Goiás 2 x 0 Santos

Data: 15/09/1996, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 8ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia, GO.
Público: 10.154 pagantes
Renda: R$ 93.127,50
Árbitro: José Carlos Marcondes (PR).
Cartões amarelos: Marcos Adriano e Alessandro (S); Márcio, Jacques, Romeu e Evandro (G).
Cartões vermelhos: Evandro (G); Marcos Adriano e Edinho (S).
Gols: Índio (45-1, de pênalti) e Marcelo Passos (36-2).

GOIÁS
Kleber; Índio, Sílvio, Marcio e Augusto; Reidner (Matosas), Romeu, Lúcio (Marcelo Passos) e Evandro; Maurílio (Alex) e Jacques.
Técnico: Cabralzinho

SANTOS
Edinho; Ânderson Lima, Sandro (Piá), Narciso e Marcos Adriano; Ronaldo Marconato, Carlinhos, Robert e Jamelli; Camanducaia (Sergio) e Alessandro (Otávio Augusto).
Técnico: José Teixeira



Gols de jogadores ‘exilados’ derrubam Santos em Goiânia

O Goiás venceu o Santos por 2 a 0 no estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO), com gols de atletas que já defenderam o time paulista.

O Santos jogou de forma defensiva, com o técnico José Teixeira optando pela entrada do zagueiro Ronaldo no meio-de-campo, no lugar de Gustavo. Recuado, o time santista encontrava dificuldades para avançar na área goiana, também reforçado por dois volantes.

O primeiro ataque do Santos ocorreu aos 10min. Logo em seguida, Alessandro, para o Santos, e Maurílio, para o Goiás, perderam oportunidades de abrir o placar.

A partir daí, os times passaram a disputar um jogo equilibrado: a equipe local atacava pela esquerda, e a santista, pelo meio.

Aos 45min, o zagueiro Sandro tocou a bola com a mão dentro da área. O juiz José Carlos Marcondes marcou pênalti, que Índio cobrou, fazendo o primeiro gol do Goiás.

Na segunda etapa, um jogador de cada lado foi expulso. O Goiás, aproveitando-se dos contra-ataques, marcou em jogada dos santistas Marcelo Passos e Índio.

O goleiro Edinho foi expulso, por reclamação, aos 50min do segundo tempo.



Torcida goiana vira arma santista ( Em 15/09/1996 )

O Santos quer tirar proveito do nervosismo do Goiás para superar o adversário hoje, às 17h.

“Temos de atuar com inteligência e jogar a torcida contra o time deles”, disse o volante Carlinhos.

O Goiás não vence há três jogos. Nova derrota coloca em risco o emprego do técnico Cabralzinho, vice-campeão brasileiro no ano passado pelo Santos.

O técnico José Teixeira pretende definir momentos antes da partida a escalação da equipe paulista. A dúvida do treinador é se inicia o jogo com o meia Piá ou com o atacante Alessandro.

O futebol de Piá, contratado por R$ 500 mil da Inter de Limeira, não tem agradado ao técnico. Teixeira tem conversado reservadamente com o jogador para mostrar a ele a melhor maneira de se posicionar em campo.

Na derrota para o Palmeiras, domingo passado, o treinador se irritou com Piá, que, ao entrar no segundo tempo, não teria cumprido as determinações táticas. O meia, que deveria segurar mais a bola, postava-se no ataque, à espera de lançamentos.

Com Marcos Assunção, suspenso, Cuca deve entrar no meio-campo. Teixeira pode, no entanto, improvisar o zagueiro Ronaldo ou Gustavo no lugar de Assunção.

A novidade do Santos é o retorno do zagueiro Sandro, após 12 dias de afastamento por contusão. O jogador ficou de fora dos últimos dois jogos do time no Brasileiro e da estréia da equipe na Supercopa, contra o Peñarol.

Diretoria busca dois reforços no exterior

O técnico José Teixeira ainda aguarda a contratação de reforços pela diretoria do Santos. Para o treinador, o clube precisa de jogadores que possam liderar a equipe em campo.

A média de idade da equipe que disputa o Campeonato Brasileiro é de 22,2 anos. Apesar da falta de experiência, Teixeira acha que o time pode passar às quartas-de-final.

Depois de dar por encerrado o episódio Usuriaga, que voltou para a Argentina, o clube, para atender o treinador, procura no exterior um atacante e um zagueiro “experientes”.

O vice-presidente Clodoaldo Tavares Santana afirmou que a diretoria tentou contratar o zagueiro Antonio Carlos, ex-Palmeiras. Segundo Clodoaldo, o Santos desistiu porque recebeu informações de que o jogador sofreu uma contusão séria no futebol japonês.