Santos 2 x 0 Portuguesa

Data: 18/09/1996, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – Turno único – 9ª rodada
Local: Estádio Ícaro de Castro Mello, o Ibirapuera, em São Paulo, SP.
Público: 3.232 pagantes
Renda: R$ 34.860,00
Árbitro: Marco Paulo Spironelli (SP).
Cartões amarelos: Gustavo Nery, Marcos Assunção e Jamelli (S); Carlos Roberto, Zé Roberto, Gallo e César (P).
Cartão vermelho: Marcelo Miguel (P, 32-1)
Gols: Jamelli (32-2) e Camanducaia (47-2).

SANTOS
Sérgio; Ânderson Lima, Sandro, Narciso e Gustavo Nery; Marcos Assunção, Carlinhos, Cuca (Robert) e Jamelli; Andradina (Camanducaia) e Alessandro (Alexandre).
Técnico: José Teixeira

PORTUGUESA
Marcio Defendi; Carlos Roberto, César, Marcelo Miguel e Zé Roberto; Capitão, Gallo (Fabrício), Caio e Zinho; Rodrigo Fabri (Tico) e Nélson Bertolazzi (Alex Alves).
Técnico: Candinho



Gols no final garantem vitória do Santos sobre a Portuguesa

O Santos bateu a Portuguesa por 2 a 0 e somou seu 14º ponto no Brasileiro. Os gols só foram marcados no segundo tempo.

O time do técnico José Teixeira já dominou as ações ofensivas nos 15 minutos iniciais da partida. A Portuguesa se limitou a tentar explorar os contra-ataques.

As duas maiores chances de gol do Santos no primeiro tempo surgiram com o zagueiro Sandro, em faltas aos 12min e 30min.

Dois minutos depois, o zagueiro Marcelo, da Portuguesa, foi expulso por jogo violento.

Com a vantagem de contar com um jogador a mais, o Santos voltou para o segundo tempo atacando. Logo aos 6min, Cuca acertou a trave da Portuguesa.

Aos 18min, Sandro escorou uma bola de cabeça e mandou a bola, de novo, na trave rival.

O primeiro gol foi marcado só aos 32min, com Jamelli chutando de fora da área. Camanducaia fechou o placar aos 43min.



Derrota pode provocar saída de Teixeira ( Em 18/09/1996 )

O técnico José Teixeira pode deixar o comando do Santos caso a equipe sofra nova derrota hoje. Ameaçado pela desclassificação, Teixeira tem sido vaiado pela torcida desde a derrota para o São Paulo, em 25 de agosto.

O time sofreu duas derrotas consecutivas no Brasileiro, para Palmeiras, por 2 a 1, e Goiás, por 2 a 0.

Teixeira está insatisfeito com a produção do ataque santista. O treinador ainda espera a contratação de um jogador “experiente, de maior porte” para o setor.

Com a expulsão de Edinho, o goleiro Sérgio será o titular contra a Portuguesa. “Voltei para o Santos sabendo que seria reserva, mas pretendo agarrar as oportunidades que surgirem”, disse o goleiro, que já defendeu a seleção.

Gustavo deve substituir Marcos Adriano, também suspenso.

Portuguesa testa meio-campo contra Santos

O clássico contra o Santos, às 20h30, no estádio do Ibirapuera, será um teste para o meio-campo da Portuguesa. “Se quisermos ficar entre os primeiros, não podemos amolecer no meio-campo”, disse o técnico Candinho. “Quero ver se o setor está preparado. Depois do Santos, teremos mais duas pedreiras, em que nossa marcação será muito exigida.”

O treinador da Portuguesa refere-se aos jogos contra Flamengo e Grêmio, ambos fora de casa.

Capitão, Gallo, Caio e Zinho formam o meio-campo da equipe. Além do retorno de Gallo, que estava suspenso, a novidade da Portuguesa será a entrada de Marcelo, formando a zaga com César.

As contas da Lusa

Candinho é o treinador de São Paulo que faz os cálculos mais otimistas para um time se classificar. “Com dez vitórias, cinco empates e oito derrotas ficamos com uma das vagas”, afirmou.

Nesta linha de raciocínio, a Portuguesa precisaria atingir 35 pontos. Para Wanderley Luxemburgo, do Palmeiras, uma equipe garante a classificação com 40 pontos. Para Valdyr Espinosa, do Corinthians, precisa de 38 pontos.

Portuguesa e Santos atravessam situações distintas. O time de Candinho é o quinto, com 16 pontos. O Santos, com 11, ocupa a 15ª posição. Classificam-se oito equipes para as quartas-de-final.

Os jogadores da Portuguesa esperam tirar proveito da má fase do adversário. “A torcida deles pressiona muito”, disse o volante Gallo, que já jogou no Santos.