Santos 3 x 1 Vitória

Data: 06/09/2014, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 14.205 pagantes
Renda: R$ 273.930,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva – PR (ASP-FIFA)
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR-FIFA) e Rafael Trombeta (PR-CBF-1).
Cartões amarelos: Edu Dracena (S); Matheus Salustiano, Luiz Gustavo, Ednei, Juan, Fernandez e Nino Paraíba (V).
Gols: David Braz (01-2), David Braz (06-2), Dinei (19-2) e Leandro Damião (29-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Zeca; Arouca, Souza e Lucas Lima; Gabriel (Alan Santos), Thiago Ribeiro (Rildo) e Leandro Damião (Geuvânio).
Técnico: Enderson Moreira

VITÓRIA
Fernandez; Nino Paraíba, Luiz Gustavo, Ednei e Juan; Neto Coruja, Richarlyson (Guillermo Beltran) e Marcinho; Willie, Caio (Luis Aguiar) e Dinei (Vinícius).
Técnico: Ney Franco



Santos supera lanterna Vitória na estreia do técnico Enderson Moreira

Equipe paulista contou com dois gols do zagueiro David Braz para bater os baianos, neste sábado, no Pacaembu

O Santos recebeu o lanterna Vitória, no Pacaembu, e cumpriu sua meta. Dirigida pela primeira vez pelo técnico Enderson Moreira, substituto do demitido Oswaldo de Oliveira, a equipe alvinegra se soltou no segundo tempo e construiu um triunfo por 3 a 1.

O resultado reabilitou o time praiano no Campeonato Brasileiro, deixando-o com 26 pontos, ainda na faixa intermediária da tabela de classificação. Os comandados de Ney Franco, estacionado nos 15, terminarão o primeiro turno como a pior formação da Série A.

Os pouco mais de 14 mil torcedores no Pacaembu, com ingressos a partir de R$ 5, viram um primeiro tempo muito fraco tecnicamente. O Santos partiu ao ataque na etapa final, abrindo vantagem em gols de cabeça de David Braz. Dinei descontou também de cabeça, antes que Leandro Damião, criticado até ali, fechasse o placar.

O jogo

Um lance logo aos dois minutos animou a torcida do Santos, que viu Gatito Fernández sair de soco para cortar cruzamento de Lucas Lima. Gabriel ficou com a sobra fora da área e falhou na tentativa de aproveitar o gol vazio. A jogada foi uma amostra ruim do que seria o primeiro tempo.

O time alvinegro encontrou dificuldade para criar, levando perigo mais em erros do Vitória do que por meio de sua inspiração. Após uma saída errada de Luiz Gustavo, que foi obrigado a segurar Lucas Lima a dois passos da meia-lua, Souza bateu falta defendida por Fernández no canto esquerdo.

De um chutão bem ajeitado por Leandro Damião surgiu a oportunidade seguinte, desperdiçada por tentativa de Gabriel de cavar pênalti. Em cobrança de falta de Lucas Lima, o melhor santista na etapa inicial, David Braz teve a melhor chance, cabeceando nas mãos do goleiro.

Mesmo com enorme dificuldade para tocar a bola, o Vitória foi ganhando terreno na base da força, pois, em maioria no meio-campo, geralmente ficava com os rebotes dos chutões. A equipe se fez presente no ataque, com Richarlyson como principal articulador, porém os problemas técnicos eram evidentes.

Com sua torcida impaciente, o Santos ainda esboçou dois lances de maior perigo nos minutos que antecederam o intervalo. No primeiro, Gabriel mostrou fome e carregou a bola até não ter mais o que fazer com ela. No segundo, Thiago Ribeiro bateu com perigo, da entrada da área, balançando a rede por fora.

O começo do segundo tempo foi completamente diferente. O Santos partiu com força ao ataque e, logo de cara, teve chute de Gabriel dentro da área bloqueado. O lance resultou em escanteio batido por Lucas Lima da direita, a um minuto. A bola foi desviada no primeiro pau, e David Braz apareceu para completar de cabeça.

O placar só não foi aberto na sequência porque Leandro Damião perdeu uma chance muito clara, com o gol praticamente aberto após batida de roupa de Fernández. No minuto seguinte, foi a vez de Gabriel receber cruzamento e cabecear livre, na risca da pequena área, mandando por cima.

Com os atacantes descalibrados, coube novamente a David Braz balançar a rede. Novo escanteio batido por Lucas Lima da direita, Edu Dracena ganhou a disputa pelo alto no segundo pau. Praticamente colado ao poste esquerdo, Braz venceu a marcação e cabeceou para ampliar, aos seis.

Ney Franco tentou dar força ao Vitória com Luís Aguiar no lugar de Caio, e a equipe rubro-negra esteve bem perto de levar o terceiro pouco depois. Lucas Lima puxou muito bem a jogada pela esquerda e deixou Thiago Ribeiro na cara de Fernández, que fez ótima defesa.

Depois de sofrer de novo pelo alto, em cabeceio de Edu Dracena, os visitantes responderam na mesma moeda e conseguiram descontar. Aos 19 minutos, Nino Paraíba recebeu na direita e achou um cruzamento preciso para Dinei. O centroavante cabeceou no canto direito de Aranha.

Mesmo com o gol, Ney Franco fez uma alteração bastante ofensiva, trocando o volante Richarlyson pelo atacante Guillermo Beltran. Já aos 28, Enderson Moreira fez a alegria da torcida ao chamar Rildo, mas a irritou ao não tirar Leandro Damião, preferindo sacar Thiago Ribeiro.

Nesse mesmo minuto, Leandro Damião vacilou na área, perdeu o domínio e viu Gabriel chutar rasteiro. Fernández rebateu, e a bola se apresentou ao próprio Damião, que bateu rasteiro para balançar a rede. Os santistas, risonhos, após o tradicional “uh, tererê”, cantaram “é Damião”.

O Vitória chegou a criar uma chance clara, construída por Beltran, mas Cicinho salvou o que seria o gol de Willie dentro da pequena área e frustrou os visitantes. Com o triunfo assegurado, Gabriel descansou e Enderson permitiu a Damião deixar o campo aplaudido.

Bastidores – Santos TV:

David Braz comemora inéditos dois gols e avisa volante do Santos: ‘Encostei’

Zagueiro foi o destaque no triunfo sobre o Vitória e encostou em Arouca na artilharia do time nesta temporada

Autor de dois gols no triunfo por 3 a 1 do Santos sobre o Vitória , David Braz nunca havia marcado mais de uma vez em uma partida. O zagueiro deixou o gramado do Pacaembu comemorando o feito e avisando o volante Arouca que está chegando na artilharia.

“Foi a primeira vez em que fiz dois gols em uma partida. É uma sensação gostosa, muito boa. Já tenho três gols no ano. Encostei no Arouca, que tem quatro. Ele fica zoando bastante o pessoal da defesa, mas agora encostei nele. Espero que a gente continue fazendo os gols”, sorriu.

De acordo com o beque, os treinos foram exaustivos antes do confronto com o Vitória. “A gente vem treinando bastante, muita bola parada. Nós já vínhamos treinando com o Oswaldo, e o Enderson aprimorou, continuou o que vinha fazendo. Deu certo”, comentou.

Os dois gols de Braz saíram no início do segundo tempo, abrindo o placar após uma etapa inicial complicada. Ambas as jogadas foram escanteios batidos por Lucas Lima da direita, com desvio inicial de Edu Dracena. “Vou ficar devendo os passes do Dracena”, agradeceu o zagueiro.

A torcida do Santos pode esperar mais. Substituto do demitido Oswaldo de Oliveira, Enderson Moreira gosta muito de trabalhar as jogadas pelo alto. Essa predileção foi rapidamente percebida pelos jogadores nas poucas atividades comandadas pelo novo chefe no CT Rei Pelé.

“Por onde passo, sempre dou uma atenção especial para as bolas paradas. A equipe tem qualidade nos cobradores e também bons cabeceadores. É um detalhe do futebol ao qual eu dou toda a atenção, porque a bola parada pode decidir o jogo. Hoje, ela foi muito importante para a gente conquistar três pontos”, disse o treinador.