Criciúma 1 x 1 Santos

Data: 13/10/1996, domingo.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – turno único – 14ª rodada
Local: Estádio Heriberto Hulse, em Criciúma, SC.
Público: 4.506 pagantes
Renda: R$ 45.200,00
Árbitro: Fabiano Gonçalves (RS).
Cartões amarelos: Piá e Marcos Assunção (S); Everaldo e Eraldo (C).
Gols: Marcão (28-1) e Marcos Assunção (45-1).

CRICIÚMA
Isoton; Gílson (Mabília), Wilson, Nielsen e Eraldo; Evair, Marco Aurélio, Nei (Paulo Henrique); Everaldo e Jorge Luís (Toni).
Técnico: Sergio Cosme

SANTOS
Sergio; Ronaldo Marconato, Sandro (Jean), Daniel e Gustavo Nery; Marcos Assunção, Carlinhos, Vágner (Cuca) e Piá; Andradina (Camanducaia) e Alessandro.
Técnico: José Teixeira



José Teixeira coloca a culpa no estado do gramado

Ao final do jogo, o técnico do Santos, José Teixeira, considerou o resultado justo. Ele avaliou que o time foi bem no primeiro tempo e perdeu o domínio no segundo.

“Se eles perderam oportunidades, nós também tivemos as nossas chances”, afirmou Teixeira.

Para o treinador, o time está numa situação em que não pode perder jogos. “Eu acredito que a nossa sorte está mudando e vamos sair dessa posição incômoda.”

Teixeira também criticou o estado do gramado. Com a realização de um jogo preliminar, válido pelo Brasileiro da Série C, e a forte chuva que caiu durante a partida, o campo ficou pesado.

Esse também foi o motivo das bolas largadas pelo goleiro Sérgio durante o primeiro tempo. “Foram muitas defesas com rebotes, mas isso é típico de gramado molhado e pesado”, disse o goleiro.

Apesar de ter sido muito exigido, Sérgio gostou da atuação da defesa. “O sistema defensivo foi bem, mas faltou sorte nas finalizações.”

A próxima partida do Santos será no sábado, contra o Flamengo. Uma vitória é importante para manter as chances de classificação.



Teixeira inicia ‘cruzada’ para manter seu emprego no Santos ( Em 13/10/1996 )

O técnico do Santos, José Teixeira, inicia hoje contra o Criciúma, em Santa Catarina, uma “cruzada” de três jogos que o conduzirá à permanência ou à demissão do cargo. O time terá nesta semana uma série de jogos longe da pressão da torcida, fator que técnico, jogadores e diretoria consideram importante para a reabilitação.

A equipe terá de apresentar um futebol convincente para que o treinador retribua a confiança dos dirigentes, que o mantiveram no cargo após uma sequência de quatro resultados negativos -três derrotas e um empate.

Uma derrota para o Criciúma situará o Santos muito próximo da chamada “zona de rebaixamento” e tornará insustentável a situação do técnico.

Após o jogo em Criciúma, o Santos viajará para São José do Rio Preto (SP), onde enfrentará o Nacional da Colômbia, pela Supercopa, na quarta-feira, e o Flamengo no sábado.

Teixeira foi “prestigiado” em reunião com os jogadores na sexta-feira. No encontro, foi cobrado mais empenho dos atletas.

A reunião também foi uma tentativa de unificar o elenco, “rachado” por brigas entre atletas e o inconformismo de titulares que foram para a reserva, como Camanducaia e Edinho.

Há duas semanas, Marcos Assunção e Juari trocaram pontapés durante um treinamento. Assunção também teve uma discussão ríspida com Marcos Adriano no intervalo do último jogo.

“Na reunião, os jogadores se entenderam e acabaram resolvendo o problema entre eles mesmos”, disse o diretor de futebol, José Paulo Fernandes.

Baez estréia na Supercopa

O atacante paraguaio Edgar “Chito” Baez, 24, deverá viajar nesta semana para São José do Rio Preto (SP) para se juntar ao Santos.

Contratado por US$ 600 mil do Guarani do Paraguai para resolver o problema do ataque do time, Baez poderá estrear na partida contra o Nacional de Medellin (Colômbia), na quarta-feira, pela Supercopa.

A diretoria do Santos tenta inscrever o jogador na competição com a Confederação Sul-Americana, embora o prazo oficial já tenha se encerrado.

O clube argumenta com um precedente: o Independiente (Argentina) utilizou na Supercopa o atacante Usuriaga, inicialmente inscrito pelo Santos.

Criciúma pode contar com todos titulares

Jogando em casa, o Criciúma poderá contar com todos os titulares, hoje, contra o Santos.

O atacante Mabília, artilheiro do time, com seis gols, que não participou dos últimos dois jogos por causa de uma contratura na coxa esquerda, foi liberado pelo departamento médico do clube.

Submetido a um tratamento intensivo nas últimas duas semanas, Mabília ficará na reserva, mas deve ser aproveitado durante a partida pelo técnico Sérgio Cosme. O jogador treinou normalmente com a equipe na sexta-feira.

Segundo Cosme, o Criciúma, penúltimo colocado no Campeonato Brasileiro, com sete pontos, não terá nenhum esquema especial para enfrentar o Santos.

“O time não vai fugir de suas características, 50% de marcação e 50% de ataque”, disse.