Mogi Mirim 2 x 0 Santos

Data: 02/03/1996, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 8ª rodada
Local: Estádio Wilson de Barros, em Mogi Mirim, SP.
Público: 6.467 pagantes
Renda: R$ 52.854,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Gols: Rodrigo (19-1) e Samuel (12-2).

MOGI MIRIM
Aílton Cruz; Capone, Paulão e Marcelo Batatais; Pedro Aruba, Wellington (ìlton), Rodrigues, Moreno (Samuel) e Dutra; Leto e Cléber (Valdo).
Técnico: José Carlos Serrão

SANTOS
Edinho; Cláudio, Jean, Cerezo e Marcos Adriano; Gallo, Batista (Marcelo Passos), Vágner e Robert; Clóvis, Macedo e Giovanni.
Técnico: Candinho



Mogi derrota Santos e chega a 19 pontos

O Mogi Mirim derrotou o Santos por 2 a 0 e se igualou provisoriamente ao Palmeiras e ao São Paulo na liderança do Campeonato Paulista, com 19 pontos. O time do técnico José Carlos Serrão tem um jogo a mais que o Palmeiras.

Jogando em casa, no estádio Wilson Fernandes de Barros, o Mogi dominou inteiramente o Santos.

O meia Rodrigo abriu o placar aos 20min, após ter recebido passe de Leto. Ele avançou pela meia-direita e chutou no canto direito de Edinho.

Atacando sempre pela direita, o Mogi Mirim chegava sem dificuldade à área santista. O atacante Leto perdeu duas oportunidades de ampliar o marcador.

Giovanni perdeu a única chance do Santos na primeira etapa, sozinho diante do goleiro Aílton Cruz.

No segundo tempo, o Mogi Mirim continuou superior. Samuel, que entrara no lugar de Moreno, fez 2 a 0 aos 13min, depois que Cléber entrou tranquilamente na área, pela esquerda, e cruzou.



Santos tenta dar ‘volta por cima’ ( Em 02/03/1996 )

Apesar do jogar com a dupla de zagueiros reserva, o Santos enfrenta hoje o Mogi Mirim, em Mogi, às 16h, buscando sua reabilitação no Campeonato Paulista.

“O Santos vai começar a dar a volta por cima. Agora é que o condicionamento físico está chegando ao ponto ideal”, disse o meia-atacante Giovanni.

O jogador, que já ficou suspenso por duas partidas, devido a cartões amarelos e um vermelho, acredita que o quadro muda.

“Os cartões foram uma consequência do desgaste físico do grupo, que teve só uma semana de preparação para o Campeonato Paulista”, afirmou.

O treinador Candinho, que ainda não conseguiu repetir a mesma escalação em dois jogos da equipe, pensa de forma semelhante.

“Nada está perdido. Temos oito jogos a fazer e podemos brigar pela liderança deste turno. Mas, primeiro, precisamos vencer.”

Para a partida de hoje, Candinho não poderá utilizar Carlinhos e Camanducaia, contundidos, Jamelli e Narciso, na seleção, e os zagueiros Sandro e Ronaldo, que cumprirão suspensão automática.

Na defesa, entram Batista e Jean, que, na segunda, se apresenta à seleção brasileira júnior.

Além de Giovanni, os meio-campistas Gallo, Vágner e Robert voltam ao time, que terá a estréia do atacante Clóvis.

A equipe do técnico José Carlos Serrão, que venceu cinco de seus sete jogos, deve atacar o Santos, e não jogar em contra-ataques, tática padrão entre times do interior.

Uma vitória contra o Santos aliada a derrota do Palmeiras leva o Mogi Mirim à liderança do Paulista, com 19 pontos.

Time pode ter novo uniforme

Para acabar com os protestos feitos pelos conselheiros do clube, que não aceitaram o uso de calções pretos pelo time principal do Santos, a diretoria prepara, para a segunda quinzena deste mês, o lançamento de um novo uniforme.

Os calções pretos serão substituídos por listrados em preto e branco.

Além disso, está em estudo a colocação estilizada nos calções das duas estrelas amarelas, referentes ao bicampeonato mundial, conquistado em 62 e 63.

“Nos últimos 35 anos, o Santos jamais usou calções pretos com as camisas brancas. Pelos estatutos, a mudança é ilegal e muitos conselheiros protestaram”, disse o presidente do Conselho Deliberativo, Edmon Atik.

A principal reclamação, segundo Atik, é de que os calções pretos, usados geralmente em treinos, deixam o Santos com o uniforme parecido com o do Corinthians.



Fonte: Estadão