Olimpia-PAR 2 x 3 Santos

Data: 01/10/2020, quinta-feira, 19h00.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 5ª rodada (penúltima)
Estádio: Estádio Manuel Ferreira, em Assunção, Paraguai.
Árbitro: Nestor Pitana (ARG).
Auxiliares: Martin Soppi e Carlos Barreiro (URU).
Cartões amarelos: Recalde, Azcona e Leguizamon (O); Alex, Jobson e Raniel (S).
Gols: Carlos Sánchez (14-1), Recalde (21-1) e Recalde (33-1) e Marinho (38-1); Kaio Jorge (12-2).

OLIMPIA (PAR)
Azcona; Benítez (De La Cruz), Leguizamon, Alcaraz e Arias; Silva (Montenegro), Rojas, Domingo e Recalde (Otalvaro); Camacho (Roque Santa Cruz) e Pitta (Rojas).
Técnico: Daniel Garnero

SANTOS
João Paulo; Madson, Pará, Jobson (Ivonei), Alex Nascimento e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Alison); Marinho, Soteldo (Lucas Braga) e Kaio Jorge (Raniel).
Técnico: Cuca



Dupla desencanta, Santos vence o Olimpia e se classifica em 1º na Libertadores

O Santos venceu o Olimpia por 3 a 2 na noite desta quinta-feira, em calor de quase 40º em Assunção, no Paraguai, e se classificou para as oitavas de final da Libertadores da América como primeiro colocado do Grupo G, com 13 pontos.

Os gols do Peixe foram marcados por Carlos Sánchez, Marinho e Kaio Jorge. A vitória garante a vaga do Alvinegro com uma rodada de antecedência. Os santistas fecham a fase de grupos diante do Defensa y Justicia (ARG), na Vila Belmiro. O Olimpia pode ser eliminado se o Defensa vencer o Delfin, no Equador, no madrugada de sexta.

O resultado positivo do Santos contou com o fim de um jejum duplo. Carlos Sánchez e Kaio Jorge não marcavam há 23 e 15 jogos, respectivamente. O goleiro João Paulo fez defesas decisivas.

O jogo

O Olimpia foi melhor durante a maior parte dos primeiros 45 minutos, mas o Santos se mostrou efetivo a cada oportunidade no ataque.

Depois de uma pressão inicial do Olimpia, o Peixe abriu o placar aos 14 minutos. Felipe Jonatan cruzou, Madson se antecipou e sofreu pênalti de Recalde (guarde esse nome). Carlos Sánchez converteu e acabou com jejum de 23 partidas.

O Olimpia seguiu em cima do Alvinegro e empatou com… Recalde. Madson, importante no gol do Santos, vacilou na marcação pelo alto aos 21 minutos.

Aos 33, Recalde apareceu de novo. O paraguaio aproveitou espaço deixado em bote de Jobson, recebeu entre Pará e Madson e girou para bater no canto de João Paulo e virar.

O técnico Cuca mudou o esquema tático e abdicou da linha de cinco defensiva – Madson foi para a zaga e Jobson para o meio. Dessa forma, os santistas melhoraram. E o empate veio com Marinho, sempre ele, aos 38 jogados. O camisa 11 bateu falta na área, a bola passou por todo mundo e entrou.

A primeira chance da etapa final foi do Olimpia. Pitta finalizou bem e o goleiro João Paulo salvou com o pé aos seis minutos. Aos 8, Soteldo, sim, Soteldo, cabeceou bem e Azcona defendeu no canto.

E no minuto 12, o Santos virou. Marinho cruzou, Carlos Sánchez recebeu sozinho e rolou para Kaio Jorge. O Menino da Vila driblou o goleiro e marcou após 15 partidas.

Quando o placar marcava 24′, o goleiro João Paulo fez outra grande defesa em uma espécie de bicicleta de Leguizamón depois de cobrança de escanteio.

O Olimpia insistiu e João salvou novamente aos 33, quando Montenegro ganhou no alto de Alison e cabeceou forte. O goleiro santista buscou de mão trocada. No minuto 40, Recalde teve um gol anulado. Seria o terceiro dele.

Nos minutos finais, o Santos se segurou como deu e conseguiu a vitória e a classificação antecipada na Libertadores da América.

Bastidores – Santos TV:

Cuca exalta classificação do Santos em semana turbulenta: “Estou muito feliz com esses meninos”

Cuca exaltou a classificação do Santos às oitavas de final da Libertadores da América em meio a uma semana turbulenta no clube da Vila Belmiro.

O presidente José Carlos Peres foi afastado enquanto responde a processo de impeachment. O vice Orlando Rollo assumiu de forma interina horas antes da viagem ao Paraguai, onde o Peixe venceu o Olimpia por 3 a 2 nesta quinta-feira e se classificou com uma rodada de antecedência e como primeiro do Grupo G.

“Sim, é uma semana turbulenta. Perdemos presidente e diretores, Matheus e Doria. Veio um novo presidente, o Rollo, outro diretor (Felipe Ximenes), outro comando. Temos que ficar alheios. Nós somos o Santos. Eles não são do Santos, eles são o Santos. Falo isso para os jogadores. Não é estádio ou diretoria, alegria e tristeza vêm dos jogadores. Estou muito feliz com esses meninos. Vamos perder, claro, mas vamos vender caro. São nove jogos sem perder, sem se queixar. E vamos seguir fazendo nosso melhor”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

Sem Lucas Veríssimo e Luan Peres, suspensos, Cuca optou por uma linha de cinco com Madson, Pará, Jobson, Alex e Felipe Jonatan. Quando o Olimpia virou, o treinador mexeu para a linha de quatro com Pará, Madson, Alex e Felipe Jonatan, com Jobson no meio.

“Eu quis dar uma consistência maior para a defesa. Alex é menino da base, não tínhamos outro pela direita. Pusemos o Jobson com a sobra e Pará na contenção. Até começamos bem, mas ideia era ter saída de jogo, que não ocorreu. Tomamos o gol e fomos para o Plano B, com Madson como zagueiro e Jobson no meio. Ali o time se sentiu melhor”, explicou.

“Deu certo no começo, mas sofremos a virada e temos que mudar. Temos que enaltecer esses jogadores. Fizemos tudo isso sem treinar, não há tempo e eu não fico chorando. Estamos indo para o pau sem reclamar. Meninos estão evoluindo como profissionais dentro de uma competição dessa. Teve jogo jogado, aéreo, guerra. Típico de Libertadores. Somos a melhor equipe do campeonato junto com o Palmeiras”, concluiu.

Kaio Jorge minimiza jejum e diz: “Santos significa família”

Kaio Jorge minimizou o fim do jejum de 15 gols no Santos nesta quinta-feira, na vitória por 3 a 2 sobre o Olimpia, no Paraguai, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

O centroavante marcou o gol da classificação antecipada às oitavas de final com o primeiro lugar do Grupo G.

“Essa questão de marcar um gol ou não é normal, mas vinha fazendo bons jogos e sabia que meu gol viria uma hora ou outra. Fico mais feliz de ajudar meus companheiros”, disse Kaio, antes de falar sobre a concorrência com Raniel.

“Todo mundo é titular, está para ajudar. É uma briga sadia, Cuca vai saber optar por quem colocar ali. Darei meu melhor para continuar jogando, completou.

Kaio também valorizou a raça do Santos sob calor de quase 40º em Assunção.

“Santos significa família. Jogamos desde o primeiro minuto com aquela união, vontade. Calor dificultou muito, mas somos o Santos e temos que ir para ganhar onde for”, afirmou.

Temos crescido jogo a jogo. Se estivéssemos desligados, poderíamos perder. Mas entramos focados desde o primeiro minuto e saímos com a vitória”, concluiu.