Santos 2 x 0 Atlético-PR

Data: 20/08/2014, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.612 pagantes
Renda: R$ 129.285,00
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG-CBF-1)
Auxiliares: Celso Luiz da Silva (MG-CBF-1) e Marcus Vinicius Gomes (MG-CBF-1).
Cartões amarelos: Léo Pereira e Dráusio (A).
Gols: Leandro Damião (44-1) e Thiago Ribeiro (21-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, David Braz, Edu Dracena e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima, Thiago Ribeiro (Stéfano Yuri), Robinho (Rildo) e Leandro Damião (Souza).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

ATLÉTICO-PR
Weverton; Sueliton, Dráusio, Léo Pereira e Natanael; Deivid, João Paulo, Bady (Dellatorre) e Marcos Guilherme (Douglas Coutinho); Marcelo e Cléo.
Técnico: Doriva



Damião e Thiago Ribeiro desencantam e Santos volta a vencer no Brasileiro

Centroavante não balançava as redes desde 30 de março e Thiago ainda não havia feito um gol sequer no Brasileirão

Demorou, mas saiu. Leandro Damião acabou com seu jejum de gols que já perdurava desde 30 de março e abriu o placar para a vitória do Santos nesta quarta-feira. Thiago Ribeiro, outro que ainda não havia marcado neste Campeonato Brasileiro , também desencantou e, com o resultado de 2 a 0 sobre o Atlético-PR , a equipe paulista voltou a comemorar uma vitória nesta 16ª rodada, após três derrotas seguidas.

A noite só não foi perfeita para o time de Oswaldo de Oliveira porque Robinho sentiu um incômodo no músculo posterior da coxa direita e deixou o jogo ainda no primeiro tempo. O camisa 7 estava fazendo sua quarta partida seguida em apenas dez dias. O jogador fará exames para saber a gravidade da lesão, mas dificilmente deve ter condições de enfrentar o São Paulo na próxima rodada. Enquanto isso, Gabriel deve retornar nesta sexta e tem tudo para ser escalado no clássico.

Com a vitória desta quarta, o Santos chegou aos 23 pontos, assim como Atlético-PR, mas assumiu o sétimo lugar na tabela de classificação, deixando seu rival em nono.

O jogo

Com as duas equipes precisando da vitória para reagir na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, Santos e Atlético-PR buscaram o ataque desde o apito inicial. Mesmo fora de casa, os paranaenses não se intimidaram e até começaram melhor o jogo.

Aos 8 minutos, Aranha salvou os donos da casa após escorregão de Edu Dracena dentro da área. Cléo encheu o pé, mas a bola foi no centro do gol. No contra-ataque, Lucas Lima arriscou jogada individual, mas também chutou fraco, nas mãos de Weverton.

O jogo era lá e cá, com o meio de campo muito aberto e com os times procurando sempre jogar com a bola no chão.

Após os 20 minutos iniciais, o Santos passou a equilibrar o jogo e criar chances de gol. Robinho comandava o ataque e chamava a marcação, deixando espaços para Thiago Ribeiro e Leandro Damião. O centroavante, muito pressionado pela torcida a cada erro, quase marcou em duas oportunidades, mas primeiro viu o goleiro adversário defender seu peixinho e depois lamentou a falta de pontaria em rebote dentro da área.

Aos 24, o lance que fez a Vila Belmiro se calar. Robinho arrancou pela esquerda, pedalou ao seu estilo e, ao tocar a bola, sentiu a coxa direita e caiu com a mão no local. O camisa 7 precisou ser substituído por Rildo e foi direto para os vestiários.

O Santos, no entanto, não se deixou abater e logo no primeiro lance sem o ídolo, Thiago Ribeiro só não marcou de cabeça porque Weverton operou um milagre.

E, após tanto insistir, o time acabou premiado com um gol aos 44. Cicinho foi mais esperto, roubou a bola na área adversária e cruzou para Leandro Damião só escorar para o gol. O camisa 9 festejou muito o fim do jejum que durava desde 30 de março.

“É bom demais, mas o importante é o time vencer, não adianta nada eu fazer gol e o time não vencer”, salientou Damião após o fim do primeiro tempo.

Antes de deixar o campo rumo ao vestiário, o Atlético-PR se uniu no meio do campo e fez uma reunião curiosa, mas que demostrava a insatisfação do time com o resultado. E no retorno para a etapa complementar, foi possível perceber a mudança de postura do time comandado por Doriva.

Desde o início pressionou o Santos no campo de defesa, buscando sempre as jogadas com Douglas Coutinho e Marcelo. Porém, apesar de ter mais posse de bola, o rubro-negro não conseguia criar uma chance clara.

Enquanto isso, o Santos passou a ser perigoso nos contra-ataques rápidos. Aos 12, Rildo tabelou com Damião e perdeu um gol incrível, de frente para a meta, já dentro da área. O atacante bateu de primeira, mas a bola foi direto para fora.

A torcida também passou a ficar mais aflita e o jogo picado pela arbitragem, com muitas faltas.

Mas a tranquilidade santista veio aos 21. Arouca carregou pelo meio e rolou para Rildo na esquerda, que cruzou na cabeça de Thiago Ribeiro. Desta vez o camisa 11 não desperdiçou e também marcou seu primeiro gol neste Campeonato Brasileiro.

O gol desanimou a equipe de Doriva, que sentiu o segundo gol e não levou mais perigo até o fim da partida. Já o Santos, com o jogo resolvido, passou a administrar o resultado.

Mas ainda deu tempo do técnico Oswaldo de Oliveira sacar Damião para, quem diria, ver a torcida aplaudir o camisa 9. Thiago Ribeiro, tão criticado pelos gols perdidos nos últimos jogos, também deixou o jogo com seu trabalho reconhecido pelos torcedores.

No último minuto, já com os torcedores deixando a Vila Belmiro, David Bráz fez pênalti, mas Marcelo acertou o travessão na cobrança e apenas ratificou a vitória santista.

Bastidores – Santos TV:

No quarto jogo em dez dias no Santos, Robinho sente lesão muscular e preocupa

Assim que chegou ao Santos , Robinho fez apenas três treinos e já foi titular no clássico contra o Corinthians. Com uma condição física boa, o camisa 7 atuou por 80 minutos na derrota por 1 a 0 na Vila Belmiro. Em sequência, Robinho liderou o time contra Londrina e Cruzeiro, mas não aguentou a sequência diante do Atlético-PR, nesta quarta-feira.

Realizando sua quarta partida em apenas dez dias, Robinho precisou ser substituído logo aos 29 minutos do primeiro tempo, pois três minutos antes sentiu uma fisgada ao pedalar na ponta esquerda e rolar a bola para a área.

A Vila Belmiro se calou e em seguida aplaudiu a saída do jogador, que tentou se levantar, mas não conseguiu e precisou deixar o gramado com o auxílio do carrinho da maca.

A informação inicial é que Robinho sentiu um incômodo no músculo posterior da coxa direita. Mas um exame nesta quinta-feira deve confirmar a gravidade da lesão.



Seca de gols dos atacantes gera incômodo no time do Santos

Artilheiro da equipe na temporada com 15 gols, Gabriel deve voltar a treinar com os companheiros nesta sexta-feira

Rildo, Gabriel e Diego Cardoso. Nesta ordem, os atacantes do Peixe decretaram a vitória em cima da Chapecoense, na Vila Belmiro, há três rodadas no Campeonato Brasileiro. De lá para cá foram três derrotas e nenhum gol marcado. E a falta de pontaria dos atacantes santistas não pode ser atribuída a ausência de criação de jogas, pois nas três partidas foram inúmeras chances de gol desperdiçadas. Gols que fizeram falta.

“Estamos criando oportunidades a olhos vistos. É algo que eventualmente você não consegue resolver nem apontar o problema. Os jogadores estão criando, tentando. Estamos nos preparando para isso, mas não posso dizer mais nada a respeito”, desabafou o técnico Oswaldo de Oliveira após a derrota para o Cruzeiro, no último domingo, em mais uma partida em que seus atacantes, principalmente Thiago Ribeiro e Leandro Damião, não souberam aproveitar as tantas oportunidades que tiveram.

Para o zagueiro David Braz, a solução só virá com empenho e confiança.

“Treino, trabalhando. Temos um ataque bom, confiamos muito nesses jogadores, tenho certeza que vai passar, esperamos que contra o Atlético (Paranaense, nesta quarta-feira) voltemos a fazer os gols”, disse o jogador, antes de comentar o fato do elenco ter pouco tempo para corrigir os erros. “Não fizemos gol contra o Inter e não tivemos tempo para treinar e enfrentar o Londrina, que fizemos dois gols. Depois, o mesmo contra o Cruzeiro. Então, falta treino para realizar essas jogadas, precisa de treinos, se aperfeiçoar mais”, explicou.

Artilheiro da equipe na temporada com 15 gols, Gabriel deve voltar a treinar com os companheiros no CT Rei Pelé nesta sexta-feira e tem grandes chances de ficar à disposição do técnico Oswaldo de Oliveira para o clássico contra o São Paulo, no próximo fim de semana. O jovem atacante não participou dos últimos jogos por estar com a seleção brasileira Sub-20, porém, como acabou expulso na semifinal, não poderá ajudar o time de Gallo na decisão e, com isso, antecipar seu retorno ao Peixe.

Gabriel, com três gols, é o artilheiro do Brasil no Torneio Internacional de Cotif, na Espanha.