Diretoria do clube, que cederá Caio, acerta hoje no RJ detalhes do empréstimo, mas atletas reclamam dívidas

O Santos anunciou ontem a contratação, por empréstimo, do atacante Edmundo, do Vasco, e criou um problema interno para o seu grupo, que vem reclamando do atraso em pagamentos.

Segundo a diretoria santista, Edmundo, que deve ser apresentado na segunda-feira, ficará no clube por um ano. Em troca do temperamental jogador, que estava afastado do time do Vasco havia um mês por motivo de indisciplina, o Santos deverá ceder o atacante Caio e mais uma quantia em dinheiro.

Os detalhes da negociação deverão ser definidos hoje, quando o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, se reunirá, no Rio de Janeiro, com a diretoria vascaína. Muitos pontos ainda permanecem turvos. Diferentemente do Santos, o Vasco afirma que cederá Edmundo por seis meses. Pelo período, receberia do clube paulista Caio e mais R$ 1 milhão. Caso resolva emprestar Edmundo por um ano, o Vasco aumentaria o preço do empréstimo.

Independentemente do valor, parte do dinheiro será pago pela Federação Paulista de Futebol. Nos últimos anos, a FPF vem auxiliando os clubes do Estado na contratação de reforços.

Questionado se Edmundo já estaria com “os pés na Vila Belmiro”, o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, disse que o atacante já estava “com o corpo inteiro”.

A necessidade de recorrer à federação reflete, porém, o momento de dificuldade financeira por que passa o clube, que está sem patrocinador e sem parceiro. Embora Teixeira tenha negado o problema, o clube acumula dívidas com alguns jogadores. O goleiro Carlos Germano confirmou que está sem receber o pagamento relativo a direito de imagem dos últimos meses. O goleiro Fábio Costa ainda não recebeu os 15% referentes à sua transferência do Vitória. O salário de atletas como Rincón, Carlos Germano e Márcio Santos também estaria atrasado.

Por isso, ao saber da contratação de Edmundo, o grupo não gostou. Embora o sentimento seja quase generalizado, o único que falou abertamente foi Rincón.”Não posso comprar um sofá se ainda não paguei meu apartamento”, comparou o meia. “Para comprar jogador, primeiro você tem que resolver os problemas da equipe”, criticou.

O mal-estar no grupo se deve muito ao alto salário que Edmundo, que já defendeu Palmeiras e Corinthians, irá receber, na faixa de R$ 350 mil mensais. É menos do que os R$ 450 mil que ele recebia no Vasco, mas seria muito para o Santos.

O maior salário do clube hoje é o de Rincón: US$ 180 mil (aproximadamente R$ 320 mil).

O Santos também pode anunciar nos próximos dias a contratação do lateral Evanílson, do Borussia Dortmund e da seleção.