São Paulo 2 x 1 Santos

Data: 12/05/1979, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista 1978 – 3º turno – 4ª rodada – Grupo F
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 78.040 Total (73.803 pagantes e 4.237 menores).
Renda: Cr$ 3.774.220,00
Árbitro: Roberto Nunes Morgado.
Cartões amarelos: Edu, Serginho Chulapa e Toinho (SP); Nílton Batata (S).
Gols: Serginho Chulapa (14-1); Getúlio (13-2) e Claudinho (38-2).

SÃO PAULO
Waldir Peres; Getúlio, Marião, Tecão e Antenor (Estevão); Chicão, Darío Pereyra e Teodoro; Edu, Serginho Chulapa (Viana) e Zé Sergio.
Técnico: Rubens Minelli

SANTOS
Vitor; Nelsinho Baptista, Joãozinho, Neto e Gilberto Sorriso; Clodoaldo, Aílton Lira (Claudinho) e Pita; Nílton Batata, Juary e João Paulo.
Técnico: Chico Formiga



São Paulo vence Santos e volta a sonhar com o título

O bom futebol do meio-campo do São Paulo, fechando espaços e movimentando-se melhor diante da lentidão de Clodoaldo e Aílton Lira, o crescimento técnico do uruguaio Dario Pereyra, Serginho e, principalmente, Zé Sérgio, foram as causas que pesaram a favor do São Paulo, na vitória sobre o Santos no Morumbi, por 2 a 1. Um resultado que coloca definitivamente o São Paulo, para a surpresa de muitos como candidato ao título, porque marcou o quinto ponto ganho nos clássicos contra Corinthians, Palmeiras e Santos.

Essa repentina transformação do São Paulo se deveu, outra vez, ao talento de Rubens Minelli, responsável, pelo menos, pelo fato de o Santos chutar pouquíssimas vezes ao gol de Valdir Peres e Juary não ter tido chance de jogar metade de seu rápido e insinuante futebol.

O Santos era o favorito, mas perdeu esta condição com a saída de Toninho Vieira e Claudinho da equipe, dando lugar a Clodoaldo e Lira, ausentes dos jogos anteriores onde o Santos se caracterizou pela velocidade.

Zé Sérgio jogou um futebol rápido pela esquerda e em jogada individual criou o lance para Serginho, que só teve o trabalho de empurrar para as redes uma bola que já estava entrando. Vitor falhou no lance, que foi precedido por uma bola na trave.

Serginho, com meia hora de jogo, já saia de campo sentindo no entender do médico “uma dor característica de distensão muscular”. Teve a coxa enfaixada, voltou a campo, mas no segundo tempo teve de ser substituído por Viana, que foi para a esquerda caindo Zé Sérgio pelo meio do ataque. Serginho, já machucado furou um cruzamento de Zé Sérgio à frente de Vitor.

A favor do Santos, no primeiro tempo, houve apenas um lance discutível: uma entrada de Tecão em Pita, dentro da área e que podia ser caracterizada como pênalti. Com 1 a 0 a seu favor, o São Paulo recuou Dario Pereyra e, embora os pontas do Santos estivessem bem, principalmente Nilton Batata, Juary estava anulado. No período final, esperando o Santos para contra-atacar, o São Paulo fez seu jogo, chegou ao segundo gol num tiro forte de Getúlio e depois sofreu um de Claudinho.

Fonte: Estadão