Santos 2 x 3 São Paulo

Data: 07/03/1998, sábado, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 2ª fase – 1ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.689 pagantes
Renda: R$ 195.715,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartões amarelos: Marcos Assunção, Narciso e Caíco (S); Zé Carlos, Fabio Aurélio, Denílson e Rogério (SP).
Cartão vermelho: Serginho (SP).
Gols: Carlos Miguel (07-1), Ronaldão (32-1); Fabiano (04-2), Denílson (14-2) e Müller (17-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima (Arinelson), Argel, Ronaldão e Dutra; Marcos Assunção, Narciso, Jorginho e Caíco (Macedo); Müller e Caio.
Técnico: Emerson Leão

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Zé Carlos, Capitão, Márcio Santos e Serginho; Sidney (Edmílson), Carlos Miguel, Fabiano e Adriano (Fábio Aurélio); Dodô (Gallo) e Denílson.
Técnico: Nelsinho Baptista



Leão reconhece falhas do time

O técnico Emerson Leão, do Santos, não conseguiu dar uma explicação para a performance da sua equipe contra o São Paulo. “Não tem explicação. Erramos, merecemos perder”, disse.

Segundo o técnico, a equipe poderia ter definido a partida logo no primeiro tempo. “Poderíamos ter decidido o jogo. Nosso ataque tem média alta de gols na temporada, mas perde muitos gols em relação ao que cria”, disse.

“O Zetti sabe que errou. Tive uma rápida conversa com ele, expliquei que o importante é manter a tranquilidade. Perdemos o jogo pelos erros do ataque, que fique bem explicado”, completou.

O zagueiro Argel não esconde a irritação com o lateral Serginho, do São Paulo. “Está vendo esse vermelhão aqui?”, disse, mostrando as costas. “Foi do soco que levei do Serginho. Ele disse que fiz teatro. Por que ele tinha de passar por mim e dar o soco?”, completou Argel.

“Alguns jogadores não gostam de ser marcados e, como não têm maturidade, se perdem em campo. Fui contratado para jogar futebol, não sou desleal”, disse.

Falha faz Zetti ser criticado por torcida do Santos

O goleiro Zetti teve sua “noite de vilão” com a camisa do Santos. Ao falhar em dois dos três gols marcados pelo São Paulo, foi vaiado pela torcida santista, que gritou o nome do reserva Edinho.

Ao mesmo tempo, o goleiro foi aplaudido pela torcida do São Paulo, que gritava “ô, ô, ô, ô, Zetti é tricolor”. O goleiro santista já havia sido criticado antes, pelo gol de falta que levou de Djair no jogo com o Botafogo, na fase semifinal do Torneio Rio-São Paulo.

“A torcida tem o direito de vaiar. Ao cobrar o tiro de meta, chutei o chão e peguei errado na bola, que caiu nos pés do Denílson. Aconteceu o erro, não posso negar, e saiu o gol, o que é pior. Talvez se o jogo tivesse terminado 4 a 3 eu não seria tão cobrado pela torcida.”

Zetti afirmou que seu comportamento não vai mudar por causa das críticas que vem sofrendo. “Estou fazendo a minha parte. Acho que nunca errei um tiro de meta na minha carreira. Ninguém gosta de errar, mas faz parte do futebol. O professor Leão define quem é o titular. Ele sabe do meu potencial. A torcida gritou o nome do Edinho porque é ele o reserva imediato”, afirmou.