Santos 2 x 0 São Caetano

Data: 14/02/2018, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 7ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.165 pagantes
Renda: R$ 92.490,00
Árbitro: Vinicius Furlan
Auxiliares: Vitor Carmona Metestaine e Herman Brunel Vani
Cartões amarelos: David Braz (S); Chiquinho e Alex Reinaldo (SC).
Gols: Lucas Veríssimo (32-1) e Gabriel (02-2).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Caju (Arthur Gomes); Alison; Vecchio (Vitor Bueno) e Jean Mota (Matheus Jesus); Eduardo Sasha, Gabriel e Copete.
Técnico: Jair Ventura

SÃO CAETANO
Helton Leite; Alex Reinaldo, Sandoval, Max e Bruno Recife; Vinicius Kiss, Esley (Ferreira) e Chiquinho; Diego Rosa (Rafael Costa), Ermínio (Paulo Vinicius) e Marlon.
Técnico Pintado



Gabigol marca, Santos vence o São Caetano e reassume a liderança

O Santos controlou o jogo e venceu o São Caetano por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, com gols de Lucas Veríssimo e Gabigol. Com a vitória, o Peixe reassumiu a liderança do Grupo 4, com 11 pontos. O Botafogo empatou com a Ponte Preta e agora soma 10.

Veríssimo marcou pela primeira vez na Vila Belmiro. Foi o segundo gol como profissional do alvinegro. E Gabriel sentiu o gosto de balançar as redes no estádio após a passagem por Internazionale e Benfica. São dois gols em dois jogos, igualando a estatística da passagem pelo futebol europeu.

O Santos sofreu alguns sustos no primeiro tempo e obrigou Vanderlei a fazer boas defesas. Na segunda etapa, porém, Gabigol ampliou o placar logo no primeiro minuto e deu tranquilidade ao time, que administrou o resultado e poderia ter feito até mais gols.

O jogo:

Aos 2 minutos, Alex Reinaldo cobrou falta de muito longe surpreendendo Vanderlei, que teve trabalho para espalmar de mão trocada.

Aos sete minutos, Caju encontrou Gabigol na área. O atacante chutou de bico, a bola desviou e quase entrou. Na sequência, David Braz ficou na área e quase fez de voleio. Helton Leite fez grande defesa para evitar o gol. A resposta veio rapidamente. Segundos depois, Diego Rosa chutou cruzado para Vanderlei espalmar.

O Santos seguiu em cima do São Caetano. Aos 10 minutos, Gabigol avançou pela linha de fundo e chutou cruzado. Helton defendeu em dois tempos, assustando os visitantes. Quando o placar marcava 12, Braz teve nova chance em cabeceio, e o goleiro do Azulão salvou novamente.

Enquanto o Peixe detinha a posse de bola e criava chances, o São Caetano se armava e era perigoso no contra-ataque. Entre os minutos 15 e 17, Diego Rosa teve duas oportunidades de marcar de fora da área, mas chutou fraco.

Aos 23 minutos, o Santos voltou a criar uma chance. Jean Mota puxou contra-ataque e Gabigol chutou mascado, mais uma vez, e a bola passou raspando a trave esquerda de Helton. Aos 30, Alison inverteu o jogo e Sasha deu bom passe para Jean Mota, que chutou por cima do gol. Segundos depois, Copete arriscou de longe e o goleiro espalmou de soco.

E aos 32 minutos, o alvinegro, finalmente, abriu o placar. Jean Mota fez ótimo cruzamento de trivela, Copete bateu cruzado e Lucas Veríssimo só empurrou para as redes. 1 a 0 para os donos da casa.

Aos 41, o São Caetano teve uma grande chance para empatar. Ermínio chutou cruzado e Marlon, na pequena área, bateu fraco de carrinho para Vanderlei encaixar.

No primeiro minuto do segundo tempo, o Santos ampliou o placar. Eduardo Sasha lançou Gabigol, que ganhou no pé de ferro da defesa e chutou bonito, cruzado, para vencer Helder e encaminhar os três pontos na Vila Belmiro.

Após o segundo gol do Peixe, o São Caetano desanimou. Os santistas conseguiram o controle do jogo e não sofreram mais nos contra-ataques. O Azulão foi assustar apenas aos 22 minutos, em cabeceio de Ferreira depois de escanteio. Vanderlei foi no cantinho buscar.

Sem forças, o São Caetano não esboçou a reação. O Santos administrou o resultado e poderia ter feito o terceiro gol em chance clara de Vitor Bueno, que levou a pior com Helton Leite, sozinho na pequena área.

Bastidores – Santos TV:

Jair comemora ‘batismo’ no Santos: “Hoje eu senti a Vila”

Jair Ventura venceu a primeira partida pelo Santos na Vila Belmiro na noite desta quarta-feira, nos 2 a 0 contra o São Caetano. Antes, o Peixe perdeu por 1 a o para o Bragantino. O técnico comemorou o “batismo”.

“Hoje eu senti a Vila mesmo, foi o batizado, fico feliz pela vitória… Eu vinha falando em performance sem resultado. Temos que conciliar. E parece desculpa do treinador, mas estávamos próximos à vitória, jogando bem. E hoje tivemos junção da performance com resultado. Uma vitória sem sustos, com controle total da partida. Bola chegou algumas vezes, mas criamos muito mais. Helton, que foi meu jogador, fez defesas incríveis. O Santos é equilibrado. Não acho que está tudo errado quando perdemos e mantenho pé no chão quando vencemos. Santos tem que ligar alerta quando não ganha. Fico feliz por termos retomado a liderança do grupo”, analisou o treinador.

Jair destacou o aproveitamento de Gabigol, que marcou pela segunda vez em dois jogos no retorno ao Peixe. O técnico destaca a “fome” do camisa 10.

“Falamos um pouquinho de tudo, vida profissional, vida particular também, que é importante. Como educador, tenho responsabilidade de ajudar a todos, dentro e fora de campo. Ele está muito focado, sabe que não viveu grande momento na Europa, mas sabe onde errou e é uma grande virtude. Reconheceu. Volta mais maduro, não querendo mostrar para as pessoas, mas para ele mesmo. É um Menino da Vila, uma referência. Está focado, motivado, é muito competitivo. E isso é fantástico. É cedo, sabemos, mas tem tudo para fazer um grande ano”, projetou Jair.

Após marcar e beijar gramado, Gabigol diz: “Parece que nunca saí”

Gabigol voltou a marcar na Vila Belmiro na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o São Caetano nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Na comemoração, o camisa 10 beijou o gramado.

“Estou muito feliz. Parece que eu nunca saí daqui”, disse o atacante.

“Foi uma vitória muito importante. Hoje voltamos a vencer em casa, vamos para o clássico bem focados. Fazer gols é importante, mas mais ainda é a vitória. O São Paulo é um grande time, tem o Dorival, que é especial para mim. Agora é descansar”, afirmou o Menino da Vila.

Grato, Vitor Bueno volta ao Santos e diz: “Estou pronto para ganhar títulos”

Após sete meses de recuperação após ruptura nos ligamentos do joelho direito, Vitor Bueno voltou a jogar pelo Santos na noite desta quarta-feira, em vitória por 2 a 0 contra o São Caetano, na Vila Belmiro.

O meia-atacante revelou sentimento de gratidão ao clube e garantiu que está pronto para a sequência da temporada. Ele entrou na metade final do segundo tempo como meia, na vaga de Vecchio.

“Meu sentimento é de gratidão por tudo que o Santos fez nesse momento difícil da minha carreira. Estou feliz por voltar e pronto para ajudar o time na temporada e ganhar títulos”, disse o camisa 7.

Vitor Bueno disputa posição com Vecchio pela armação do Peixe. Antes de se lesionar, o atleta atuava como ponta sob o comando de Dorival Júnior e Levir Culpi.

David Braz recebe o terceiro cartão amarelo e não jogará o San-São

David Braz recebeu o terceiro cartão amarelo na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o São Caetano e será desfalque no clássico contra o São Paulo, domingo, às 17h (de Brasília), no Morumbi, pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

O provável substituto de Braz, capitão diante do Azulão, é Gustavo Henrique. O zagueiro atuou ao lado do camisa 14 no empate em 2 a 2 com a Ferroviária.

Em compensação, o Peixe conta com o retorno de Renato, poupado contra o São Caetano por causa de incômodo no adutor direito. Victor Ferraz (luxação no ombro direito) e Bruno Henrique (contusão na retina do olho direito) seguirão fora.