Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 09/12/2020, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de ida
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Juan Benitez (PAR)
Auxiliares: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do PAR).
VAR: Eber Aquino (PAR)
Cartões amarelos: Diogo Barbosa, Maicon e Matheus Henrique (G); Luan Peres, Jobson, Diego Pituca e Sandry (S).
Cartão vermelho: Diego Pituca (S).
Gols: Kaio Jorge (35-1); Diego Souza (56-2, de pênalti).

GRÊMIO
Vanderlei; Victor Ferraz (Churín), Geromel, Kannemann e Diogo Barbosa; Maicon (Darlan), Matheus Henrique e Pinares (Everton); Luiz Fernando (Ferreira), Pepê e Diego Souza.
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
John; Pará (Jean Mota), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Sandry (Vinicius Balieiro) e Jobson (Alison); Marinho (Bruno Marques), Lucas Braga e Kaio Jorge (Madson).
Técnico: Cuca



Com gol sofrido no fim, Santos empata com o Grêmio em Porto Alegre pela Libertadores

O Santos empatou com o Grêmio em 1 a 1 a noite desta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América. Os gols foram marcados por Kaio Jorge e Diego Souza.

Mesmo sem Soteldo, com covid-19, o Peixe controlou a partida desde os primeiros minutos e cedeu poucos espaços ao Tricolor. Nos minutos finais, porém, os donos da casa esboçaram reação e conseguiram um pênalti com o auxílio do VAR nos acréscimos. Bola no braço de Vinicius Balieiro. Diego Souza converteu com categoria.

Com o empate com gols, o Santos pode empatar por 0 a 0 na Vila Belmiro na próxima quarta para avançar à semifinal. Novo 1 a 1 levaria a decisão para os pênaltis. E quem vencer, obviamente, passa.

O jogo

O Santos não deixou o Grêmio controlar o jogo em momento algum. O Peixe adiantou as linhas e freou a pressão inicial dos donos da casa. A partir da metade do primeiro tempo, o Alvinegro passou a dominar.

O Santos finalizou seis vezes, contra apenas um chute do Tricolor. E a vantagem tática se transformou em gol aos 35 minutos. Pará cruzou, Vanderlei saiu errado, Felipe Jonatan desviou e Kaio Jorge completou.

A tônica continuou a mesma na etapa final. Um Grêmio pouco criativo diante de um Santos organizado e perigoso no contra-ataque. O Peixe seguiu finalizando mais que o adversário.

Sem espaço, o Tricolor abusou da bola parada e das finalizações de fora da área. Aos 21, David Braz cobrou falta de longe e obrigou John a fazer boa defesa.

Aos 23, o Santos respondeu. Diego Pituca finalizou de longe, Vanderlei espalmou e no rebote a bola sobrou limpa para Kaio Jorge, que bateu cruzado e a bola passou muito perto.

Nos minutos finais, o Peixe recuou, porém, o Grêmio seguiu praticamente inofensivo. Com a expulsão de Diego Pituca, os donos da casa avançaram e conseguiram o empate em um pênalti. Com auxílio do VAR, a arbitragem assinalou braço de Vinicius Balieiro. Diego Souza converteu aos 56 minutos da etapa final.

Cuca valoriza estratégia “corajosa” do Santos, mas lamenta pênalti “inconclusivo” no empate com o Grêmio

Cuca valorizou a estratégia do Santos no empate em 1 a 1 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América.

O Peixe foi melhor na maior parte do tempo, mas sofreu o gol aos 56 minutos do segundo tempo, em pênalti polêmico convertido por Diego Souza após auxílio do VAR. Vinicius Balieiro tocou com o braço na bola após cruzamento.

“Grêmio joga um dos melhores futebol do Brasil, grande elenco, treinador com cinco anos à frente do clube. Quem vem aqui pensando em defender fatalmente perde. Então viemos para jogar, com coragem, e criamos chances, até mais que o Grêmio. Perdemos gols claros no segundo tempo que poderiam ter definido o confronto e fomos penalizados no fim com gol de empate. Não é a primeira vez, outro lance inconclusivo. Não vou falar de arbitragem, ficamos reféns de uma interpretação, lupa ou microcâmera para pegar detalhe que não está no sentimento do jogo. Se jogador quis tomar vantagem ou foi casual. Apesar do grande jogo do Santos, saio profundamente chateado com o resultado”, disse Cuca.

“Jogo teve de tudo, deixa sabor bom pelo que o time jogou. São poucos times que envolvem o Santos, sempre batemos de frente. Fica a frustração pelos gols perdidos em uma bela partida e maneira como tomamos o gol no fim do jogo, com um jogador expulso. Arbitragem mexe no emocional. Expulsa um do Grêmio e VAR retira, amarela e quase te expulsa. Grêmio não teve reais chances de gol, aquele momento de pensarmos que íamos empatar. Fizemos as trocas em cima do cansaço. Jogadores sentiram, foi muita intensidade nossa. Se antes do jogo soubéssemos que era 1 a 1, seria um baita resultado. E não foi um baita resultado pelo que jogamos”, completou.

Outro que reclamou da arbitragem foi Kaio Jorge. E o atacante foi mais incisivo.

“Na minha visão não foi pênalti. Árbitro mal viu o replay. Acho que meteram a mão na gente ali”, afirmou.

Kaio Jorge lamenta falta de “capricho” do Santos em empate com o Grêmio

Autor do gol, Kaio Jorge lamentou a falta de “capricho” do Santos no empate em 1 a 1 com o Grêmio nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores da América.

O Peixe fez 1 a 0, teve chances de ampliar e sofreu o gol aos 56 minutos do segundo tempo, num pênalti convertido por Diego Souza com o auxílio do VAR. Vinicius Balieiro tocou com o braço na bola.

“Estamos muito vivos. Próximo jogo é na nossa casa”, disse Kaio.

“Fizemos excelente primeiro tempo e poderíamos ter feito mais gols. Na Vila temos que caprichar mais”, completou.