Ferroviária 0 x 3 Santos

Data: 17/02/1996, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 6ª rodada
Local: Estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara, SP
Público: 4.101 pagantes
Renda: R$ 38.405,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói
Cartões amarelos: Borçato (F); Gallo, Vágner, Giovanni e Robert (S).
Cartão vermelho: Ricardo Dias (F)
Gols: Dedé (21-1, contra) e Giovanni (32-1); Giovanni (10-2).

FERROVIÁRIA
Paulo Sérgio; Jorge Luiz (Volnei), Paulinho Oliveira, Vladimir e Dedé; Toninho, Borçato; Gilmar e Ricardo Dias; Otávio Augusto (Tita) e Juari (Serginho).
Técnico: Wilson Carrasco

SANTOS
Edinho; Cláudio, Ronaldo Marconato, Sandro e Gustavo Nery; Gallo, Giovanni, Vágner e Robert (Kennedy); Camanducaia (Baiano) e Macedo (Arthur).
Técnico: Candinho



Giovanni faz dois gols na vitória do Santos

O Santos venceu a Ferroviária por 3 a 0 ontem, em Araraquara. O meia-atacante Giovanni foi o destaque do jogo, com dois gols.

A equipe santista abriu o placar com um gol contra de Dedé, que tocou para as redes ao desarmar Macedo na grande área aos 21min do primeiro tempo.

Aos 32min, Giovanni recebeu passe na meia-lua. De lá, acertou belo chute e fez 2 a 0.

Na segunda etapa, o mesmo Giovanni recebeu cruzamento de Robert, pela esquerda, aos 10min e tocou de primeira: 3 a 0.



Santos pega Ferroviária no retorno de Giovanni ( Em 17/02/1996 )

A volta do meia Giovanni, que cumpria suspensão, é a principal arma do Santos para vencer a Ferroviária hoje à tarde. A partida acontece a partir das 16h, no estádio Fonte Luminosa, em Araraquara, e terá transmissão ao vivo pela TV.

O grande objetivo do time é diminuir a diferença de nove pontos que o separa do Palmeiras, líder do Campeonato Paulista de Futebol da série A-1.

Atual sexta colocada na competição -apesar de ter o mesmo número de pontos que o Mogi Mirim, o quinto na tabela-, a equipe poderá contar também com o lateral Cláudio e o volante Gallo, que também retornam de suspensão.

Em compensação, o técnico Candinho não vai poder escalar os zagueiros Jean e Marcos Paulo e o lateral-esquerdo Marcos Adriano, os três suspensos.

Isso sem contar com os desfalques de Marcelo Passos, que está contundido, Narciso e Jamelli, que estão defendendo a seleção brasileira no torneio pré-olímpico da Argentina.

Assim, o júnior Gustavo Nery será improvisado na lateral esquerda, enquanto Ronaldo e Sandro formarão a dupla de zagueiros.

Candinho considera insignificante a diferença de 9 pontos que separa o seu time, que tem 7, do Palmeiras, líder com 16. “Isso não é nada”, afirmou. Candinho lembrou que no primeiro turno do ano passado a Portuguesa tinha sete pontos atrás do São Paulo, faltando três rodadas para o final, mas conseguiu terminar na liderança.

O treinador prevê um jogo difícil contra a Ferroviária, apesar da má campanha do adversário, último colocado com dois pontos, ao lado do Guarani.
Golear não é a prioridade do time santista. Candinho disse que vai ficar satisfeito com uma vitória simples por 1 a 0, que já seria o suficiente para dar três pontos para seu time.

Antes do treino coletivo de ontem, realizado já em Araraquara, Giovanni reclamou das arbitragens no estadual. O jogador foi expulso durante a tumultuada partida contra a Portuguesa, na semana passada -vitória da equipe da capital por 3 a 2, no Canindé.

O árbitro da partida, Léo Feldman, acabou sendo bastante criticado por sua atuação na partida.

No caso de Giovanni, porém, o juiz acabou punindo corretamente, com cartão vermelho, o jogador. Ele fez uma falta por trás no lateral-direito Zé Roberto, que acabou contundido no lance.

Segundo o meia santista, no entanto, os árbitros estão usando critérios diferentes para punir jogadores por uma mesma atitude.

“Contra a Portuguesa, por exemplo, sofri muitas faltas e nossos adversários não tomaram cartões”, afirmou o jogador santista, reclamando dessa suposta discriminação.

Time só vence os “pequenos”

Após disputar três clássicos, o Santos volta a jogar contra uma equipe considerada “pequena” no Campeonato Paulista. Nas duas primeiras partidas do torneio, o Santos obteve duas vitórias.

Bateu o União São João, na Vila Belmiro, por 1 a 0, em sua estréia na competição, e venceu o Juventus (3 a 2), no Parque Antartica.

Depois do bom início, o time santista enfrentou uma sequência “indigesta” de clássicos: São Paulo, Portuguesa e Corinthians. Nos três jogos, o time só conseguiu conquistar um ponto, graças ao empate em dois gols com o Corinthians.

A equipe perdeu em casa por 2 a 1, de virada, para o São Paulo. Depois, em um jogo tumultuado, foi derrotado pela Portuguesa, no Canindé (3 a 2). O time acabou o jogo com oito jogadores.

Por fim, suou para empatar com o Corinthians, em jogo que também teve dois expulsos.

Time procura evitar a velocidade santista

Anular a velocidade dos atacantes do Santos é a meta dos jogadores da Ferroviária na partida desta tarde, em Araraquara (282 km a noroeste de São Paulo). A equipe vai adotar a marcação individual para evitar que o adversário troque passes com rapidez.

“Temos que dificultar a articulação das jogadas santistas”, disse Wilson Carrasco, treinador do time do interior.

O treinador descartou uma marcação especial sobre o meia-atacante Giovanni, principal jogador do Santos. “Não vamos nos concentrar em um só jogador”, disse Carrasco.

O treinador promete um esquema ofensivo para levar o seu time a sua primeira vitória no Campeonato Paulista deste ano. “Não podemos atrair o Santos para o nosso campo”, disse.

O treinador disse que vai liberar os seus atacantes para o ataque. “Quando o Santos recuperar a bola, todos têm que voltar para marcar”, disse.

A equipe vai ter a volta do lateral-direito Jorge Luís, que cumpriu suspensão. Celso deixa o time.

Essa vai ser a segunda partida da Ferroviária sob o comando de Carrasco, que estreou na derrota por 4 a 3 para o XV de Jaú, no último domingo.
Ele substitui Vail Motta, que pediu demissão.

“Gostei do nosso desempenho no ataque em Jaú. Agora, precisamos ter mais atenção na defesa”, afirmou o treinador.

Esse vai ser o segundo jogo da Ferroviária contra um time considerado grande no estadual. Na primeira rodada, a equipe foi goleada pelo Palmeiras por 6 a 1, em São Paulo.

“O Santos é um time que joga e deixa jogar. Vamos aproveitar isso para atacar”, disse o treinador.