com chave de ouro.

Alison evita desculpas após goleada do Santos para o São Paulo: “Não podemos admitir”

O capitão Alison evitou dar desculpas após o Santos perder por 4 a 0 para o São Paulo neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

Foi a estreia de Ariel Holan no comando do Peixe.

“Mesmo sendo o início de trabalho e um time recheado de garotos, isso não serve de desculpa. Não podemos admitir uma derrota assim, mesmo com gramado alagado. Não conseguimos colocar em prática o que fizemos nos treinos. Precisamos superar a derrota. Perder jogo assim, ainda mais um clássico, é difícil. Precisamos nos reerguer porque terça temos um jogo importante pela Libertadores”, disse Alison, ao Premiere, antes de não conseguir comentar o motivo dos quatro gols sofridos no segundo tempo.

“É difícil explicar. Não conseguimos colocar em prática o que trabalhamos e acabamos sofrendo”, completou.

Ariel Holan avalia estreia com goleada para o São Paulo: “O Santos não conseguiu encontrar a maneira de jogar”

Estreante no Santos, Ariel Holan avaliou a goleada do São Paulo por 4 a 0 neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

O Peixe fez um bom primeiro tempo no gramado encharcado. No intervalo, o Tricolor tirou Arboleda para a entrada de Rojas e fez quatro gols com o campo em melhor condição.

“Acho que o campo estava muito difícil para os dois times. No primeiro tempo, fizemos boa partida. No segundo tempo, sofremos gols aos três minutos em escanteio. E foi um golpe cedo e nos custou reagir. Tivemos erros individuais que custaram a ampliação do resultado. O Santos não conseguiu encontrar a maneira de jogar. O resultado, para primeiro jogo e clássico, obviamente não é o desejado, mas claramente foi uma partida depois de pouco treinamento e fim de folga necessária. Tivemos três ou quatro treinos praticamente e, realmente, o primeiro tempo nos deixou satisfeitos pela atitude. E no segundo tempo, depois do gol cedo, nos desacomodamos. Não voltamos ao jogo depois do segundo gol. 47 minutos com boa atitude, o Santos que queremos e jogando como se pode num campo assim. E no segundo tempo estranho e São Paulo aproveitou bem”, disse Holan.

“Presidente foi claro quando disse que o primeiro semestre será duro. Temos que trabalhar muito e estamos seguros e convencidos que, trabalhando muito, vamos melhorar para fazermos jogos como o Santos pode e precisa. Começo não é o desejado, mas só começamos. Dói perder assim, mas vamos trabalhar duro para melhorar”, completou.

Holan evita avaliar Luiz Felipe e prevê mudanças no Santos para a Libertadores: “Jogamos na água”

O técnico Ariel Holan evitou avaliar a atuação ruim de Luiz Felipe na derrota do Santos por 4 a 0 para o São Paulo neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

O argentino iniciou a semana com Kaiky, de 17 anos, ao lado de Luan Peres. Na sequência, porém, optou por Luiz nos treinamentos de quinta e sexta-feira. E a experiência “venceu” antes do clássico.

Para enfrentar o Deportivo Lara (VEN) na próxima terça-feira, na Vila Belmiro, Holan prevê mudanças, até pelo cansaço do gramado encharcado no San-São. A partida é válida pelo jogo de ida da Pré-Libertadores da América.

“Vamos fazer uma avaliação completa amanhã. Mais do que o desempenho individual, vamos fazer alterações porque serão poucas horas de descanso e jogamos na água hoje. Tivemos um custo físico e na terça jogarão os que estiverem melhor”, disse Holan.

“Vamos analisar essa partida a partir de amanhã. Primeiro tínhamos o São Paulo, com compromisso muito importante. Amanhã veremos como resolver o Lara. Equipe que mudou jogadores, equipe nova. Veremos como se arma e como nos armaremos nós. Pensando, insisto, na partida dura de hoje, com condição no campo difícil. Teremos que ser inteligentes para a equipe estar dinâmica e rápida. Respeitamos os rivais, mas primeiro pensaremos na nossa recuperação para terça”, completou.

Holan não descarta João Paulo no Santos para a Libertadores e vê possibilidade de revezamento com John

O técnico Ariel Holan admitiu a possibilidade de um revezamento entre John e João Paulo no Santos. O primeiro largou na frente e foi titular na derrota por 4 a 0 para o São Paulo neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista.

John e João Paulo travaram um bom duelo na última temporada, mas João terminou como titular. E a escolha do novo técnico foi por John neste início de trabalho.

“É uma possibilidade (o revezamento). São muitos jogos. Pode ocorrer isso também em outras posições. Veremos partida a partida como armar a equipe na copa (Libertadores) e também pela recuperação no Paulista”, disse Holan, em entrevista coletiva.