Bragantino 0 x 0 Santos

Data: 14/04/2007, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – Semifinal – Jogo de ida
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 27.895 pagantes
Renda: R$ 532.110,00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho
Auxiliares: Ednílson Corona e Aline Lambert
Cartões amarelos: Zelão, Moradei e Luís Henrique (B) (2); Pedro, Adaílton, Denis e Rodrigo Tiuí (S).
Cartão vermelho: Luís Henrique (B)

BRAGANTINO
Felipe; Cadu, Zelão e Luís Henrique; Júlio César, Adriano, Moradei, Somália (Neizinho) (Mário) e André; Evandro e Alex Afonso (Juliano)
Técnico: Marcelo Veiga

SANTOS
Fábio Costa; Pedro (Denis), Adaílton, Antônio Carlos e Kleber; Rodrigo Souto (Rodrigo Tabata), Maldonado, Cléber Santana (Pedrinho) e Zé Roberto; Rodrigo Tiuí e Marcos Aurélio
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Defesa do Bragantino pára o Santos, e 1ª semi acaba sem gols

Segunda melhor do Campeonato Paulista, a defesa foi um dos grandes trunfos do Bragantino para garantir um lugar entre os quatro primeiros da competição. Neste sábado, no Pacaembu, a zaga do time de Bragança Paulista voltou a funcionar. Tanto é que segurou o Santos, dono do ataque mais positivo – e da melhor campanha – do torneio estadual e determinou um empate por 0 a 0 na abertura das semifinais.

“O time deles marcou demais. O Bragantino entrou em campo disposto a apenas se defender e nós tivemos muita dificuldade para encontrar espaços. As coisas não funcionaram para a nossa equipe”, confirmou o meio-campista santista Cléber Santana.

O resultado contraria o histórico do Santos nesta temporada. O time dirigido por Vanderlei Luxemburgo, que fez 45 gols apenas no Campeonato Paulista, havia deixado de balançar as redes adversárias apenas no revés por 2 a 0 para o São Bento, na fase de classificação do Estadual, sua única derrota em 2007.

A falta de poderio ofensivo do Santos não representou, contudo, um problema tático. O time alvinegro apresentou a mesma organização da fase de classificação e conseguiu trabalhar bem a bola. Entretanto, esbarrou na atuação apagada de suas principais armas de ataque – sobretudo o meia Zé Roberto, que sofreu excelente marcação do volante Adriano.

“Não só eu, mas o Cléber Santana também teve pouco espaço para jogar. O Bragantino se aproveitou do fato de jogar em um campo pequeno, jogou com três zagueiros e três homens de marcação no meio-campo e não deu espaços para nós trabalharmos a bola”, analisou Zé Roberto.

Com a forte marcação, o Bragantino confirmou o sucesso da postura que adotou desde o início do confronto deste sábado. O time do interior foi armado pelo técnico Marcelo Veiga para conter os principais pontos fortes do Santos e não se abriu sequer para tentar os contra-golpes.

A postura contida do Bragantino ficou clara no segundo tempo. Logo depois da expulsão do zagueiro Luís Henrique, aos 17min, Marcelo Veiga abdicou dos jogadores mais ofensivos e preferiu reforçar a zaga da equipe. Prontamente, o treinador trocou o atacante Alex Afonso e o meia Neizinho pelos jogadores Juliano e Mário, respectivamente. “Nós começamos dispostos a defender, mas vimos que houve espaço até para conseguir um resultado melhor. Tivemos chances para matar o jogo”, lamentou o atacante Alex Afonso, que perdeu uma das melhores oportunidades do time do interior.

Assim, o Bragantino adiou a decisão da semifinal do Campeonato Paulista para o segundo jogo. Como tem vantagem por ter feito melhor campanha, o Santos precisa apenas de outro empate para assegurar um lugar entre os dois primeiros colocados e seguir sonhando com o bicampeonato.

“Conseguimos dar o primeiro passo nessa semifinal, que era evitar a derrota. Agora vamos decidir tudo no segundo jogo, no Morumbi. Temos condições de surpreender o Santos e vamos tentar mostrar isso em campo”, projetou o lateral-esquerdo André, um dos destaques do Bragantino neste sábado.

O segundo confronto entre Santos e Bragantino está marcado para 16h de domingo, dia 22 de abril, no Morumbi. Antes disso, porém, o time do litoral entrará em campo para disputar a última partida da fase de classificação da Copa Libertadores, na quarta-feira, quando receberá o Deportivo Pasto na Vila Belmiro e tentará manter 100% de aproveitamento.