Botafogo 0 x 0 Santos

Data: 17/02/1998, terça-feira, 21h40.
Competição: Torneio Rio SP – Semifinal – Jogo de ida
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 1.595 pagantes
Renda: R$ 25.395,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói

BOTAFOGO
Wagner; Jorge Antônio, Jorge Luís, Marcelo Augusto e Jéfferson; França (Marcelo Alves), Pingo, Djair e Zé Carlos (Tico Mineiro); Bebeto e Túlio.
Técnico: Gilson Nunes

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima (Baiano), Argel, Ronaldão e Dutra; Élder, Narciso (Sandro), Jorginho e Caíco; Müller e Caio (Edgar Baez).
Técnico: Emerson Leão



Santos empata com Botafogo e mantém tabu

Botafogo e Santos empataram em 0 a 0, ontem, no Maracanã, na primeira semifinal do Torneio Rio-São Paulo, resultado que confirmou o bom retrospecto da equipe santista no estádio do Rio.

O time de Emerson Leão havia vencido os dois jogos que disputara no torneio no Maracanã -2 a 0 sobre o Flamengo e 3 a 2 sobre o Fluminense. Nas outras quatro partidas no torneio, o Santos venceu uma, empatou duas e perdeu uma.

O retrospecto do Botafogo mostra agora três vitórias, três empates e uma derrota.

Os dois times decidem vaga para a final na quarta-feira que vem, em São Paulo. Brigam pela outra vaga São Paulo e Palmeiras.

Com o jogo de ontem à noite, a equipe de Leão soma nove partidas sem derrotas.

Por causa da forte chuva que atingia o Rio de Janeiro, o jogo começou com 30 minutos de atraso.

O Santos começou pressionando, principalmente em jogadas pela esquerda. Em cruzamentos originários daquele setor, nos dois primeiros minutos de jogo, o atacante Caio desperdiçou duas oportunidades.

O Botafogo optava por triangulações pelo meio e tentava os chutes de fora da área.

O atacante Bebeto teve três chances para abrir o placar na primeira etapa, mas as duas melhores oportunidades foram do Santos.

Aos 24min, em cruzamento de Ânderson, Caio, quase da pequena área, completou. O goleiro botafoguense Vágner conseguiu desviar com a perna direita.

Nove minutos depois, Müller recebeu livre pela esquerda, teve tempo para ajeitar a bola, mas bateu em cima de Vágner.

O Botafogo reagiu no final do primeiro tempo. Aos 39min, Bebeto tentou aproveitar sobra de bola, mas o zagueiro Ronaldão conseguiu bloquear o chute do atacante.

O mesmo Bebeto desperdiçou outra chance aos 46min, quando, ao avançar pela direita, teve o chute desviado pelo zagueiro Argel.

Na segunda etapa, o Santos diminuiu o ritmo e deu chance para que o Botafogo dominasse.

Aos 5min, Túlio recebeu livre, mas ao tentar driblar o volante Élder e concluir, bateu em cima do adversário.

Em jogada individual, aos 18min, Bebeto cortou da esquerda para o meio e acertou chute na trave direita de Zetti.

A melhor chance santista veio em jogada confusa. Em bola dividida com o goleiro Vágner, Baez desviou, mas Jorge Luiz conseguiu tirar em cima da linha.

Aos 46min, Pingo arriscou de fora da área, com perigo.

Alagamento atrasa jogo em 30 minutos

O alagamento dos quatro túneis de acesso ao gramado do Maracanã foi o responsável pelo atraso de 30 minutos no início do jogo.

A forte chuva que atingiu a cidade do Rio desde o início da tarde de ontem deixou os túneis do Maracanã com quase um metro de altura de água. Os jogadores dos dois times só entraram em campo depois que a água do túnel central foi retirada com auxílio de uma bomba de sucção.

“Isso é uma vergonha. Está parecendo jogo de várzea”, disse o técnico Emerson Leão, do Santos.

Para poder iniciar o jogo, os dirigentes dos clubes chegaram a pensar em levar os jogadores de perua Kombi da garagem do estádio até o setor de geral.

De lá, subiriam uma rampa improvisada até o gramado, o que acabou não sendo necessário.



Santos vê alegria como arma ( Em 17/02/1998 )

A “alegria coletiva” dos jogadores é o antídoto do Santos para enfrentar o cansaço da pesada sequência de jogos, declarou o técnico Émerson Leão.

Nesta semana, o time completa dez partidas em 30 dias. Hoje, enfrenta o Botafogo pela semifinal do torneio Rio-São Paulo. Amanhã, viaja do Rio para Goiânia (GO), onde joga na quinta com o Goiás, pela Copa do Brasil.

Para Leão, o desgaste físico só não agrava os efeitos sobre a produção dos jogadores em campo porque a equipe vem conseguindo ganhar. O time está invicto desde o início do ano: em oito jogos, venceu quatro e empatou quatro.

“Estamos com bom comportamento físico devido à satisfação provocada pela vitória. Fica mais fácil adquirir condicionamento, porque você trabalha recreando e não sente tanto”, afirmou.

O time já venceu duas vezes neste ano no Maracanã (2 a 0 no Flamengo e 3 a 2 no Fluminense). Mas adotará cautela em relação aos dois homens de frente do Botafogo -Túlio e Bebeto.

“A preocupação é não deixá-los livres, porque eles são bons finalizadores”, declarou o goleiro Zetti.

O zagueiro Argel está ameaçado de não jogar devido à expulsão na partida de 31 de janeiro, contra o São Paulo, em Ribeirão Preto. Embora não exista no regulamento do torneio a suspensão por expulsão, o atleta poderia receber uma pena no julgamento, na noite de ontem, na Federação Paulista.


Fonte: Estadão