Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 30/07/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 32.251
Renda: R$ 1.059.399,00
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Neuza Ines Back (ambos de SC).
Cartões amarelos: Edílson, Geromel, Maicon e Ramiro (G); David Braz, Yuri, Vanderlei, Thiago Ribeiro e Lucas Lima (S).
Cartões vermelhos: Edílson (G).
Gols: David Braz (44-1) e Fernandinho (47-1).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon, Ramiro, Fernandinho, Everton (Arroyo, 29’/2ºT; Jailson, 44’/2ºT) e Pedro Rocha; Luan.
Técnico: Renato Portaluppi

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz (Daniel Guedes, 46’/2ºT), Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Yuri, Alison (Leandro Donizete, 35’/2ºT) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Thiago Ribeiro, 25’/2ºT).
Técnico: Levir Culpi



Santos segura pressão do Grêmio e arranca empate em Porto Alegre

Grêmio e Santos fizeram um típico duelo de ataque contra defesa neste domingo, em Porto Alegre. O Peixe, atuando fora de casa, até começou bem a partida, mas passou a ser completamente dominado após os minutos iniciais. Mesmo assim, o time comandado por Levir Culpi abriu o placar com David Braz ainda no primeiro tempo. Porém, a alegria dos santistas durou pouco, afinal, Fernandinho empatou na sequência. Já na segunda etapa, mesmo sem fazer um jogo brilhante, o alvinegro conseguiu segurar o ímpeto gremista e arrancou um empate na Arena.

Com a igualdade, Tricolor e Peixe seguem em segundo e terceiro, respectivamente. Porém, as duas equipes não conseguiram diminuir a diferença para o líder Corinthians, que apenas empatou com o Flamengo em Itaquera e parou nos 41 pontos.

O jogo:

Apesar de entrar com Alison no lugar do lesionado Vecchio, o Santos não limitou-se a ficar somente na defesa e até chegou a ter um pequeno domínio do jogo nos primeiros minutos. Porém, após o bom início, o Peixe viu o Grêmio ‘acordar’ e passou a ser completamente dominado na Arena.

Mesmo impondo seu toque de bola com facilidade, a equipe gaúcha só assustou de verdade aos 23 minutos, quando Ramiro soltou uma bomba e Vanderlei defendeu. No rebote, Everton isolou.

Após a chance perdida, o tricolor cresceu de vez e começou a colocar o Santos ‘na roda’. Aos 27, Geromel deu belo lançamento para Pedro Rocha, que deixou escapar. Porém, Everton seguiu na jogada e caiu após divida com Jean Mota. Os gremistas pediram pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

Sufocante, o Grêmio quase abriu o placar no lance seguinte, quando Luan bate cruzado, a bola desviou na zaga santista e passou perto da trave direita de Vanderlei.

Três minutos depois, os gaúchos desperdiçaram mais uma oportunidade clara com Everton, que pegou rebote de Lucas Veríssimo dentro da área, mas mandou para fora.

Mas como dizem no futebol, quem não faz, toma. Apesar da enorme pressão gremista, quem abriu o placar na Arena foi o Santos. Após cobrança de escanteio de Jean Mota, Bruno Henrique desviou e David Braz cabeceou firme para fazer 1 a 0 aos 44 minutos.

Porém, a alegria santista durou pouco. No último lance do primeiro tempo, Pedro Rocha bateu forte de dentro da área e Vanderlei operou um milagre. Mas no rebote, Fernandinho apareceu completamente livre para cabecear e empata o jogo.

A segunda etapa começou do mesmo jeito que a primeira terminou: com o Grêmio dominando. Logo aos sete minutos, Pedro Rocha mandou de fora da área e Vanderlei salvou mais uma. Depois, foi a vez de Everton tentar o chute, mas parar em cima do zagueiro Lucas Veríssimo.

O Santos, por sua vez, seguia tendo muita dificuldade para avançar ao ataque. Sofrendo com a ‘marcação pressão’ dos gremistas, o Peixe não assustou Marcelo Grohe.

Porém, apesar se continuar sendo ineficiente na parte ofensiva, a equipe comandada por Levir conseguiu segurar um pouco o ímpeto do Grêmio com o passar da segunda etapa e ‘esfriou’ o jogo até o apito final de Braulio da Silva Machado.

Lucas Lima vê Santos ‘muito recuado’, mas comemora empate

Apesar de ter começado o duelo arriscando algumas jogadas no ataque, o Santos foi completamente dominado pelo Grêmio em grande parte do duelo deste domingo, em Porto Alegre, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, a equipe comandada por Levir Culpi conseguiu arrancar o empate em 1 a 1.

O meia Lucas Lima admitiu que o Peixe entrou em campo com a proposta de atuar mais recuado, porém, ele lamentou as falhas na marcação.

“A gente veio muito recuado, mas tivemos dificuldade na marcação. Eu, particularmente, joguei muito atrás. Tentamos nos adaptar ao jogo deles. Mas conseguimos segurar a pressão e esse pontinho pode fazer muita diferença lá na frente”, explicou o camisa 10 na saída do gramado.

Santistas acreditam em queda do Corinthians no Brasileiro: “Vamos lutar”

Após a eliminação na Copa do Brasil, o Santos concentra suas forças apenas no Campeonato Brasileiro e na Libertadores. E como o Peixe volta a jogar pelo torneio mata-mata apenas no próximo dia 10, quando encara o Atlético-PR, na Vila Belmiro, os santistas terão três rodadas para encostarem no Corinthians, líder da competição nacional.

Atualmente, o Alvinegro da Vila, que ocupa a terceira posição no Brasileiro, está a 10 pontos de distância para o rival na tabela. A distância, porém, não preocupa os comandados de Levir Culpi, que acreditam na queda de rendimento do Timão nos próximos jogos.

“São 10 pontos, o equivalente a quatro jogos, contando com tropeços deles. Nem terminou o primeiro turno ainda. O Brasileiro é muito disputado, complicado. Respeitamos os adversários. Futebol é dinâmico, as coisas podem mudar e talvez não sejam tão favoráveis a eles. Nós temos uma única convicção: vamos lutar até o final. Temos capacidade no elenco. E depois vemos o que está reservado para a gente. Vamos brigar pelo título, com certeza”, decretou o capitão Ricardo Oliveira.

O camisa 9, inclusive, será titular do Peixe no duelo decisivo contra o Grêmio, neste domingo, às 19h (de Brasília), em Porto Alegre, pela 17ª do Brasileirão. Caso vença o Tricolor Gaúcho, o Santos alcança a vice-liderança do torneio.

“Jogo contra o Grêmio é confronto direto, equipe muito bem qualificada. Vamos usar todo o nosso poderio ofensivo, poderio como equipe, para buscarmos um ótimo resultado lá dentro. Vamos nos preparar nesses poucos dias”, concluiu o centroavante.

Gremistas reclamam de retranca do Santos; Arroyo se machuca

O discurso dos jogadores do Grêmio após o empate por 1 a 1 com o Santos na noite desse domingo foi no mínimo repetitivo. A retranca santista irritou os atletas do Tricolor Gaúcho, que tentaram valorizar o ponto conquistado, mas não deixaram de condenar a estratégia da equipe de Levir Culpi.

“O time deles só se defendeu, não chutaram no gol praticamente. Tivemos muitas chances, mas infelizmente não conseguimos ganhar o jogo”, comentou Geromel. “A equipe tentou de todas as maneiras, equipe deles ficou com os 11 dentro da área praticamente. No segundo tempo eles se fecharam de uma maneira que era quase impossível entrar. Tentamos com tabelas, cruzamentos, chutes de longa distância. Dominamos os 90 minutos”, reforçou Ramiro, que foi ainda mais longe.

“Foi o time que veio mais fechado desde que estou no Grêmio, e olha que cheguei em 2013. Tentamos de todas as maneiras e não teve jeito da bola entrar”, comentou o atacante.

O capitão Maicon foi outro a lamentar o empate, mas evitou disparar críticas sobre a arbitragem, alvo de muitos questionamentos durante o jogo, inclusive do volante, um dos mais irritados no gramado.

“Deixar que a diretoria tome as providências, reclame do jeito que tem que reclamar. Valeu pelo nosso empenho. A equipe ficou em cima e o Santos fez o gol em uma bola parada. Paciência”, disse. “Se uma equipe merecia ganhar o jogo era a nossa”, completou Fernandinho.

Suspeita de fratura

Michael Arroyo estreou pelo Grêmio nesse domingo e já se tronou uma preocupação para a comissão técnica. O atacante equatoriano de 30 anos substituiu Jailson aos 44 minutos do segundo tempo e, em sua primeira jogada, levou a pior na dividida com Victor Ferraz. Com o rosto sangrando, o atleta foi levado ao hospital com suspeita de fratura no local.

Renato Gaúcho poupa árbitro, mas avisa: “Não quero padre em campo”

O árbitro catarinense Braulio da Silva Machado teve muito trabalho na Arena do Grêmio na noite desse domingo. O jovem juiz foi muito questionado tanto por gremistas quanto por santistas durante o confronto em Porto Alegre, precisou dar dez minutos de acréscimo e acabou expulsando o lateral Edílson nos minutos finais, quando ainda disparou cartões amarelos para tentar conter as reclamações.

Após o apito final, o clima continuou quente, com os jogadores brigando entre si. Renato Gaúcho entrou no gramado para afastar seus atletas da confusão e cumprimentou Braulio normalmente. Posteriormente, em entrevista coletiva, o treinador mandou seu recado.

“Sobre arbitragem eu não gosto de comentar, não falo, deixo para vocês, diretoria, não cabe a mim. Tenho de analisar minha equipe dentro de campo. Não falo de arbitragem. Procuro treinar minha equipe”, disse, sem deixar, porém, de comentar o lance que gerou o cartão vermelho a Edilson.

“Não quero que minha equipe seja freira, não quero padre em campo. Na hora de chegar junto, tem de chegar junto. Meu time é de homens, não vai aceitar tudo, cabisbaixo, mãozinha para trás. Eu falo para ter respeito com árbitros e adversários. O Edílson queria bater rápido (a falta), empurrou o jogador (Thiago Ribeiro), o juiz quis dar o cartão vermelho, isso eu não comento, foi escolha dele, mas meu time vai chegar junto, sim. Sempre com respeito, mas vai chegar junto”, avisou.

Sobre o jogo em si, Renato Gaúcho mais uma vez disparou elogios a sua equipe e evitou lamentar o fato do Grêmio ter desperdiçado a chance de ficar a seis pontos do líder Corinthians na tabela de classificação. A vantagem dos paulistas segue em oito pontos.

“Normal no futebol, nem sempre você vai ganhar, mas o que me deixa feliz é que minha equipe jogou bem de novo, criou, o Vanderlei estava em uma noite feliz, faz parte. A gente cria para fazer os gols, mas nem sempre consegue. Enfrentamos uma grande equipe, terceira colocada, mas o Grêmio foi bem superior, jogou o tempo todo no campo do Santos. Infelizmente tomamos um gol no fim do primeiro tempo, empatamos, mas a bola não entrou mais”, analisou.

Para o próximo duelo, quarta-feira, contra o Atlético-GO, fora de casa, Renato não poderá contar com Geromel, Arroyo, Edílson e ainda pode perder Barrios mais uma vez. Mesmo assim, nada de lamentações. “É um grupo. Confio em todos. Vamos com o que temos de melhor”.