Santos 3 x 0 Boca Juniors

Data: 13/01/2021, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores 2020 – Semifinal – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Auxiliares: Alexander Guzman e John Leon (ambos da COL).
VAR: Julio Bascuñan (CHI)
Cartões amarelos: Diego Pituca (S); Salvio e Izquierdoz (BJ).
Cartão vermelho: Fabra (BJ).
Gols: Diego Pituca (15-1); Soteldo (03-2) e Lucas Braga (05-2).

SANTOS
João Paulo; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan (Jean Mota); Alison (Vinicius Balieiro), Diego Pituca (Sandry) e Soteldo (Jobson); Marinho, Lucas Braga (Madson) e Kaio Jorge.
Técnico: Cuca

BOCA JUNIORS (ARG)
Andrada; Jara (Buffarini), Lisandro López, Izquierdoz e Fabra; Campuzano, González (Capaldo), Salvio (Mas) e Villa; Tévez e Soldano (Ábila).
Técnico: Miguel Angel Russo



Santos amassa o Boca Juniors e enfrentará o Palmeiras na final da Libertadores

O Santos foi amplamente superior ao Boca Juniors (ARG) e venceu por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo duelo de volta da semifinal da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Diego Pituca, Soteldo e Lucas Braga.

Com 3 a 0 no agregado, o Peixe enfrentará o Palmeiras na grande decisão do dia 30 de janeiro, no Maracanã, em partida única. O Alvinegro pode ser o primeiro tetracampeão do país.

O Santos foi melhor que o Boca desde o início e teve a vida facilitada com a expulsão de Fabra aos 10 minutos do segundo tempo, quando já estava 3 a 0 para o Peixe.

O Boca Juniors havia sofrido três gols em 11 jogos na Libertadores, os mesmos três gols em suas redes durante 50 minutos jogados na Vila Belmiro.

Em alta, o Santos voltará a campo para enfrentar o Botafogo no domingo, novamente na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo

O Santos, assim como na vitória sobre o Grêmio, começou a partida em ritmo alucinante. No primeiro minuto, Marinho acertou a trave.

O Peixe continuou em cima a assustou com Kaio Jorge e Diego Pituca nos minutos 11 e 12. E o Boca não conseguiu mais resistir. Quando o placar marcava 15 jogados, Soteldo finalizou e a bola bateu na mão de López. Enquanto os jogadores reclamavam de pênalti, Pituca girou e fez o primeiro.

Com a vantagem parcial, o Boca Juniors se lançou mais ao ataque, mas não foi perigoso. Enquanto o Alvinegro passou a aproveitar os contra-ataques. Kaio Jorge e Marinho quase ampliaram nos minutos 43 e 44.

E o domínio do Santos se transformou em domínio no placar em poucos minutos. Aos 3, Soteldo recebeu de Felipe Jonatan e fez um golaço. Aos 5, Lucas Braga recebeu de Marinho e marcou o terceiro do Peixe.

Aos 10 minutos, Fabra pisou em Marinho e foi expulso, tornando a vida do Santos ainda mais fácil. Aos 13, porém, Salvio parou em grande defesa de João Paulo. Susto para os santistas.

O Santos voltou a se organizar e quase fez o quarto no minuto 23, quando Marinho recebeu de Pará e bateu perto da trave esquerda de Andrada. Aos 26, Villa cruzou, ninguém desviou e João evitou o gol do Boca no reflexo.

Nos minutos finais, o Santos administrou o resultado e esteve mais perto do quarto gol do que o Boca de diminuir. Classificação merecida para a final da Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Cuca lembra premonição, destaca estratégia e diz: “Santos tem que comemorar dobrado”

Cuca voltou ao Santos em agosto de 2020 em momento difícil, com crise técnica e financeira. E na primeira reunião com o elenco, profetizou: “Vamos chegar na final da Libertadores da América”.

E o Peixe chegou ao eliminar o Boca Juniors com um sonoro 3 a 0 na Vila Belmiro nesta quarta-feira. O adversário da decisão no Maracanã será o Palmeiras.

“Falei para o pessoal que tínhamos o Brasileiro para estar entre os oito e que chegaríamos à final da Libertadores. Falei toda vez, me tornei chato. Hoje eu falei de novo que tínhamos que ganhar, não empatar. Senti isso desde o primeiro dia. Time está em oitavo e na final da Libertadores. Para mim é uma satisfação fora do comum. Dificuldades são muito grandes. A gente não pode contratar, tem dificuldade no pagamento, na premiação. E sempre jogamos abertos, eles não ficam de picuinha e cara virada. Por isso chegamos, eles fazem por amor. Em qualquer outra situação se rebelam, aqui é diferente”, disse Cuca.

“A gente vai para uma final e canta o hino, me boto no lugar de qualquer torcedor e estaria chorando. Além de dar a vida, com a dificuldade financeira, promovemos meninos e indo para uma final de Libertadores. É um sonho realizado. Temos que agradecer a Deus por nos honrar tanto. Temos feito coisas muito bonitas e se Deus quiser vamos conseguir esse título”, completou.

Ao ser questionado se é o melhor trabalho da sua carreira, Cuca falou que o Santos precisa “comemorar dobrado” diante das dificuldades.

“Não sei se é melhor, mas tive grandes trabalhos. Aqui a dificuldade é muito maior. Os motivos vocês sabem, mas é muito gratificante entregar ao torcedor uma final de Libertadores. Isso não tem preço, tem valor. É nosso combustível. Se entregar ao máximo para tirar o máximo deles e ver resultado acontecer. É tão legal, não é sempre que acontece isso. Normalidade não é essa. Normalidade é clube em dia e investindo mais chegar, aqui foi oposto. Temos que comemorar dobrado”, avaliou.

O treinador também falou sobre a estratégia para vencer o Boca. A previsão era de Soteldo como meia, mas o camisa 10 atuou aberto, com Lucas Braga ao lado de Kaio Jorge.

“Cada jogo é uma história. Hoje jogamos diferente, jogamos com Lucas Braga fazendo segundo homem com Kaio Jorge, e Soteldo aberto. Coisas pequenas podem mexer em uma engrenagem, adversário também nos estuda. Usamos outro esquema e isso mexe, usamos velocidade de dentro para fora, com técnica pelo lado. Diferente da Argentina. Poderia entrar com o Sandry, mas quisemos entrar para ganhar e não para segurar. Graças a Deus deu certo”, concluiu.

Cuca comenta preleção de Pelé antes do Santos eliminar o Boca Juniors

O técnico Cuca revelou que fez um pedido especial antes da partida entre Santos e Boca Juniors, que garantiu o Peixe na final da Libertadores. Maior ídolo da história do futebol, Pelé fez parte da preleção, o que, segundo o treinador, motivou ainda mais o elenco.

“Edinho é treinador do sub-23. Falei com o Edinho se o Pelé poderia falar um pouco com a gente. Não há motivação maior. Está debilitado, não se locomove sozinho. Ficou um pouco constrangido, mas insisti e ele falou com a gente depois da parte tática. Uma caixa de som, brincou com o pessoal. Falamos que ofereceríamos a vitória a ele. Quem diria? Oferecer uma vitória ao Pelé. É o maior orgulho que nós brasileiros temos no desporto geral. Não só no desporto, em tudo. É orgulho, é coisa boa. Ele dirigir palavras a nós. Falou de ter acima de tudo fé. Foi maravilhoso, todos aplaudimos e saímos para o jogo super motivados”.

O Rei Pelé participou da preparação do Santos para vencer o Boca Juniors (ARG) por 3 a 0 na Vila Belmiro e se classificar para enfrentar o Palmeiras na Libertadores da América.

Em entrevista coletiva, o técnico Cuca dedicou a vitória a Pelé.

“Agradeço ao Rei (Pelé) pelo que fez. Entrou ao vivo com o grupo na concentração. Como brasileiro falando, é o único orgulho que temos hoje, de falar que somos brasileiros pelo Pelé. Participou da nossa conquista nos motivando mesmo estando como ele está. É para você”, disse Cuca.

A festa no vestiário após a classificação para a final da Libertadores:

Soteldo lembra de ‘perrengues’ no Santos e manda recado ao Boca: “Aqui quem manda somos nós”

Eleito melhor em campo pela Conmebol, Soteldo lembrou dos “perrengues” do Santos após a vitória por 3 a 0 sobre o Boca Juniors (ARG) nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

O camisa 10 fez um dos gols da classificação do Peixe para enfrentar o Palmeiras na final da Libertadores da América.

“Me arrepia, a gente passou por muita coisa no começo do ano, mas Deus compensou hoje tudo o que a gente vem fazendo. É agradecer a Deus por esse prêmio que a gente ganhou, trabalhamos para isso, mas agora é trabalhar e pensar na final. Agradeço esse grupo, merecemos a classificação hoje”, disse Soteldo.

O venezuelano lembrou da ausência por covid-19 contra o Grêmio e mandou recado ao Boca.

“Feliz com o gol. Fiquei triste por não jogar contra o Grêmio, mas eu confiava nos meus companheiros. Esse time que a gente tem é muito forte”, afirmou.

“Na nossa casa não são bem-vindos, não vão jogar, aqui quem manda somos nós”, concluiu.

Marinho cobra salários atrasados do Santos a superintendente: “Quando vocês vão pagar a gente?”

Após vencer o Boca Juniors por um sonoro 3 a 0 e classificar para a final da Libertadores, o Santos parece ter problemas financeiros nos bastidores. Marinho aproveitou uma live realizada no Instagram para cobrar os salários atrasados.

Marinho comandou a live no Instagram após a classificação da equipe. A estrela do Santos chamou o superintendente de esportes, Felipe Ximenes, e perguntou: “Quando vocês vão pagar a gente?” – o diretor cravou: “Amanhã!”

O Santos deve direito de imagem, parte das férias e premiações atrasadas aos jogadores. Vale destacar que o direito de imagem é parte do salário para a maioria dos atletas.

Argentinos relatam foguetório de torcedores do Santos na frente do hotel do Boca Juniors

O embate entre Santos e Boca Juniors pela semifinal da Libertadores segue com polêmicas fora de campo. O jornal TyC Sports, da Argentina, informou nesta quarta-feira que torcedores do Peixe realizaram um foguetório nos arredores do local onde o elenco xenize está hospedado.

A publicação aponta que os fogos de artifício puderam ser ouvidos ao longo de toda a madrugada, atrapalhando o sono dos jogadores argentinos.

Esta não é a primeira polêmica envolvendo o duelo entre o Alvinegro e o Boca. Na semana passada, o Peixe relatou que o ônibus da delegação foi apedrejado na Argentina. A partida de ida também contou com problemas de arbitragem e com os testes de covid-19, com dois atletas do time brasileiro testando positivo logo após o jogo.

Boca Juniors sofre contra o Santos o mesmo número de gols de 11 jogos

O Boca Juniors havia sofrido três gols em 11 jogos da Libertadores da América. E o bom desempenho defensivo dos argentinos caiu por terra na Vila Belmiro.

O Boca sofreu os mesmos três gols em 50 minutos contra o Santos na derrota por 3 a 0 nesta quarta-feira. O Peixe avançou para enfrentar o Palmeiras na final da competição continental.

Palmeiras e Santos, inclusive, tiveram a melhor campanha da fase de grupos. A grande decisão será no dia 30 de janeiro, em partida única no Maracanã.

Cuca “agradece” bloqueio de contratações no Santos e destaca ascensão de jovens

Um dos grandes méritos do Santos para a arrancada até a final da Libertadores foi a boa utilização dos jovens da base. Sem poder contratar por conta de punições da Fifa, o Peixe precisou se voltar novamente para os atletas formados no clube, que não decepcionaram.

Em entrevista ao Sportv, o técnico Cuca comentou a situação e “agradeceu” a punição, que o fez dar mais oportunidades aos Meninos da Vila, que ajudaram a levar o clube a sua quinta final da principal competição do continente.

“Tivemos o transfer ban, não pudemos contratar e por isso eu digo que tudo que Deus faz é bom. Eu poderia não ter acertado em algumas contratações e os nossos jogadores não terem a mesma resposta desses meninos”.

O Santos chegou a se acertar com três reforços, que acabaram ficando em seus clubes: Elias (que rescindiu com o Bahia), José Welison (Botafogo) e Thaciano (Grêmio). Elias treinou por alguns dias no CT Rei Pelé.