Botafogo 2 x 3 Santos

Data: 01/10/2014, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 8.714 presentes (7.740 pagantes)
Renda: R$ 173.745,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Guilherme Dias Camilo (MG).
Cartões amarelos: Junior Cesar, Dankler e Bolívar (B); David Braz, Geuvânio e Robinho (S).
Cartão vermelho : Robinho (S).
Gols: Robinho (24-1), Gabriel (25-1), Robinho (29-1) e Geuvânio (43-1); Zeballos (11-2).

BOTAFOGO
Jefferson (Andrey); Dankler, Bolívar, André Bahia e Junior Cesar; Aírton (Bolatti), Gabriel, Cachito Ramirez e Wallyson; Rogério e Emerson Sheik (Zeballos).
Técnico: Vagner Mancini

SANTOS
Vladimir; Cicinho, David Braz, Edu Dracena e Mena (Caju); Alison, Arouca e Lucas Lima; Geuvânio (Alan Santos), Robinho e Leandro Damião (Patito Rodriguez).
Técnico: Enderson Moreira



Robinho é expulso, mas faz dois e Santos bate o Botafogo no Rio

Atacante comandou a vitória por 3 a 2, no Maracanã, pela Copa do Brasil. Time carioca perdeu Jefferson e Sheik, lesionados

O Santos largou na frente por uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil. Em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Maracanã, a equipe de Vila Belmiro derrotou o Botafogo por 3 a 2 e só precisa de um empate no jogo da volta para garantir a passagem à próxima fase da competição. Os gols dos visitantes foram marcados por Robinho, duas vezes, e Geuvânio. Gabriel e Zeballos descontaram.

Após o resultado no Rio de Janeiro, o Peixe pode até perder, desde que o time carioca não marque mais de três gols. Para se classificar, o Botafogo precisa de uma vitória por dois gols de diferença.

O resultado fez justiça ao melhor desempenho da equipe paulista. O Santos foi sempre mais objetivo durante os 90 minutos, Robinho foi expulso no fim do jogo, por simulação. Além da derrota, o Botafogo ainda perdeu o goleiro Jéfferson e o atacante Emerson Sheik, ambos lesionados.

O jogo:

Diante de um público muito pequeno, o Botafogo começou a partida no ataque. Logo aos dois minutos, Wallyson cobrou falta, a zaga santista afastou mal e Ramirez apanhou o rebote, mas tentou driblar e acabou perdendo a oportunidade de concluir.

A equipe carioca mostrava maior disposição ofensiva,mas não encontrava espaços na defesa santista. Aos oito minutos, Emerson Sheik se deslocou pela direita e cruzou para Rogério, mas David Braz se antecipou e cortou o lançamento.

Muito retraída, a equipe visitante criou o primeiro momento de perigo aos 17 minutos, quando o lateral-esquerdo Mena foi lançado e invadiu a área, mas André Bahia conseguiu fazer o corte. Dois minutos depois, os atacantes do Alvinegro carioca trocaram passes em velocidade, mas a conclusão de Wallyson explodiu na zaga santista, para frustração da torcida.

Aos 24 minutos, o Santos marcou o primeiro gol. Gabriel recebeu de Jéfferson, na defesa, mas foi desarmado por Robinho. O atacante do Peixe entrou na área e tocou na saída do goleiro botafoguense.

Um minuto depois, a equipe carioca empatou. Gabriel, que havia falhado no gol santista, bateu colocado da entrada da área, sem chances de defesa para Vladimir. O jogo ficou mais aberto e, aos 29, Robinho voltou a marcar, depois de tabelar com Cicinho e chutar rasteiro.

Desnorteado, o Botafogo passou a encontrar dificuldades para se organizar e quase sofreu o terceiro gol, aos 39 minutos, quando Geuvânio chutou forte e Jéfferson defendeu parcialmente, Robinho apanhou o rebote, mas o árbitro marcou impedimento do atacante.

Para piorar as coisas para o time dirigido por Vagner Mancini, Emerson Sheik sofreu uma lesão muscular e precisou ser substituído. E a torcida protestou quando Mancini chamou o paraguaio Zeballos para entrar em campo.

Aos 43 minutos, o Santos marcou o terceiro gol. Geuvânio arriscou de fora da área e Jéfferson falhou ao tentar a defesa, permitindo que a bola entrasse no no canto esquerdo. Logo depois de sofrer o tento, o goleiro Jéfferson pediu substituição e Andrey entrou em seu lugar. O goleiro sofreu uma luxação no dedo mínimo da mão esquerda.

O Botafogo voltou para o segundo tempo mais agressivo, e aos 11 minutos marcou o segundo gol. Dankler cruzou da direita e Zeballos se antecipou à marcação para colocar a bola nas redes de Vladimir.

Depois do segundo gol da equipe carioca, a partida fcou mais truncada, com as duas equipes cometendo muitas faltas. Por volta dos 20 minutos, os dois treinadores mexeram em suas equipes, mas o panorama do jogo não se modificou, apesar da postura mais agressiva do Botafogo. O Santos parecia mais preocupado em manter a vantagem e se concentrava na defesa, tentando se aproveitar do desespero da equipe carioca.

Aos 36 minutos foi a vez de Lucas Lima fazer uma boa jogada individual e chutar com perigo. Aos 40 minutos, Robinho foi expulso. O árbitro entendeu que o atacante tentou simular uma falta e aplicou o segundo cartão amarelo.

Aos 44 minutos, Lucas Lima fez ótima jogada e lançou Alan Santos, que desperdiçou a chance quando estava livre para marcar, uma vez que o goleiro Andrey estava fora da jogada. O Santos ainda voltou a desperdiçar uma oportunidade, agora com Lucas Lima, antes de o árbitro decretar o fim da partida.

Para técnico do Santos, Copa do Brasil só será priorizada em último caso

Após a vitória sobre o Botafogo, treinador diz que o time vai continuar lutando no Brasileirão “enquanto tiver possibilidades”

O Santos está em oitavo lugar no Campeonato Brasileiro, a sete pontos da zona de classificação à Libertadores de 2015. Distância insuficiente para fazer o técnico Enderson Moreira colocar a competição em segundo plano e priorizar a Copa do Brasil. Nem mesmo depois da vitória por 3 a 2 sobre o Botafogo nesta quarta , que deixou a equipe mais perto da semifinal.

“Eu não trabalho com essa perspectiva, a não ser que a gente chegue em um momento no Campeonato Brasileiro que, matematicamente, não tenha chance nem de rebaixamento nem de chegar ao G4. Aí sim. Mas, enquanto tiver possibilidades, a gente tem sempre que buscar essas vitórias, essa sequência no Brasileiro. Se a gente pega uma sequencia, a gente vai encostar”, disse o treinador do Santos.

Na última rodada do Brasileirão, Enderson chegou a poupar alguns jogadores, mas negou que tenha optado uma escalação alternativa pensando na Copa do Brasil. “Isso não faz parte da minha conduta, não tem essa prioridade. O que me impede de escalar é que os atletas não estavam em condições ideias. Um atleta pode ficar fora por questões psicológicas, clínicas e físicas”, explicou, na ocasião.

Embora a vantagem do Santos seja considerável, já que avança às semifinais da Copa do Brasil com qualquer empate ou até mesmo perdendo por 1 a 0 ou 2 a 1, em plena Vila Belmiro, o comandante não quer saber de euforia exagerada no elenco.

“Nosso foco, no dia 16, vai ser um jogo extremamente difícil contra o Botafogo, porque se nós fizemos 3 a 2 aqui (no Maracanã), eles são capazes de fazer lá”, avisou.