Santos 1 x 2 Paraná

Data: 24/10/1998, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 20ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.673 pagantes
Renda: R$ 85.925,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartões amarelos: Narciso, Viola e Adiel (S); Milton, Fernando, Émerson, Raudinei e Gil Baiano (P).
Gols: Ânderson Lima (13-1); Raudnei (10-2) e Cairo (13-2).

SANTOS
Fernando Leão; Ânderson Lima (Sandro), Jean, Claudiomiro e Athirson; Marcos Bazílio, Narciso, Eduardo Marques (Maezono) e Róbson Luís; Alessandro (Adiel) e Viola.
Técnico: Emerson Leão

PARANÁ
Marcelo; Wilson, Pedro Luiz, Mílton e Gil Baiano; Fernando, Reginaldo Vital, Émerson e Cairo (Tico); Fernando Diniz e Raudinei.
Técnico: Márcio Araújo



Santos faz a festa antes do jogo e Paraná, depois

Campeão da Conmebol começa vencendo, mas permite a reação do adversário, no segundo tempo

Fonte: Estadão


Santos busca recuperação embalado por conquista

Técnico Emerson Leão credita sequência sem vitórias a erros de juízes

Embalado pela conquista do título da Copa Conmebol, no meio da semana, o Santos tenta hoje à tarde contra o Paraná Clube, na Vila Belmiro, conseguir sua recuperação depois de quatro partidas sem vitórias no Brasileiro.

Terceiro colocado no torneio, com 37 pontos (ao lado do Corinthians), o time vem de três empates e uma derrota. Empatou com Coritiba (1 a 1), perdeu para o Vasco (3 a 1), e voltou a empatar, com América-MG (3 a 3) e Lusa (1 a 1).

Para o técnico Emerson Leão, apesar dos desfalques que vêm prejudicando o time, a série de jogos sem vitória tem uma única explicação -os erros dos árbitros.

O treinador afirmou que nos últimos jogos do Santos na Vila Belmiro não houve queda no desempenho do time, mas falhas dos juízes que impediram as vitórias.

Ele reclama de um gol em impedimento do América-MG e de dois supostos pênaltis não marcados no jogo contra a Lusa.

A escalação do pernambucano Wilson de Souza Mendonça para apitar a partida contra o Paraná acentuou ainda mais a contrariedade do técnico. “De novo? Acho um erro essa escalação. O Wilson já teve problemas com o Santos. Para que insistir?”, indagou.

A novidade da equipe na partida de hoje pode ser a estréia do meia-atacante Róbson Luis, recém-contratado do Bahia. Escalado no time titular, o jogador participou ontem à tarde pela primeira vez de um treinamento coletivo com os novos companheiros de clube.

O time também terá as voltas do zagueiro Jean e do atacante Viola, vice-artilheiro do Brasileiro, com 16 gols. Ambos não atuaram na decisão da Conmebol na Argentina (0 a 0) porque estavam suspensos.

Adversário

Mesmo tendo apenas empatado com o Corinthians na quarta-feira, o Paraná Clube foi favorecido por derrotas de seus concorrentes diretos na luta contra o rebaixamento e ainda mantém a esperança. O clube acredita que precisa de sete pontos nos três jogos restantes.

Haverá algumas modificações em relação ao time que enfrentou o Corinthians. O lateral-direito Gil Baiano será improvisado no setor esquerdo. No gol, o reserva Marcelo será mantido.

No meio-campo, Hélcio e Luís Carlos, suspensos, dão lugar ao versátil Fernando, que vinha sendo usado na defesa, e a Arinélson, que havia sido barrado no jogo anterior por deficiência técnica.

Campeão da Conmebol quer vaga na Libertadores

O Santos está pleiteando à Confederação Sul-Americana sua inclusão na edição de 99 da Taça Libertadores da América, na condição de campeão da Conmebol.

O presidente do Santos, Samir Jorge Abdul-Hak, disse ontem que obteve do presidente da Confederação Sul-Americana, o paraguaio Nicolas Leóz, a promessa de que o assunto estará na pauta da próxima assembléia da entidade, possivelmente no mês que vem.

Leóz esteve em Rosario (Argentina) na última quarta-feira, assistindo a decisão da Conmebol entre Santos e Rosario Central.

Segundo Abdul-Hak, o presidente da confederação teria se comprometido a defender na assembléia a proposta de garantir vaga na Libertadores para o campeão da Conmebol. “Espero que isso aconteça, até para se reparar uma série de injustiças que já se cometeram contra nós”, disse Abdul-Hak.

Entre as “injustiças” às quais o santista se refere, está o fato de o Santos não ter sido convidado para disputar a Copa Mercosul.

Em 99, o Santos tem chances de participar da Supercopa dos Campeões da Libertadores, que foi suspensa neste ano.

“Eu achava que seria uma comemoração normal, nunca com carro aberto do Corpo de Bombeiros, com aquela multidão atrás, todo mundo na praça, nos prédios, na rua. Nunca tinha imaginado uma coisa dessas. Foi muito gratificante”, disse o lateral Athirson, sobre a comemoração do título da Conmebol.