Ceará 1 x 0 Santos

Data: 04/11/2020, quarta-feira, 19h00.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio do Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxilar: Jorge Eduardo Bernardi e José Eduardo Calza (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Vina, Leandro Carvalho e Pedro Naressi (C); Diego Pituca e Marinho (S).
Cartão vermelho: Sandry (S).
Gol: Vina (24-2).

CEARÁ
Fernando Prass; Eduardo, Tiago, Luiz Otávio e Bruno Pacheco (Kelvyn); Fabinho, Charles (Pedro Naressi) e Vina; Léo Chú (Leandro Carvalho), Fernando Sobral e Rafael Sobis (Felipe Vizeu).
Técnico: Guto Ferreira

SANTOS
João Paulo; Madson, Luiz Felipe (Pará), Luan Peres e Felipe Jonatan (Lucas Lourenço); Diego Pituca, Jobson (Sandry) e Jean Mota (Lucas Braga); Marinho, Soteldo e Kaio Jorge (Marcos Leonardo).
Técnico: Cuca



Ceará vence o Santos com golaço de Vina e avança às quartas da Copa do Brasil

O Ceará venceu o Santos por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, no Castelão, e avançou às quartas de final da Copa do Brasil. O gol (um golaço) foi marcado por Vina.

Depois do empate em 0 a 0 na Vila Belmiro, o Peixe fez um primeiro tempo de igual para igual em Fortaleza, mas caiu de rendimento na etapa final e sofreu o gol aos 24 minutos.

O Santos se lançou ao ataque, mas não teve reação. Desorganizado, viu o Vozão administrar bem o resultado, garantir a vaga nas quartas e embolsar R$ 3,3 milhões em premiação.

O jogo

Ceará e Santos fizeram um primeiro tempo muito movimentado, apesar do 0 a 0. O Peixe teve mais posse de bola (62%), mas o Vozão também criou chances de gol.

A primeira oportunidade foi santista, aos oito minutos, quando Jean Mota descolou bom passe para Soteldo. O camisa 10 bateud e esquerda, com perigo, à esquerda do gol de Fernando Prass.

No minuto 17, o Ceará respondeu. Léo Chú driblou Luiz Felipe e deixou Rafael Sóbis cara a cara com João Paulo. O goleiro saiu muito bem, fechou o ângulo e evitou o gol.

Quando o placar marcava 24 jogados, Luan Peres cruzou, Jobson ajeitou de cabeça e Soteldo emendou um voleio – bola assustou Prass novamente. A resposta chegou aos 32: Charles bateu sem ângulo e a bola raspou a trave de João Paulo.

O Santos voltou a ficar perto do gol aos 38, quando Fernando Prass saiu mal do gol e a bola sobrou para Marinho, que tentou de bicicleta. O gol estava aberto, mas a finalização saiu torta.

E no minuto 40, o Peixe teve sua melhor jogada. Kaio Jorge lançou Soteldo em contra-ataque. O venezuelano invadiu a área e, de frente para Prass, bateu de canhota por cima. Ainda deu tempo para Luiz Otávio, aos 44, perder chance clara de cabeça em escanteio.

O ritmo diminuiu na etapa final, principalmente pelo lado do Santos. Muita movimentação, marcação e poucas chances de gol. Até que Vina apareceu para o Ceará.

Aos 24 minutos, Fernando Sobral cruzou, Luan Peres tirou parcialmente e Vina emendou um lindo voleio. A bola foi na gaveta – o goleiro João Paulo nem se mexeu. 1 a 0.

O Santos se lançou ao ataque, mas de forma completamente bagunçada. O Ceará conseguiu administrar o resultado com certa tranquilidade nos minutos finais. Vozão nas quartas de final da Copa do Brasil. O sorteio ocorrerá na sexta-feira.

Cuca diz que Santos ‘se perdeu’ após o gol: “Caímos no jogo que o Ceará queria”

Cuca disse que o Santos se “perdeu” após sofrer o gol do Ceará, marcado por Vina, aos 24 minutos do segundo tempo, na eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O Peixe perdeu por 1 a 0 nesta quarta-feira, no Castelão, após o empate em 0 a 0 na Vila Belmiro. O Alvinegro pouco criou nos minutos finais da decisão.

“Primeiro tempo foi bem jogado, tivemos as ações, saída de bola até o último terço. Perdemos gols incríveis e não chutamos na direção do gol. Proposta era transição com velocidade. Não é time de contra-ataque, é que propõe. Se fizéssemos o gol, estaríamos mais perto da vitória. Não fizemos, tomamos o gol no segundo tempo em bola aérea. Houve discussão se teve falta ou não no Jean. Jogadores se perderam, ficaram nervosos. Ceará baixou as linhas, se defenderam bem. Não temos características para alçar bola e centroavante colocar bola para dentro. Tentamos o jogo com alternativas e praticamente não tivemos chances. Só uma bola com o Lucas Braga. De efetivo não tivemos depois do gol sofrido. Antes era jogo aberto e seria merecido um empate. Antes do gol”, disse Cuca.

“Ficou depois do gol (abaixo do máximo). Desequilibrou. E não temos jogo de força, jogadores de contato. Somos uma equipe leve. Jogamos a equipe para frente e fica pior. Perde-se a paciência de trabalhar a bola. Caímos no jogo que o Ceará queria”, completou.

Mais do que não avançar para as quartas de final, o Peixe deixa de receber R$ 3,3 milhões em premiação, dinheiro que seria fundamental para o pagamento dos salários de outubro.

Sem a premiação, a diretoria do Santos buscará formas de viabilizar o dinheiro suficiente para pagar a folha salarial. O quinto dia útil de novembro será na próxima segunda-feira. Não há, neste momento, recursos em caixa.