Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 11/08/1994, quinta-feira, 16h00.
Competição: Copa Bandeirantes – Final – Jogo de volta
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 21.696 pagantes
Renda: R$ 63.997,50
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (RJ).
Cartões vermelhos: Gralak (C) e Gallo (S).
Gols: Demétrios (08-1) e Gralak (21-1).

CORINTHIANS
Ronaldo; Wilson Mano (Marcelinho Paulista), Gralak, Henrique e Elias; Zé Elias, Ezequiel, Marcelinho Carioca e Souza; Viola e Marques (Leandro).
Técnico: Jair Pereira

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo e Paulinho Kobayashi (Neizinho); Serginho, Demétrios (Serginho Fraldinha) e Marcelinho Paraíba.
Técnico: Serginho Chulapa



Corinthians empata e é campeão

O Corinthians conquistou ontem a Copa Bandeirantes ao empatar com o Santos em 1 a 1. Foi o primeiro título da equipe desde 1990.

O título garante ao Corinthians uma das duas vagas paulistas na Copa do Brasil de 1995. A outra vaga já é do Palmeiras, por ser o campeão estadual de 1994.

O Corinthians jogava pelo empate, já que havia vencido a primeira partida da final, por 6 a 3, na última terça-feira.

O Santos começou melhor. Dominava o meio-campo, devido especialmente à fraca atuação de Marques. Não dava chances ao ataque corintiano.

Demorou pouco para a equipe santista abrir o marcador. Aos 8min, Demetrius completou na pequena área um cruzamento da direita de Paulinho Kobayashi.

Logo em seguida, o Corinthians teve sua melhor –e única– chance no primeiro tempo. Wilson Mano penetrou pela direita, driblou um marcador e chutou para boa defesa de Edinho.

Aos 21min, o Corinthians chegou ao empate, através de uma cobrança de falta do zagueiro Gralak. A bola resvalou na barreira e enganou o goleiro Edinho.

O Santos continuou dominando o jogo até os 30min, quando o meio-campista santista Gallo e o corintiano Gralak trocaram empurrões e foram expulsos.

O jogo foi bastante violento. Foram distribuídos oito cartões amarelos, cinco para o Santos e três para o Corinthians.

As expulsões favoreceram o Corinthians, que conseguiu equilibrar o meio-campo. A equipe passou a controlar a partida e não deu oportunidades ao Santos na etapa final. A entrada de Leandro no lugar de Marques e a melhor atuação de Souza contribuíram para isso.

As duas substituições realizadas pelo técnico Serginho, do Santos, não conseguiram dar ao time mais força ofensiva.

O Corinthians teve então duas boas chances. Numa delas, Souza entrou sozinho, mas seu chute acabou bloqueado. Na outra, Edinho soltou um cruzamento e Carlinhos salvou em cima da linha.

Ontem durante o jogo, foi usado pela primeira vez o carrinho-maca, para retirar jogadores machucados do gramado. O carrinho começou a ser utilizado na Copa dos EUA.

Serginho discute com corintiano

Logo após o jogo, o técnico Serginho teve uma discussão com o zagueiro Gralak, do Corinthians. Ele criticou o jogador pela falta em Carlinhos, que o levou a ser expulso.

“Você não precisa disso”, disse o técnico a Gralak. “Mas eu não bati, nem foi falta”, respondeu o zagueiro.

Quando o corintiano Henrique se aproximou dos dois, Serginho o empurrou e disse asperamente: “Você só sabe chutar moleque”.

Depois, mais calmo, Serginho disse que estava satisfeito com o desempenho do Santos no torneio.

Ele disse que domingo, estréia do time no Brasileiro, contra o Remo, o volante Dinho jogará e o meia Neto terá sua primeira participação na equipe.

“Também gostaria que o Guga (atacante) renovasse o contrato.”

A diretoria do Santos tenta contratar o meia Donizeti e o atacante Silvio, do Bragantino.

Para treinador, título dá moral

O técnico Jair Pereira disse que a conquista da Copa Bandeirantes dá moral ao time do Corinthians para a disputa do Campeonato Brasileiro.

“Estou satisfeito, porque fomos o único time que encarou com seriedade esta Copa”, disse.

Sobre a partida de ontem, ele disse que o time jogou com inteligência, já que o empate lhe garantiria o título.

O atacante Viola, que marcara dois gols na vitória de 6 a 3 contra o Santos na primeira partida das finais, não se incomodou com a sua atuação apagada.

“Estamos de parabéns, todos tiveram uma atuação importante. O Serginho (técnico do Santos) montou um esquema diferente e dificultou para o nosso ataque”. Wilson Mano, contundido no joelho esquerdo, está praticamente fora da estréia no Brasileiro, no sábado, contra o Criciúma.



Corinthians precisa só de um empate com o Santos ( Em 11/08/1994 )

O técnico Jair Pereira, do Corinthians, teme o otimismo exagerado na partida final contra o Santos, pela Copa Bandeirantes, hoje à tarde, no Morumbi.

Como goleou o adversário por 6 a 3 no primeiro jogo, anteontem, o Corinthians depende apenas de um empate para garantir o título.

É tal vantagem que preocupa o treinador corintiano. “O Santos mostrou que não é um adversário fácil. Conseguiu virar o resultado, empatou duas vezes e só perdeu porque o Corinthians foi implacável nos minutos finais.”

Jair Pereira pretende conversar com os jogadores hoje, minutos antes da partida.

O técnico corintiano preferiu fazer mistério sobre a equipe que vai escalar (“O Serginho também não divulgou o seu time”), mas deverá ser o mesmo que começou a partida de anteontem.

Os ingressos da final têm preço único de R$ 3 e estarão à venda das 9h às 11h na Federação Paulista de Futebol (av. Brigadeiro Luís Antônio, 913). À tarde, a venda será apenas nas bilheterias do Morumbi.

Santos joga no contra-ataque

O técnico Serginho Chulapa disse ontem que o Santos vai utilizar hoje a tática do “contra-ataque com cautela” para vencer o Corinthians.

Segundo o treinador, isso não significa que sua equipe vai atuar na defensiva. “Estamos preparados para um adversário mais prudente. Por isso, a ordem é aproveitar todos os contra-ataques”, afirmou.

O treinador acredita que, apesar da derrota na última terça-feira, o Santos tem todas as condições de derrotar o rival.

“Perdemos porque tivemos a chance de matar o adversário, não fizemos e acabamos morrendo. O Corinthians aproveitou nossas falhas e venceu a partida”, disse Serginho.

Para o técnico santista, o fato de os dois times terem exibido um “futebol aberto” pode ser um indicativo de que o Campeonato Brasileiro deste ano terá equipes bem mais ofensivas.

Serginho Chulapa não quis adiantar a escalação do Santos. “Dou os nomes dos jogadores alguns minutos antes de a partida começar”, disse.