Santos 1 x 1 Fluminense

Data: 21/02/2021, domingo, 18h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo Nascimento Junior (ambos do DF).
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Cartões amarelos: Luiz Felipe, Bruno Marques e Jean Mota (S); Egídio, Yago e Fred (F).
Cartão vermelho: Nino (F).
Gols: Lucca (15-1); Jean Mota (41-2).

SANTOS
João Paulo; Pará, Luiz Felipe (Madson) (Bruno Marques), Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinicius Balieiro (Jean Mota) e Sandry; Marinho, Lucas Braga (Ângelo) e Marcos Leonardo (Soteldo).
Técnico: Cuca

FLUMINENSE
Marcos Felipe; Calegari, Nino, Luccas Claro e Egídio; Martinelli (Hudson), Yago e Nenê (André); Luiz Henrique (Michel Araújo), Lucca (Yuri) e Fred (John Kennedy).
Técnico: Marcão



Santos empata com o Fluminense e se classifica para a Pré-Libertadores

O Santos empatou em 1 a 1 com o Fluminense neste domingo, na Vila Belmiro, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor das Laranjeiras abriu o placar com Lucca no primeiro tempo. Jean Mota deixou tudo igual na etapa final.

Com o ponto conquistado, o Peixe se classificou para a Pré-Libertadores, já que o Red Bull Bragantino apenas empatou em 0 a 0 com o Goiás, em Goiânia.

O Fluminense segue na quinta colocação e ainda briga por vaga no G-4. Os cariocas, porém, já têm lugar garantido na próxima Libertadores da América.

O jogo

O Fluminense dominou o Santos desde o primeiro minuto. Mais organizado e com velocidade maior no ataque, o Tricolor das Laranjeiras foi ganhando corpo até abrir o placar.

Aos 15 minutos, o Peixe desperdiçou um ataque com Vinicius Balieiro. No contra-ataque, Luiz Henrique acionou Lucca e o atacante bateu bonito, cruzado. 1 a 0 para o Flu.

O Santos seguiu totalmente sem criatividade, enquanto o Fluminense, cômodo em campo, quase ampliou aos 33. Fred, no meio de quatro jogadores, conseguiu finalizar para boa defesa de João Paulo.

O Peixe foi para o intervalo sem ter criado uma chance sequer. O Flu, até sem muito esforço, conseguiu a vantagem parcial de 1 a 0 merecidamente.

O Santos voltou melhor para a etapa final após as substituições de Cuca. O Peixe ficou mais com a bola e empurrou o Fluminense para a defesa, mas teve dificuldade para criar chances claras.

Aos 16 minutos, Luan Peres isolou um rebote em escanteio. Aos 32, Felipe Jonatan finalizou cruzado de fora da área e obrigou Marcos Felipe a fazer a primeira defesa.

No minuto 38, Nino foi expulso e deixou a vida do Santos mais fácil. Segundos depois, Soteldo cobrou falta e Jean Mota, no primeiro toque na bola, deixou tudo igual no placar.

O Peixe se lançou ao ataque nos minutos finais, mas não conseguiu a virada. 1 a 1 na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Cuca se despede do Santos: “Trabalho árduo, mas muito compensatório”

O técnico Cuca se despediu do Santos neste domingo, após o empate em 1 a 1 com o Fluminense, na Vila Belmiro, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A expectativa do Peixe era tê-lo na despedida do Brasileirão contra o Bahia, na quinta-feira, em Salvador, mas o treinador lida com um problema de saúde na sua família.

Sua mãe, Nice, e a filha mais velha, Maiara, estão internadas com covid-19 em Curitiba. Por esse motivo, o Alvinegro liberou Cuca com uma partida de antecedência. O contrato termina na próxima quinta e o profissional optou por não renovar. Ariel Holan é o substituto.

“Eu saio muito contente com o trabalho. Árduo e difícil, mas ao tempo muito compensatório. As coisas foram feitas com prazer como falei na apresentação. Sentia que era lugar para aparecer o trabalho e apareceu, principalmente aos jogadores, que foram ponta firme em todos os sentidos. Formamos uma família. Brotaram muitos filhos, meninos (risos). Foram amadurecendo dentro das competições, chegando à final da Libertadores perdida em um lance e muito próximo do objetivo que é ficar na próxima Libertadores. Para buscar uma campanha tão bela como a última. Acho que o trabalho foi muito bem feito”, disse Cuca.

“Legado é o ambiente que formamos. Não é fácil formar ambiente dentro desse contexto. Graças a Deus tudo está se equalizando. Esse pessoal abraçou o Santos com amor. Ganhamos jogos importantes e vimos a felicidade no vestiário, cantando hino do clube. Não é legado que eu deixei, mas eles deixam e torcedor deve abraçar sempre. Em cada lugar, um novo aprendizado. Aprendi que temos que valorizar tudo que temos. Mais importante do que valorizar o que não tem. Nunca pudemos contratar e não falamos disso. Trabalhamos com os meninos e essa valorização valeu a pena. Foi um trabalho prazeroso. Ele é muito cansativo em todos os sentidos porque eu me cobro muito. Perdoo todo mundo, mas não me perdoo. Sempre busco motivo por não ter feito isso ou aquilo, ter sido expulso, colocar esse ou aquele. Sou assim e não adianta. Foi um dos melhores trabalhos da minha profissão porque jogamos grande futebol em alguns momentos, como Boca e Grêmio. Isso deixa a gente feliz”, completou.

Com o empate, o Santos ficou perto da vaga na Pré-Libertadores da América.

Veja a nota oficial do Santos abaixo:

O jogo deste domingo (21), na Vila Belmiro, diante do Fluminense, marcou a despedida do técnico Cuca no comando do time. O Santos Futebol Clube agradece o profissionalismo do treinador, que mesmo enfrentando casos de Covid-19 na família, com a mãe, Nilde, e a filha mais velha, Maiara, internadas em Curitiba, decidiu ficar com o elenco para esta importante partida.

Cuca termina essa sua terceira passagem pelo Santos FC com 44 jogos, 18 vitórias, 14 empates e 12 derrotas. No total são 85 partidas à frente do Peixe, com 31 vitórias, 27 empates e 27 derrotas.

Em meio às dificuldades financeiras do Santos FC e no contexto de uma pandemia global, Cuca também conseguiu ajudar a levar o Peixe à final da Libertadores 2020, com uma equipe recheada de Meninos da Vila. Ao acreditar no potencial da base do Clube, Cuca se mostrou parceiro dos atletas e também da direção do clube.

O presidente do Santos, Andres Rueda, enalteceu as qualidades de Cuca, no comando da equipe. “Ele foi mais do que um técnico, foi um gestor de pessoas. Uniu o time em busca dos objetivos. Foi fundamental, abraçou a molecada, deixou de lado os problemas de bastidores do Clube, criou um clima excelente dentro do grupo e isso foi espelhado nos resultados. A sua participação foi um dos motivos, senão o maior, de termos esses feitos. Obrigado Cuca!”, falou o presidente.

Cuca conversa com elenco do Santos sobre ajuda a Holan: “Vai precisar muito de toda a turma”

Cuca conversou com o elenco do Santos sobre a ajuda necessária para Ariel Holan antes da despedida no empate em 1 a 1 com o Fluminense neste domingo, na Vila Belmiro, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Como publicou a Gazeta Esportiva, Holan terá uma comissão técnica pequena e precisará muito de todos os profissionais do Peixe, como o auxiliar Marcelo Fernandes, o preparador de goleiros Arzul e o analista de desempenho Bebeto Sauthier.

“Eu já falei para os jogadores do novo treinador, da ajuda e de como recebê-lo. Da dificuldade no começo. Vai chegar e já tem Santo André, Ferroviária, São Paulo. Antes o Bahia, que importa muito. Pessoal vai ter que aceitar mais o treinador que tudo. Já conversei com o grupo e com os auxiliares, todo o departamento médico. Holan vem com pouca gente, ele e mais dois auxiliares. Vai precisar muito de toda a turma”, disse Cuca.

O Santos será dirigido pelo auxiliar Marcelo Fernandes contra o Bahia na próxima quinta-feira, em Salvador, pelo último jogo do Brasileirão. Ariel Holan deve chegar no Brasil até o fim de semana.

Classificado para a Libertadores, Santos deve enfrentar o Bahia com auxiliar e time reserva

Sem Cuca, à espera de Ariel Holan e classificado para a Pré-Libertadores, o Santos será dirigido pelo auxiliar Marcelo Fernandes contra o Bahia na próxima quinta-feira, em Salvador, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe fechou o contrato de Holan até dezembro de 2023, mas o argentino só deve chegar no Brasil para o fim de semana, com a possibilidade de estrear no primeiro compromisso do Campeonato Paulista, diante do Santo André, no domingo.

Até lá, o Alvinegro terá o comando de Marcelo Fernandes. E o auxiliar deve levar um grupo recheado de Meninos da Vila para a Bahia na despedida do Brasileirão.

O Santos dará folga a vários titulares depois da classificação para a Pré-Libertadores. A temporada foi longa, cheia de problemas e o descanso é visto como merecido antes do Paulistão.

Enquanto isso, o Peixe testará jovens da base, até como forma de iniciar esse laboratório para Ariel Holan. Ainda não está definido se essa estratégia será repetida nos primeiros jogos do Paulista. Na terceira rodada, o adversário serão o São Paulo.

Santos fecha a contratação de Ariel Holan, que deve chegar no Brasil até o fim da semana

O Santos fechou a contratação de Ariel Holan para substituir Cuca. O técnico argentino ex-Universidad Católica (CHI) chega para um vínculo até dezembro de 2023.

À procura de auxiliares para a sua comissão técnica, Ariel Holan deve chegar ao Peixe até o fim dessa semana, com a estreia prevista apenas para o Campeonato Paulista. O contrato até dezembro de 2023 está apalavrado e será anunciado pelo clube nesta segunda-feira.

Holan gostaria de trazer da Universidad Católica o auxiliar Juan Esparis e o preparador físico Facundo Peralta, mas a dupla não deve vir ao Brasil. Esparis por questões pessoais, enquanto Peralta quer continuar no Chile.

Ariel Holan tem uma equipe particular de analistas de desempenho. A princípio, os três devem continuar com o argentino e não na folha salarial do Peixe. Esse tema, porém, ainda será debatido.

Holan estava no topo da lista do Santos desde o início da procura por um técnico, há mais de duas semanas. A pedida inicial foi alta. Na sequência, o clube conseguiu um “desconto” e passou a avançar na negociação. O valor da comissão técnica será de pouco menos de R$ 600 mil.

O Santos analisou outras opções, como Hernán Crespo, Tiago Nunes e Beccacece. No caso de Crespo, o salário de mais de R$ 1 milhão inviabilizou qualquer papo e ele foi para o São Paulo. Com Nunes e Beccacece, a preocupação foi a mesma: o relacionamento com o elenco. Ambos têm histórico de problemas com atletas e colegas.

Com Holan, o Alvinegro fica satisfeito por aliar projeto de futebol e bom convívio. Sair de Cuca, adorado pelos jogadores, para Tiago Nunes ou Beccacece poderia significar uma ruptura no dia a dia do CT Rei Pelé.

Holan tem 60 anos e foi aprovado pelo departamento de futebol e pela análise de desempenho. O argentino começou no Defensa y Justicia em 2015 e passou por Independiente e Universidad Católica. Antes, foi auxiliar e desempenho e técnico de hóquei sobre a grama.

A chegada de um treinador tarimbado dividiu opiniões no Comitê de Gestão. Para alguns, o comandante seria o único reforço possível neste momento e demanda investimento. Para outros, era momento de economizar e diminuir a folha da comissão técnica. O primeiro pensamento “venceu”.

Votação
O Comitê de Gestão deliberou sobre Ariel Holan por alguns dias. Mais do que maioria simples para a aprovação, o presidente Andres Rueda buscou um consenso.

Quem foi a favor ou contra a chegada de Holan expôs seus argumentos em grupo no Whatsapp. A chegada de um treinador tarimbado dividiu opiniões. Para alguns, o comandante é o único reforço possível neste momento e demanda investimento. Para outros, era momento de economizar e diminuir a folha da comissão técnica. O primeiro pensamento “venceu”.

Cuca
O Santos gostaria de ter Cuca para a partida contra o Bahia na próxima quinta-feira, em Salvador, no encerramento do Campeonato Brasileiro, mas o técnico foi liberado para cuidar de sua família. A mãe e uma das filhas estão internadas com covid-19.

Dessa forma, o auxiliar Marcelo Fernandes deve dirigir o Peixe. O Alvinegro empatou com o Fluminense na despedida de Cuca e está perto da classificação para a Pré-Libertadores.

Holan curioso
Enquanto deixou a questão financeira e contratual para seus representantes, Ariel Holan buscou informações sobre o Santos. Ele falou com colegas de profissão e perguntou ao Peixe sobre questões específicas, como quantidade de campos e uso da tecnologia no departamento de análise de desempenho.

Holan tem vontade antiga de trabalhar no Brasil e viu o Santos como ótima porta de entrada por sua história, presença de jogadores de destaque como Marinho e Soteldo e a predisposição a revelar jovens da base.

Ariel Holan está disposto a trabalhar com a realidade do Santos, de não contratar e correr o risco de perder outros atletas. Os reforços podem chegar só no segundo semestre.