Vasco 1 x 0 Santos

Data: 20/12/2020, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 26ª rodada
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Arbitragem: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha de Matos e Guilherme Dias Camilo (ambos de MG).
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG).
Cartões amarelos: Jadson, Henrique, Ricardo Sá Pinto (V).
Gol: Carlinhos (08-1).

VASCO
Fernando Miguel; Léo Matos, Jadson, Leandro Castán e Henrique; Andrey, Marcos Júnior (Bruno Gomes) e Juninho (Marcelo Alves); Carlinhos (Yago Pikachu), Vinícius (Gustavo Torres) e Germán Cano (Tiago Reis).
Técnico: Ricardo Sá Pinto

SANTOS
John; Fernando Pileggi (Bruninho), Luiz Felipe (Soteldo), Alex e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Sandry (Lucas Lourenço); Lucas Braga, Madson (Marinho) e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca



Santos perde para o Vasco em São Januário

O Santos sentiu falta de seus principais jogadores e acabou derrotado pelo Vasco da Gama por 1 a 0, no Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, na tarde deste domingo.

Depois de garantir vaga às semifinais da Copa Libertadores da América, Cuca colocou Marinho e Soteldo apenas no segundo tempo do duelo pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O time da Baixada Santista até pressionou, criou chances para empatar, mas parou no goleiro Fernando Miguel.

Carlinhos, que completou cruzamento de Léo Matos, aos oito minutos do primeiro tempo, em contra-ataque fatal dos mandantes, marcou o único gol do jogo.

O resultado deixou o Santos com 38 pontos, na oitava colocação na tabela de classificação. O Vasco foi a 28 pontos, com um jogo a menos, mas segue na zona de rebaixamento.

Cuca tenta enxergar lado positivo em derrota do Santos: “Não jogou mal”

O Santos voltou a perder no Campeonato Brasileiro depois de entrar em campo com um time muito desfalcado.

Neste domingo, o revés foi para o Vasco, em São Januário, por 1 a 0.

O técnico Cuca fez uma avaliação do jogo sem “caça às bruxas” e procurou até mesmo enxergar pontos positivos no confronto que sucedeu a classificação do time às semifinais da Copa Libertadores da América.

“Finalizou bastante, 19 vezes é um número alto, fora de casa, mas não fomos felizes nas finalizações, Fernando Miguel pegou bolas difíceis e nas demais não tivemos a fortuna de fazer o gol (…) Tivemos controle, a posse de bola, mas não tivemos a eficácia para empatar. Mais mérito do Vasco”.

Leia mais respostas de Cuca na coletiva de imprensa:

19 finalizações
“Finalizou bastante, 19 vezes é um número alto, fora de casa, mas não fomos felizes nas finalizações, Fernando Miguel pegou bolas difíceis e nas demais não tivemos a fortuna de fazer o gol. O Vasco finalizou menos, mas saiu na frente, fez o gol. No momento que o Vasco vive, os três pontos são a coisa mais importante, e eu entendo, a luta para sair da zona da confusão, e eles passaram a administrar o resultado, fizeram bem, fecharam bem as linhas, marcaram bem. Tivemos controle, a posse de bola, mas não tivemos a eficácia para empatar. Mais mérito do Vasco”.

Time desligado
“Nós tivemos até antes do Vasco uma oportunidade de fazer o gol. Não é desligado. O Vasco teve a oportunidade e fez o gol, e aí passa a ser outro jogo, você tem que remar, ter paciência, conseguimos ver o Fernando na lateral, que vinha treinando bem, demos um pouco de jogo para o Soteldo, que duas semanas não participa de nada, nenhuma atividade, preservamos o Marinho, que estava cansado. Perdemos a nossa dupla de zaga, o Veríssimo e o Luan Peres, e o Pará, então, também é bom para ver que de forma fazer. Lançamos mais uma vez os meninos para tentar o empate e, infelizmente, não foi suficiente. Saber que não jogou mal, mas não veio o resultado”.

Falta de criatividade
“Lógico que não. A gente não tem essa jogada como a forte, mas são situações diferentes, jogamos contra um time reativo. Quando não se tem a velocidade, como o Vasco não nos deixou ter hoje, você tem de ter a criatividade, e ela vai aparecer pela linha de fundo. Apareceram por ali, concluímos, tabelamos, Felipe Jonatan na cara do gol, Bruno, Madson, é por isso que se usa a linha de fundo, mas não o cruzamento como estávamos fazendo, tem de ser uma bola mais rápida”.

Dificuldade contra linhas baixas
“Você tem a posse de bola, joga os meias, fizemos uma linha de quatro atacantes mais dois meias, só com Pituca por trás, mas não foi o suficiente. Trabalhamos bem as coisas no sentido de tentar achar o gol, mas não foi suficiente”.

Fernando integrado ao elenco
“Sim, claro que está oficialmente integrado, senão eu não punha para jogar, muito responsável. Uma pena que o gol que a gente tomou, Madson deu um passe para ele mais espetado, dessa bola tomamos o contra-ataque e não deu tempo dele fechar, está sem o tempo ideal de jogo. Quando precisamos abrir o time, tiramos ele e o Luiz Felipe, procuramos dar mais ofensividade”.

Novidade no Santos, lateral agradece a Cuca e analisa estreia como “segura”

Fernando Pileggi foi a principal novidade do Santos na derrota por 1 a 0 para o Vasco no último domingo, em São Januário, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com Marinho poupado e Madson como ponta, o lateral-direito promovido da equipe sub-23 foi titular na estreia como profissional.

“É um momento único da minha vida. Acima de tudo glorifico a Deus por me guiar até aqui. Há poucos dias estava treinando no sub-23 e agora, pude estrear na equipe principal. A vida toda esperei e trabalhei por esse momento e hoje, realizei esse sonho de estrear como profissional do Santos. Gratidão por todos que contribuíram para chegar esse momento, principalmente à comissão técnica e ao Cuca por confiar no meu trabalho”, disse Pileggi, via assessoria de imprensa.

“Sinto que fiz um jogo seguro e estive bem na partida. No começo teve a ansiedade, mas logo passou e pude mostrar meu futebol. Estou feliz pela estreia e focado em evoluir e buscar novas oportunidades. Não tenho dúvida que na próxima oportunidade estarei ainda melhor”, completou.

O Menino da Vila foi substituído no intervalo, quando Madson voltou para a lateral direita. O técnico Cuca explicou a escolha.

“Claro que está oficialmente integrado, se não eu não punha para jogar. Já tem treinando com a gente bastante tempo, um jogador que tem uma qualidade defensiva muito boa, muito responsável”, disse o treinador.

“Uma pena que o gol que a gente tomou, eu não vi na TV, mas eu lembro bem, acho que o Madson tinha uma bola e deu uma passe para ele (Fernando) muito espetado, o Madson geralmente acerta esse passe. A gente tomou o contra-ataque, nesse contra-ataque nós não fizemos a falta, fomos tomar um cruzamento da direita e não deu tempo pra ele fechar, se não ele teria fechado. Estava sem o tempo ideal do jogo, como não está jogando frequentemente”, concluiu.