Santos 3 x 0 Goiás

Data: 20/07/1997, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.942 pagantes
Renda: R$ 85.165,00
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (RJ).
Cartões amarelos: Marcelo e Aloísio (G).
Gols: Arinélson (04-1), Arinélson (13-1) e Macedo (35-1).

SANTOS
Marcelo; Baiano, Narciso, Ronaldão e Cássio; Élder, Marcos Bazílio, Caíco e Arinélson (Fernando Fumagalli); Macedo (João Santos) e Müller.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GOIÁS
Kleber; Índio, Sílvio Criciúma, Wilson e Marquinhos; Reidner, Túlio (Dil), Betinho (Tonhão) e Marcelo (Borges); Alex e Aloísio.
Técnico: Mauro Fernandes



Santos vence e marca 100º gol neste ano

O Santos não precisou de muito esforço para vencer o Goiás por 3 a 0, ontem à tarde, na Vila Belmiro. Os gols foram marcados no primeiro tempo. O atacante Muller foi o destaque da partida, participando de todos os gols.

O primeiro gol de Arinelson foi o 100º do Santos na temporada.

O Santos começou atacando e marcou logo aos 4min. Arinelson iniciou a jogada pelo meio, driblou Túlio e passou a bola para Muller, que cruzou para o próprio Arinelson completar.

Aos 13min, Baiano cruzou da direita, Muller ajeitou de cabeça e Arinelson chutou forte, no ângulo.

Aos 35min, Macedo aproveitou jogada de Marcos Basílio e, em falha de goleiro Kléber, marcou o terceiro gol do Santos.

O Goiás só levou perigo com o centroavante Aloísio. Aos 37min, ele foi derrubado na entrada da área, e Betinho cobrou a falta acertando a trave.

No segundo tempo, o Santos voltou tocando a bola, sem a velocidade empregada na etapa inicial. Com isso, permitiu que o Goiás criasse oportunidades de gol -incluindo uma bola na trave-, sem concretizá-las.

Paraense Arinelson prevê ‘muitos gols pela frente’

O paraense Arinelson, 24, foi substituído aos 37min do segundo tempo. Deixou o campo reclamando de uma pancada na perna direita, mas emocionado com o apoio da torcida, que o aplaudiu de pé.

Contratado por R$ 960 mil junto ao Iraty, do Paraná, o jogador marcou seus primeiros gols com a camisa do Santos e o 100º do clube nesta temporada.

“Comecei com sorte. Mas pode ter a certeza que muitos gols virão pela frente. Foi a primeira vez que joguei na Vila Belmiro. Sou artilheiro e com humildade vou conquistar o meu espaço.”

A comparação com o também paraense Giovanni, ex-ídolo santista e hoje atuando no Barcelona (Espanha), não o incomoda.

“De jeito nenhum. Cheguei a treinar com o Giovanni no Tuna Luso, lá em Belém. Torci pelo seu sucesso no Santos. Sou um jogador frio, que não me deixo levar por críticas ou elogios. Quero jogar o meu futebol, conquistar o meu espaço”, afirmou Arinelson.

Ele ofereceu os gols ao filho Alecsander e à sua esposa, que estão em Belém (PA). “Estou com uma saudade arretada deles.”



Sob tensão, Santos pega o Goiás em casa ( Em 20/07/1997 )

O Santos enfrenta hoje o Goiás, na Vila Belmiro, sem o atacante Caio, cuja estréia foi adiada, e sob um clima de tensão entre o técnico Wanderley Luxemburgo e a diretoria do clube.

O treinador havia se queixado sobre a excursão à Europa, entre 29 de julho e 5 de agosto, a qual não foi consultado.

O diretor de futebol, José Paulo Fernandes, rebateu as críticas, afirmando que os amistosos são uma questão administrativa que cabe apenas à diretoria. “E isso (a excursão) não atrapalha a equipe”, disse Fernandes.

Segundo Luxemburgo, o período seria mais bem aproveitado para acertar o time, ainda com vários problemas de defesa e de criação de jogadas.

“Os jogos dizem respeito também à parte técnica, que pertence a mim”, disse o técnico.

Além da excursão, Luxemburgo demonstra irritação com outros dois problemas. Um é a demora para a renovação de contratos do lateral-direito Ânderson e do meia defensivo Marcos Assunção. E a outra é a demora para regularizar a documentação do atacante Caio, que chegou em Santos no dia 8 e ainda não pode jogar.

O Santos inaugura hoje o complemento do anel de arquibancadas do estádio da Vila Belmiro. A obra custou R$ 600 mil e garantiu a ampliação da capacidade do estádio de 22 mil para 26 mil lugares.

Vila Belmiro é ampliada e inaugurará novas arquibancadas ( Em 19/07/1997 )

O Santos inaugura no jogo de domingo contra o Goiás o complemento do anel de arquibancadas do estádio da Vila Belmiro. A obra custou R$ 600 mil e garantiu a ampliação da capacidade do estádio de 22 mil para 26 mil lugares.

O gramado da Vila Belmiro também recebeu tratamento especial. Foram plantadas sementes de inverno, a fim de reforçar a grama bermuda (de verão), usada durante todo o ano, mas que se fragiliza nos períodos de frio.

Mas a ampliação do estádio não beneficiará o time, caso o Santos se classifique entre os oito finalistas do Campeonato Brasileiro. Na fase decisiva, o regulamento da competição exige estádios com pelo menos 40 mil lugares. Por isso, a equipe não poderá mandar seus jogos na Vila Belmiro.

A partida de domingo será a primeira que o Santos jogará em casa no Campeonato Brasileiro, depois de três jogos. Para atrair torcedores, o clube reduziu para R$ 5 o preço do ingresso para sócios e preparou um sorteio de prêmios no intervalo da partida.

Adversário espera empatar

O Goiás terá de refazer sua contabilidade, caso pretenda se classificar para a fase final do Brasileiro. Depois de um empate e uma derrota em casa, o time precisa pelo menos empatar contra Santos para manter suas chances, segundo a diretoria do clube.

Nas contas dos dirigentes, o Goiás só se classificaria para a etapa seguinte, caso empatasse todos os jogos fora de casa e vencesse as partidas no estádio Serra Dourada, em Goiânia.

O Goiás entra em campo com um único desfalque. Expulso contra o Flamengo, na quarta-feira, o volante Guará será substituído por Túlio, que vinha jogando como lateral-direito improvisado.

As falhas observadas pelo técnico Mauro Fernandes no setor defensivo, no último jogo, não deverão decretar mudanças.

Pelo menos, por enquanto, o zagueiro Tonhão (ex-Palmeiras) continuará no banco. Fernandes acredita que este ainda não é o momento de mudar a equipe. “A defesa vinha jogando bem. Fomos infelizes apenas em alguns lances contra o Flamengo”, disse.

Taticamente, contra o Santos, o time goiano deverá optar por uma posição mais defensiva, com Reidner e Túlio mais plantados à frente da zaga e a dupla Betinho e Marcelo atuando mais recuada.

No ataque, mais uma vez, Fernandes aposta na velocidade de Alex e na habilidade de Aloísio, artilheiro do time, com quatro gols.