Novorizontino 3 x 2 Santos

Data: 26/07/2020, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 12ª rodada (última)
Local: Arena Corinthians, o Itaquerão, em São Paulo, SP.
Público: portões fechados devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Vinicius Furlan.
Auxiliares: Vitor Carmona Metestaine e Leonardo Tadeu Pedro.
Cartões amarelos: Adilson Goiano, Guilherme Queiroz e Nando (N); Anderson Ceará (S).
Cartão vermelho: Uribe (S) aos 06-2.
Gols: Marinho (16-1); Marinho (02-2), Cléo Silva (12-2), Guilherme Queiroz (17-2, de pênalti) e Batista (35-2).

NOVORIZONTINO
Oliveira; Lepu (Nandu), Bruno Aguiar, Adriano Mina e Reverson (Paulinho); Léo Baiano, Adilson Goiano (Bruno Soares) e Vinicius Kiss (Pereira); Guilherme Queiroz (Batista), Cléo Silva e Léo Santiago.
Técnico: Roberto Fonseca

SANTOS
Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca (Anderson Ceará) e Jean Mota (Sandry); Marinho (Arthur Gomes), Soteldo (Tailson) e Uribe.
Técnico: Jesualdo Ferreira



Santos é prejudicado pela arbitragem e sofre virada do Novorizontino

O Santos foi prejudicado pela arbitragem e empatou com o Novorizontino em 2 a 2 neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

Depois de abrir 2 a 0 com boa atuação, o Peixe teve Fernando Uribe expulso no começo do segundo tempo. O colombiano chegou forte no lance, por cima da bola, mas mal encostou no adversário. Era a chance do centroavante se firmar no elenco.

O Novorizontino diminuiu com Cléo e logo depois teve pênalti mal marcado pela arbitragem – o árbitro Vinicius Furlan viu mão, mas a bola bateu na barriga de Diego Pituca. Guiherme Queiroz converteu.

O Santos sentiu demais a expulsão, não se encontrou em campo e ainda sofreu a virada. Batista cabeceou entre os zagueiros Lucas Veríssimo e Luan Peres, a bola bateu no travessão, nas costas de Vladimir e entrou. 3 a 2 para o Novorizontino.

O Peixe enfrentará a Ponte Preta nas quartas de final do Paulistão. O Novorizontino não tinha mais chance de classificação.

O jogo

O Santos dominou o primeiro tempo desde o minuto inicial. Com Jobson, a equipe melhorou a saída de bola e adiantou as linhas de marcação.

O Novorizontino, recuado, não ofereceu perigo a Vladimir. O Peixe, em compensação, fez 1 a 0 e poderia ter feito pelo menos mais dois.

Marinho abriu o placar, aos 16 minutos, em bonito chute de fora da área. Jobson e Uribe ficaram perto de ampliar antes do apito do árbitro.

O Santos não demorou a ampliar. Em contra-ataque perfeito, Soteldo clareou o lance, Uribe acionou Jean Mota e o meia rolou para Marinho empurrar ao gol vazio e marcar o segundo do Peixe e segundo dele na partida, aos dois minutos.

No minuto 6, porém, veio a ducha de água fria. Uribe entrou por cima e recebeu o cartão vermelho direto. É a terceira partida consecutiva com expulsão no Alvinegro: Jobson, Sánchez e agora Uribe na Arena Corinthians.

A expulsão mudou a partida. Aos 12 minutos, Cléo Silva recebeu livre pela direita e diminuiu. No minuto 17, o árbitro Vinicius Furlan marcou pênalti inexistente de Diego Pituca – a bola bateu na barriga. Guilherme Queiroz converteu e empatou.

O Santos não conseguiu se organizar, as alterações do técnico Jesualdo Ferreira não surtiram efeito e a virada veio. Aos 36, Batista cabeceou entre os zagueiros Lucas Veríssimo e Luan Peres, a bola bateu no travessão, nas costas de Vladimir e entrou. 3 a 2 para o Novorizontino.

Jesualdo lamenta expulsão de Uribe: “Santos fazia jogo muito bom”

O técnico Jesualdo Ferreira lamentou a expulsão de Fernando Uribe na derrota do Santos por 3 a 2 para o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista.

O Peixe abriu 2 a 0 fazia boa partida, mas se perdeu depois do cartão vermelho para o centroavante. O segundo gol do Novorizontino saiu de pênalti inexistente.

“Não vou comentar muito de arbitragem, não está nos meus livros falar dessas coisas. Expulsão me pareceu exagerada e a bola não bateu na mão (de Diego Pituca). Mas não interessa. Santos tinha jogo muito bom, ganhando e jogando bem. Novorizontino tem time agressivo, foi feliz, jogou bem com um a mais. Segunda vez que isso acontece, também aconteceu aqui contra o Corinthians. Vamos ver se isso não continua nos próximos jogos, com 10 contra 11”, disse Jesualdo, ao Premiere.

O Santos teve Jobson expulso contra o São Paulo, Carlos Sánchez diante do Santo André e Uribe neste domingo. Nos três casos, o vermelho feio direto.

Jesualdo explica opção por Uribe, elogia Jean Mota e pede paciência com jovens do Santos

O técnico Jesualdo Ferreira explicou a opção por Fernando Uribe na partida contra o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians. O Santos perdeu por 3 a 2, de virada.

Uribe foi titular, participou do segundo gol do Peixe e teve atuação regular até ser expulso no início da etapa final.

“Santos tem dois centroavantes. Temos que preparar os dois para os próximos jogos e futuro. No primeiro jogo, contra adversário fechado, Kaio (Jorge) também não teve muitas chances de ser importante, de acordo com sua capacidade. Tivemos muitos lances hoje, não pelo Kaio ou pelo Uribe, e não fizemos mais gols. Estamos no princípio depois da pausa, temos que trabalhar e valorizar os jogadores do atual elenco”, disse Jesualdo.

O treinador também elogiou Jean Mota, mantido após o interesse do Fortaleza, e pediu paciência com os jovens do Peixe.

“Jean Mota é muito especial, não tem posição física no campo. Não é meia nem atacante, também não vejo como 10. Quando equipe precisa de liberdade, alguém para ver jogo de frente com organização, pode ajudar. Bom chute e útil para elenco”, avaliou.

“Tem sido agradável verificar a evolução dos mais novos. Têm muita qualidade, mas é necessário ter paciência e tempo. Para serem melhores no futuro e importantes para o Santos”, concluiu.

Com a nona colocação geral, atrás de Bragantino, Palmeiras, São Paulo e Corinthians, o Santos enfrentará a Ponte Preta nas quartas de final. A decisão ocorrerá na Vila Belmiro.

Capitão, Pará pede mais tranquilidade ao Santos após três expulsões: “Isso dificulta”

Capitão em função das ausências de Alison (poupado) e Carlos Sánchez (suspenso), Pará foi o capitão do Santos na derrota por 3 a 2 para o Novorizontino neste domingo, na Arena Corinthians, pela última rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista.

O lateral-direito lamentou a terceira expulsão consecutiva. Depois de Jobson contra o São Paulo e Sánchez diante do Santo André, Uribe levou o vermelho direto neste domingo.

“Temos que ter mais tranquilidade. Terceiro jogo seguido com um a menos, isso dificulta. Fazíamos excelente jogo na minha opinião. Conseguimos fazer as jogadas treinadas, os gols. Estávamos tranquilos. Infelizmente aconteceu a expulsão, não sei se foi correta. Agora é tranquilidade, temos três dias para trabalhar. Enfrentaremos a Ponte Preta, é focar nossas forças para fazer um grande jogo e sairmos classificados”, disse Pará, ao Premiere.