São Paulo 2 x 1 Santos

Data: 28/03/1998, sábado, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 2ª fase – 6ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 24.115 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartões amarelos: Denílson, Fabiano, Gallo, Capitão, Márcio Santos e França (SP); Argel, Viola e Baiano (S).
Cartão vermelho: Claudiomiro (S, 40-1)
Gols: Lúcio (29-1) e Rogério Ceni (30-1, de falta); França (27-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Zé Carlos, Capitão, Márcio Santos e Serginho; Alexandre, Gallo, Carlos Miguel e Fabiano (França); Dodô e Denílson.
Técnico: Nelsinho Batista

SANTOS
Zetti; Baiano, Argel, Ronaldão e Dutra (Athirson); Élder, Claudiomiro, Jorginho (Ânderson Lima) e Lúcio; Viola e Müller.
Técnico: Emerson Leão



Santos mostra desânimo

A derrota para o São Paulo, anteontem, no estádio Morumbi, abalou definitivamente a confiança do Santos. Com apenas cinco pontos em seis jogos (27,7% de aproveitamento), o time tem poucas chances de se classificar para as semifinais do Paulista-98.

Após o jogo, os jogadores da equipe e o técnico mostraram o desânimo com o discurso do tipo “realmente, a situação não é boa, mas a esperança é a última que morre”.

“Temos ainda três jogos na Vila Belmiro. Precisamos vencer todos e torcer”, disse o ata cante Viola, que foi curar a “ressaca” da derrota no GP Brasil de Fórmula 1.

O atacante fez sua estréia no Santos anteontem. Mesmo tendo produzido pouco, Viola achou positiva sua primeira partida na equipe santista.

“Todos que estrearam foram bem. A vantagem do São Paulo foi que eles treinam juntos há mais tempo”, disse.

Além de Viola, jogaram pele primeira vez Lúcio, Claudiomiro e Athirson.

O técnico do Santos, Emerson Leão, criticou o juiz Wilson Souza Mendonça. Após o jogo, Leão aproximou-se de Mendonça e o xingou.



Clássico confronta o “íntimo e o novo’

Enquanto o São Paulo aposta na manutenção de jogadores, Santos promove estréia de seus reforços

Intimidade e novidade. Esses dois aspectos estarão em confronto na partida de hoje, às 20h30, no estádio do Morumbi, entre São Paulo e Santos, pelo Paulista-98.

Enquanto a equipe da capital aposta na manutenção da escalação de seu time, o Santos vai promover a estréia de três reforços -Viola, Claudiomiro e Lúcio.

Além da estabilidade da escalação, o técnico do São Paulo, Nelsinho Batista, afirma que já tem conhecimento total das opções técnicas e táticas que o grupo de jogadores sob o seu comando podem proporcionar. “Posso afirmar que eu já conheço bem o time. Sei com quais opções posso contar durante uma partida, se é melhor escalar A, B ou C durante um jogo”, afirmou Nelsinho. O técnico fez sua estréia no São Paulo em 14 de fevereiro, contra o próprio Santos, pelo Torneio Rio-São Paulo.

Antes dessa partida, que acabou empatada em 1 a 1, Nelsinho não havia comandado nenhum treino do São Paulo. “Hoje eu conheço bem as características do grupo. Já dá para olhar para um jogador e saber se ele precisa de um estímulo extra”, disse.

Para o técnico Emerson Leão, do Santos, os novos reforços não vão mudar a maneira do time jogar. “É um Santos de 48 horas, mas com a mesma disposição e o mesmo esquema tático”, disse.

O atacante Viola (ex-Palmeiras) chegou na segunda-feira. O volante Claudiomiro (ex-Coritiba), na quarta, e o meia-atacante Lúcio (ex-Flamengo), na quinta. Os três participaram de apenas dois treinamentos coletivos nesta semana, mas estão confirmados no clássico como titulares. Além deles, o lateral Athirson, do Flamengo, também está contratado.

Além de estrear no Santos, o atacante Viola faz hoje sua primeira partida oficial no ano, após mais de três meses de inatividade devido a uma contusão sofrida na final do Campeonato Brasileiro de 97 que o obrigou a se submeter a uma cirurgia na face.

“Estou com muita vontade de estrear. Não vejo a hora de vestir oficialmente a camisa do Santos”, afirmou o atacante.

Viola espera que o entrosamento com Muller apareça rapidamente. “O Muller está numa fase muito boa, mas se eu dissesse que estou com um entrosamento total, estaria mentindo. Acabo de chegar e só fiz dois coletivos. Somos dois jogadores com bastante presença de área. Temos habilidade, impulsão e força. Espero que os companheiros que vêm de trás possam nos ajudar”, disse o atacante.

Retorno

A grande novidade do São Paulo para a partida de hoje será a volta do atacante Dodô. O jogador estava afastado da equipe devido a uma contusão nos ligamentos de seu joelho direito.

“Fiquei muito chateado com a contusão. Queria ter voltado antes, mas estava sentindo dores quando chutava a bola. Não adiantava jogar sem estar em perfeitas condições”, disse.

Durante o último treino do São Paulo, o técnico Nelsinho priorizou as jogadas de bola parada -escanteios e cobranças de faltas.
O treinador chegou a pedir que os cinegrafistas que acompanhavam a movimentação não filmassem as jogadas ensaiadas nas cobranças de faltas.

“Procuramos aprimorar essas jogadas em todos os treinamentos. Nas avaliações que fiz da equipe, conclui que esse era um ponto que deveria ser aperfeiçoado”, disse.

No Santos a dúvida é o goleiro Zetti. Ele só terá sua escalação confirmada hoje. Zetti sofreu uma lesão na coxa direita, mas treinou na manhã de ontem. Se não puder jogar, Edinho será o substituto.

Classificação

São Paulo e Santos consideram o resultado da partida de hoje fundamental para as pretensões das equipes no Campeonato Paulista.

Para o São Paulo, a vitória praticamente garante um das duas vagas do Grupo 4 para as semifinais do Paulista. A equipe lidera a série, com dez pontos -66,6% de aproveitamento.

A situação do Santos não é cômoda. Uma eventual derrota, ou mesmo um empate, praticamente elimina o time do Paulista. A equipe soma apenas cinco pontos (aproveitamento de 33,3%), ocupando a quinta colocação do grupo.

“Esse é um momento muito importante para o grupo. Podemos manter a nossa vantagem no campeonato e conseguir mais tranquilidade para brigar pela classificação nas últimas rodadas desta fase”, afirmou o técnico Nelsinho, do São Paulo.

Os jogadores do São Paulo concordam com a opinião do treinador. “Quanto mais ganharmos, mais confiança vamos acumular para as finais do campeonato”, afirmou o zagueiro Márcio Santos.

“O Santos precisa da vitória para continuar brigando por uma vaga. Por isso, essa partida deve ser muito difícil para nós”, afirmou o meia Capitão, que está jogando improvisado na zaga.

“Ou vencemos ou as coisas vão ficar definitivamente complicadas. Portanto, é um jogo que para nós representa mais do que para o São Paulo”, disse Leão, do Santos.

Leão escolhe novo reforço

Os volantes Bruno Quadros e Maurinho e o meia-atacante Rodrigo, que se encontra emprestado ao Atlético-PR, estão entre as opções do técnico Emerson Leão para a troca com o Flamengo pelo meia Arinélson. Leão disse que está estudando quais jogadores dentre os colocados à disposição pelo clube carioca serão escolhidos para se transferirem para o Santos.

De acordo com o presidente do Flamengo, Kleber Leite, a troca por Arinélson, que até ontem dizia desconhecer a negociação, poderá envolver um ou dois atletas, de acordo com o pedido do Santos.

“Estou me dando o direito de pensar um pouco mais para ver aquilo que nós poderemos escolher em troca do Arinélson. São jogadores em um mesmo patamar, de empréstimo. Nada em termos de estrelas”, afirmou Leão.

À exceção de Maurinho, contratado pelo Flamengo do Bragantino, os outros dois jogadores são revelações das categorias de base do clube carioca.

Bruno Quadros esteve para ser emprestado neste ano à Lusa, mas não aceitou. Rodrigo teve passagens pelo Grêmio e pelo futebol japonês. Retornou ao Flamengo e foi emprestado ao Atlético-PR.

Arinélson, adquirido no ano passado por R$ 900 mil do Iraty (PR), por indicação do ex-treinador do clube Wanderley Luxemburgo, deixará o Santos por incompatibilidade com o técnico Leão. O treinador critica o excesso de individualismo do jogador e a desobediência a determinações táticas. Além disso, Arinélson criticou o técnico por ter sido excluído do time principal.