Santos 5 x 2 Avaí

Data: 22/08/2015, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.036 pagantes
Renda: R$ 289.880,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Alessandro Rocha Matos (BA) e Marcelo Barison (RS)
Cartões amarelos: Lucas Lima (S); Jéci, Romário e Adriano (A).
Gols: Gabriel (10-1), Thiago Maia (13-1) e Léo Gamalho (29-1); Ricardo Oliveira (02-2), Nilson (35-2), Léo Gamalho (37-2) e Lucas Lima (47-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz; Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel (Leandro), Ricardo Oliveira (Nilson) e Geuvânio (Marquinhos Gabriel).
Técnico: Dorival Júnior

AVAÍ
Diego; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Jéci e Marrone (Romário); Adriano, Pablo, Tinga (Roberto) e Camacho; Rômulo (Conrado) e Léo Gamalho.
Técnico: Gilson Kleina



Santos volta a se impor na Vila e constrói goleada sobre Avaí

O Santos não encontrou maiores dificuldades para se impor diante do Avaí na Vila Belmiro. De uniforme cinza, a equipe alvinegra foi superior na maior parte do confronto, na noite de sábado, e construiu sem grandes sustos sua sétima vitória em sete jogos dentro de casa desde o retorno do técnico Dorival Júnior: 5 a 2.

O resultado não fez mais do que deixar a formação paulista no meio da tabela do Campeonato Brasileiro, com 27 pontos, mas permitiu, no segundo tempo, o descanso de alguns jogadores para o duelo com o Corinthians, na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil. Estacionado nos 20, o Avaí entrou na zona de rebaixamento.

Em pouco mais de dez minutos, o Santos já havia aberto vantagem de dois gols: Gabriel completou, atrapalhado, cobrança de escanteio de Lucas Lima, e Thiago Maia fez boa finalização da entrada da área. Léo Gamalho, no entanto, recebeu nas cosas da defesa e manteve os visitantes no jogo até o intervalo.

Na etapa final, Ricardo Oliveira praticamente matou o jogo, logo aos dois minutos. O gol permitiu três substituições e botou em campo Nilson, autor do quarto gol. Léo Gamalho voltou a descontar, sem efetivamente criar qualquer esperança de reação na Vila. Já nos acréscimos, Lucas Lima bateu pênalti inexistente para fechar a contagem.

O jogo

O comportamento agressivo do Santos não demorou a render frutos. Ricardo Oliveira parou no goleiro Diego, mas, aos dez minutos, Lucas Lima bateu escanteio venenoso da direita. Após a saída em falso do goleiro, Gabriel chegou a se atrapalhar e, a um passo da linha, acertou o travessão. O rebote se ofereceu ao atacante para o gol.

Três minutos depois, uma bonita triangulação com participação de Geuvânio e Ricardo Oliveira acabou em conclusão de Thiago Maia no canto esquerdo. Só com dois gols de desvantagem o Avaí começou a avançar um pouco mais. Aos 29, Léo Gamalho recebeu nas costas da defesa e bateu cruzado para balançar a rede.

O Santos voltou do intervalo disposto a matar o jogo e o fez rapidamente. Aos dois minutos, Ricardo Oliveira recebeu de Geuvânio na esquerda, entrou na área com um toque na bola e finalizou de pé esquerdo, no canto direito do goleiro, deixando o triunfo bem encaminhado.

Começaram, então, as substituições de olho no confronto da próxima quarta, contra o Corinthians, em Itaquera. O Santos venceu o duelo de ida por 2 a 0, na Vila Belmiro, e visitará seu principal rival com boa vantagem na tentativa de ir às quartas de final da Copa do Brasil.

Geuvânio, Ricardo Oliveira e Gabriel foram substituídos por Marquinhos Gabriel, Nilson e Leandro. E uma jogada construída por Leandro, que errou passe e deu sorte, foi bem concluída por Nilson. Dentro da área, pela direita, o atacante bateu rasteiro para caracterizar uma goleada, aos 35.

Léo Gamalho voltou a marcar para o Avaí, dois minutos depois, completando de pé direito na entrada da pequena área após cruzamento e desvio de cabeça. Para fechar o placar, Lucas Lima agradeceu o pênalti dado por Leandro Pedro Vuaden quando ele tropeçou na área. A batida foi bem executada, aos 47, no canto esquerdo, e fez o Santos ir com ainda mais moral ao clássico em Itaquera.

Bastidores – Santos TV:

Satisfeito com produção do Santos, Dorival fala em “arrancada”

Dorival Júnior ainda adota alguma cautela, mas enxerga uma realidade diferente da que encontrou no retorno ao Santos. A equipe que lutava para escapar da zona de rebaixamento vem de boas partidas, está no meio da tabela do Campeonato Brasileiro e permite ao treinador sonhar com mais.

“Os jogadores deram uma resposta à altura do que esperávamos. Não posso pontuar coisas ruins”, afirmou, referindo-se especificamente à vitória por 5 a 2 sobre o Avaí, na noite de sábado, o sétimo triunfo em sete partidas na Vila Belmiro desde sua contratação.

“Mantendo essa postura, é natural que daqui a pouco a gente se consolide e vislumbre uma nova possibilidade. Começamos a caminhar em um segundo momento, a consolidação. Precisamos seguir essa caminhada para que tenhamos forças para brigar por coisas melhores na competição”, comentou Dorival.

Com 27 pontos, o Santos terminará a 20ª rodada do Nacional entre a décima e a 12ª colocação. A distância para a zona da degola será de ao menos seis pontos, porém o comandante alvinegro toma muito cuidado para demonstrar tranquilidade com essa diferença.

“Temos obrigação de nos manter na faixa do meio da tabela. Depois, podemos pensar em uma arrancada, em buscar outra situação. Estamos começando a passar aquela situação inicial. Espero que não voltemos. O Brasileiro é perigoso. Em duas, três rodadas, o discurso pode mudar. Não queremos mais voltar. E desejamos uma briga mais intensa por uma posição melhor”, concluiu o técnico.

Ricardo Oliveira quebra jejum após pênaltis perdidos e nega ansiedade

Após três partidas sem marcar, perdendo pênaltis em duas delas, Ricardo Oliveira quebrou o jejum na noite de sábado, na vitória por 5 a 2 do Santos sobre o Avaí. O atacante fez o terceiro gol do Santos na Vila Belmiro e negou que estivesse aflito com o período em branco.

“Com toda a sinceridade, eu não estava ansioso”, disse o centroavante, admitindo que a percepção do técnico Dorival Júnior era diferente. “Ele me abraçou e falou para eu ter calma, que eu estava ansioso, acho que teve essa percepção. Sei fazer gols. A bola não entrava, mas sabia que ia entrar. Nunca me afobei.”

Se não se afobou, Ricardo Oliveira mostrou algum aborrecimento com os erros em jogos anteriores. “Confesso que estava incomodado. Nunca é bom ficar tanto tempo sem fazer gols. Mas entramos em campo tranquilo, sem pensar no Corinthians. Se pensássemos, teria sido ruim”, comentou.

Quando ele balançou a rede de pé esquerdo, no entanto, Dorival começou a pensar no clássico. Com vantagem de 2 a 0 nas oitavas de final da Copa do Brasil, começou a dar descanso a alguns titulares, começando suas substituições justamente com o atacante de 35 anos.

“Primeiro, quis deixar que ele fizesse o gol. Depois, a saída foi no sentido de poupar mesmo”, comentou o treinador, que previu dificuldades no estádio de Itaquera. O duelo com o Corinthians por uma vaga nas quartas de final está marcado para a noite de quarta-feira.

Como tirou Ricardo Oliveira, ele não estava em campo para bater o pênalti conseguido por Lucas Lima já nos acréscimos. O meia tropeçou no gramado e não conseguiu explicar por que Leandro Vuaden apontou a marca penal. “Alguma coisa me desequilibrou ali, nem sei o que foi. Eu caí”, sorriu.

Geuvânio suspenso
Por falta cometida ainda no primeiro tempo, Geuvânio recebeu o terceiro cartão amarelo no triunfo alvinegro sobre o Avaí. O atacante cumprirá suspensão no próximo final de semana, na visita que a formação da Vila Belmiro fará ao Cruzeiro no Mineirão.