Atlético-MG 1 x 2 Santos

Data: 01/08/2007, quarta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, MG.
Público: 22.038 pagantes
Renda: R$ 281.931,00
Árbitro: Luis Antônio Silva Santos (RJ)
Auxiliares: Aristeu Leonardo Tavares (Fifa-RJ) e Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ)
Cartões amarelos: Carlinhos, Kléber, Rodrigo Souto, Rodrigo Tabata e Adaílton (S); Lúcio (A).
Gols: Marcos Aurélio (33-1); Kléber Pereira (14-2) e Danilinho (26-2).

ATLÉTICO-MG
Edson; Coelho, Marcos, Leandro Almeida e Thiago Feltri; Rafael Miranda (Bilu) (Vanderlei), Xaves, Marcinho e Danilinho; Éder Luís (Lúcio) e Paulo Henrique
Técnico: Leão

SANTOS
Fábio Costa; Adaílton, Domingos e Marcelo; Alessandro, Dionísio, Rodrigo Souto, Kléber e Carlinhos; Marcos Aurélio (Rodrigo Tabata) e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos, de Luxa, quebra jejum, ao vencer o Atlético, de Leão

No duelo entre os times treinados por Leão e Vanderlei Luxemburgo, o Santos levou a melhor, ao vencer o Atlético-MG, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, recuperando-se das duas derrotas seguidas para Goiás e Náutico. O alvinegro mineiro, por sua vez, teve interrompida a seqüência de dois triunfos, desde que houve a troca de técnico, com a saída de Zetti.

Luxemburgo optou por deixar Rodrigo Tabata no banco, promovendo a entrada de Carlinhos na lateral esquerda, deslocando Kléber para o meio. E essa alternativa, acabou se mostrando como uma jogada de mestre, já que Kléber foi o responsável direto pelos dois gols santistas, dando uma qualidade ao meio-campo do seu time, que faltou à equipe de Leão.

Em ascensão no Brasileiro, ao contrário do adversário, o Atlético-MG era apontado como favorito, mas, com a bola rolando não conseguiu confirmar essa condição e também o mando de campo. Uma vitória atleticana levaria o time de Leão a se aproximar do G-4, objetivo não alcançado. Já o Santos conseguiu se afastar da zona de risco.

Com a vitória como visitante o Santos chegou aos 21 pontos em 48 possíveis (aproveitamento de 43,75%), reduzindo de quatro para apenas um ponto a sua diferença em relação ao seu adversário desta quarta-feira. O Atlético se manteve com 22 pontos em 16 jogos (rendimento de 45,83%).

O frio da Pampulha, região onde está localizado o Mineirão, em torno de 16 graus, parece ter contagiado os jogadores em campo. O primeiro tempo foi monótono e praticamente sem ação. A não ser pelo contra-ataque santista, que resultou no gol, aos 33min, Rodrigo Souto recuperou a bola, passou a Kléber, que deixou Marcos Aurélio livre para bater de perna esquerda e vencer o goleiro Edson.

O Atlético, que havia perdido Rafael Miranda, aos 30min da primeira etapa, por contusão, voltou mudado para o segundo tempo. Leão trocou Éder Luís por Lúcio, numa tentativa de organizar melhor as jogadas ofensivas, mas foi o Santos, que quase marcou. Aos 4min, Marcos Aurélio, livre à frente do goleiro Edson, desperdiçou a chance de ampliar.

O Santos, de Luxemburgo, não modificava a sua forma de atuar. Esperava o Atlético, fechado no seu campo, mas chegava com velocidade no contra-ataque, principalmente por intermédio do toque de qualidade de Kléber. Aos 14min, o camisa 10 santista colocou a bola por cima da zaga adversária e Kléber Pereira marcou de letra.

Na base da raça, o Atlético partiu para tentar a reação. Leão tirou Bilu, que havia substituído Rafael Miranda, colocando o atacante Vanderlei. O Atlético diminuiu, aos 26min, quando Danilinho aproveitou rebote de Fábio Costa e marcou de cabeça. Com o apoio da sua torcida, o time mineiro tentou o empate, expondo-se aos perigosos contra-ataques santistas, tornando a partida emocionante.

Após perder em casa, o que aconteceu pela 3ª vez no atual Brasileiro, o Atlético-MG vai tentar a recuperação em Caxias do Sul, no próximo domingo, diante do Juventude. Já o Santos recebe o Flamengo, no mesmo dia, na Vila Belmiro.