Santos 1 x 1 Vasco

Data: 28/08/1999, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 7ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.398 pagantes
Renda: R$ 83.805,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartões amarelos: Andrei, Gustavo Nery, Aílton, Paulo Rink e Lúcio (S); Paulo Miranda, Odvan e Nasa (V).
Gols: Juninho Pernambucano (41-1) e Dodô (01-2).

SANTOS
Zetti; Michel, Jean, Andrei e Gustavo Nery (Aílton); Claudiomiro, Narciso, Lúcio e Caíco (Fumagalli); Dodô e Paulo Rink (Aristizábal).
Técnico: Paulo Autuori

VASCO
Carlos Germano; Paulo Miranda (Maricá), Géder, Odvan e Gilberto; Nasa (Fabrício), Fabiano, Juninho Pernambucano e Ramón; Donizete e Viola (Fabiano Silva).
Técnico: Antônio Lopes



Vaiado, Santos apenas empata na Vila

Torcida se revolta com má apresentação do time contra o Vasco e hostiliza presidente do clube e Pelé

Na estréia do técnico Paulo Autuori, o Santos, jogando em casa, não passou de um empate em 1 a 1 com o Vasco da Gama, ontem à tarde, pelo Brasileiro.

O time santista agora soma nove pontos no torneio. O Vasco, com dois jogos a menos, tem o mesmo número de pontos.

A torcida santista ficou revoltada com mais um tropeço do time, vaiou o presidente Samir Abdul-Hak e o homem forte do clube, Pelé, que não foi ao estádio.

Foi a quinta partida consecutiva sem vitórias do Santos no Brasileiro-99. São três empates, diante do Vitória-BA, do Gama e do Vasco, e duas derrotas, para Atlético-PR e Guarani.

A última vitória da equipe foi no clássico contra o São Paulo, em que os santistas venceram por 3 a 2, na Vila Belmiro.

O jogo:

No primeiro tempo, o Santos procurou marcar a saída de bola do adversário, mas não conseguiu criar jogadas de perigo ao gol de Carlos Germano.

A primeira chance só surgiu aos 24min. O zagueiro Andrei chutou rasteiro, o goleiro vascaíno fez a defesa parcial, e o zagueiro Géder antecipou-se a Dodô e afastou.

Os cariocas só ameaçaram Zetti aos 28min, com o atacante Donizete, que, livre de marcação, cabeceou para fora.

Sete minutos depois, o atacante Dodô foi lançado pela esquerda, aplicou seguidos dribles em Géder e chutou forte. Carlos Germano fez grande defesa, espalmando para escanteio.

Aos 41min, o Vasco chegou ao gol cobrando falta. Ramon foi derrubado por Andrei no setor direito do campo, perto da grande área.

Em cobrança ensaiada, o meia Juninho chutou forte, a bola resvalou em Donizete e tirou o goleiro Zetti da jogada.

No segundo tempo, o Santos chegou ao empate logo aos 45s. Lúcio recebeu pela direita e chutou rasteiro. Dodô se antecipou à zaga e, de pé direito, tocou. Germano ainda resvalou na bola, mas não conseguiu evitar o gol.

O atacante quebrou um jejum de sete partidas sem marcar. Foi o terceiro gol do ex-são-paulino na competição.

As duas equipes ainda buscaram com insistência o gol, mas esbarraram em erros de passe e na segurança dos goleiros Zetti e Carlos Germano.

Aos 25min, Viola foi substituído por Fabiano Silva. A torcida santista gritou “uh! mercenário, uh! mercenário”, em alusão ao fato de Viola ter preferido a equipe carioca ao Santos.

O técnico Paulo Autuori tentou dar mais velocidade ao time, com as presenças de Aristizábal e Fumagalli, sem êxito. A defesa do Vasco soube congestionar a entrada da área.

No fim da partida, a torcida santista voltou a cobrar da diretoria a contratação de reforços.

Dodô comemora fim de jejum

O atacante Dodô vibrou com a quebra do jejum de gols. Havia sete jogos ele não marcava, e se sentia incomodado com isso. Foram quatro jogos no Brasileiro e três partidas amistosas na Europa sem gols.

“O atacante é sempre cobrado quando não marca gol. Isso é normal, mas estava na hora de começar a incomodar o Luizão (do Corinthians, vice-artilheiro do campeonato com oito gols)”, disse Dodô. “Foi um jogo difícil. O Vasco saiu na frente, e corremos atrás. O resultado não foi o esperado.”

Para o técnico Paulo Autuori, o time pecou pela ansiedade. “É ruim o acúmulo de resultados negativos, mas foi uma boa apresentação. Daqui para frente, precisamos apenas nos livrar dessa ansiedade”, declarou Autuori.

O atacante vascaíno Viola lamentou o gol anulado pelo juiz Wilson de Souza Mendonça e a discussão com um torcedor no hotel onde a delegação estava concentrada.

“O torcedor me ofendeu, tive de me defender. Tenho certeza de que ele está envergonhado”, disse Viola, que não voltou com o Vasco para o Rio. “Vou passar o domingo aqui com a minha família”, disse.

“Sei que a torcida me vaiou e xingou da boca para fora. Eles sabem que o Viola deixou seu nome na história do clube.”



Santos promove estréia de Autuori

Preocupado com a qualidade técnica do adversário, o Santos, que estréia hoje o técnico Paulo Autuori, pretende “sufocar” o Vasco no campo defensivo a fim de impedir que a equipe carioca imponha o seu ritmo no jogo de hoje, às 16h, na Vila Belmiro.

Autuori considera a partida decisiva para o futuro do trabalho que quer implementar. “É importante que entremos em campo no limite das nossas vertentes física, tática e psicológica”, afirmou.

Em 11º lugar no Campeonato Brasileiro, o time busca a reabilitação após quatro jogos sem vitória na competição.

A estratégia de jogo do Santos prevê uma marcação rígida dos atacantes e meias sobre os laterais e volantes do Vasco, a fim de destruir na origem as jogadas ofensivas do time carioca.

Prevendo que a estratégia poderá provocar um desgaste físico excessivo, principalmente para os homens de meio-campo, Autuori treinou a equipe durante a semana com formações diferentes.

Ele acredita que para conseguir sustentar o sistema de marcação durante a maior parte do jogo terá de usar atletas descansados do banco de reservas. Por isso, quatro meias treinaram na equipe titular (Lúcio, Caíco, Fumagalli e o ex-júnior Ailton).

Entre eles, Lúcio tem presença garantida. A outra vaga é disputada por Caíco e Fumagalli. No ataque, Paulo Rink e Aristizábal se revezaram como companheiros de Dodô, mas o colombiano tem mais chances de iniciar o jogo contra o Vasco como titular.

Paulo Rink foi contratado por empréstimo do Bayer Leverkusen para ser uma das poucas estrelas da equipe. O jogador avalia que necessita marcar gols para se firmar no time. Desde que chegou ao Santos, em maio, no final do Campeonato Paulista, marcou somente dois.

“Nunca fui um jogador de habilidade, como o Dodô. Sou um jogador de definição, que gosta de bolas alçadas na área. A gente tem de se adaptar”, disse Rink, vaiado em coro pela torcida santista ao ser substituído na derrota por 2 a 1 para o Guarani, no último domingo, na Vila.
Outro que perdeu o lugar na equipe após a contratação de Autuori foi o volante Elson.

O novo treinador afirmou que não utilizará mais um esquema com três volantes no meio-campo, fórmula adotada pelo ex-técnico do time Leão, nem pretende deslocar o polivalente Claudiomiro para outra posição no setor defensivo. Por isso, Elson foi para a reserva, e o capitão da equipe passou a ser o goleiro Zetti.