Sport Recife 4 x 1 Santos

Data: 13/05/2007, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio Ilha do Retiro, em Recife, PE.
Público: 24.736 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Antônio Hora Filho (SE).
Auxiliares: Almirdrovando da Silva Lima e Ivaney Alves de Lima (ambos de SE).
Cartões amarelos: Victor Júnior (SR); Vinícius, Leonardo, Roger e Carlinhos (S).
Cartão vermelho: Adaílton (S)
Gols: Pedrinho (02-1), Weldon (10-1), Fumagalli (36-1) e Durval (40-1); Washington (46-2).

SPORT RECIFE
Magrão; Osmar, Du Lopes, Durval e Bruno; Bia, Éverton, Fumagalli e Vítor Júnior (Diogo); Weldon (Luciano Henrique) e Carlinhos Bala (Washington).
Técnico: Giba

SANTOS
Roger; Dionísio, Domingos e Adaílton; Neto, Adriano, Vinícius (Hudson), Rodrigo Tabata e Carlinhos; Pedrinho (Fabinho) e Jonas (Moraes).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



De virada e repleto de reservas, Santos cai diante do Sport

Com as atenções voltadas para a disputa da Copa Libertadores, o Santos mandou a camp, neste domingo, um time quase inteiro de reservas e foi goleado pelo Sport por 4 a 1, na estréia das equipes no Campeonato Brasileiro, na Ilha do Retiro, em Recife.

A fim de poupar os principais titulares de duas viagens desgastantes, o treinador Vanderlei Luxemburgo preferiu dividir o grupo em dois – o principal já seguiu para o México, onde enfrentará o América na próxima quarta-feira, pelas quartas-de-final da competição continental.

O que permaneceu no país e se deslocou ao Nordeste para enfrentar o atual campeão pernambucano encontrou muitas dificuldades. Com oito reservas em relação aos dois últimos jogos, o Santos não conseguiu repetir as atuações que o credenciaram como melhor time do Campeonato Paulista.

Apesar disso, a equipe da Baixada saiu na frente do marcador. E com gol de um dos jogadores mais experientes escalados por Luxemburgo. O meia Pedrinho, que atuou um pouco mais avançado, como um segundo atacante, acertou lindo chute em cobrança de falta logo aos 2min.

Mas a alegria dos visitantes durou pouco. Com muita vontade, o Sport passou a dominar a partida que marcou a sua volta à elite do futebol nacional após cinco anos – caiu em 2001. Aos 10min, o atacante Weldon, que teve passagem pela Vila Belmiro, vazou o goleiro Roger com um lindo toque de cobertura.

Motivado pela sua torcida, que compareceu em grande número no dia do aniversário de 102 anos de fundação do clube rubro-negro, e pela estréia do técnico Giba, o Sport alcançou a virada. Também em cobrança de falta, Fumagalli, outro que já atuou pelo time santista, virou o jogo, aos 36min.

A jogada que originou o segundo gol pernambucano foi alvo de muitas reclamações dos alvinegros. O técnico Vanderlei Luxemburgo considerou equivocada a marcação da falta no lance e cobrou bastante o quarto árbitro, além de queixar-se de faltas que teriam sido cometidas pelo adversário.

“É difícil jogar aqui contra o Sport. Mas as mesmas faltas que ele [árbitro] marcou para o Sport, aconteceram com o Santos. Eles têm um grande time, mas isso acaba minando nossa equipe muitas vezes”, reclamou Pedrinho, no intervalo.

Antes do término do primeiro tempo, Durval aumentou a vantagem dos anfitriões. O zagueiro aproveitou cruzamento de Victor Júnior, pela direita, e subiu mais do que toda a defesa santista para anotar o terceiro, de cabeça.

Na etapa final, depois da expulsão do zagueiro Adaílton, outro dos “experientes” que jogaram – a sua segunda seguida, já que havia sido advertido com o cartão vermelho diante dos venezuelanos do Caracas, pela Libertadores -, a situação se complicou ainda mais para o Santos. Nos acréscimos ao tempo regulamentar, Washington sacramentou o resultado.

Na próxima rodada do Brasileiro, após seu compromisso pela Libertadores, o Santos receberá o América-RN, no sábado, na Vila Belmiro, às 18h10. Já o Sport irá encarar o Vasco, no Rio de Janeiro, um dia depois, no mesmo