Vídeos: (1) Gols e (2) Melhores momentos.

Santos 2 x 0 Flamengo

Data: 12/09/2012, quarta-feira, 22h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 24ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.015 pagantes
Renda: R$ 181.955,00
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Kleber Lucio Gil (SC).
Cartões amarelos: Durval, Adriano, Felipe Anderson e Victor Andrade (S); Welington, Léo Moura, Luiz Antonio e Frauches (F).
Gols: Victor Andrade (40-2) e Neymar (41-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Felipe Anderson (Bernardo) e Patito Rodríguez (João Pedro); Neymar e André (Victor Andrade).
Técnico: Muricy Ramalho

FLAMENGO
Felipe; Léo Moura, Welington (Marllon), Frauches e Ramon; Muralha, Luiz Antonio, Ibson e Mattheus (Negueba); Adryan (Bottinelli) e Vagner Love.
Técnico: Dorival Júnior



Santos sai do sufoco no fim e bate o Flamengo na volta de Neymar

Clube paulista conseguiu dois gols no final da partida e se afastou da zona de rebaixamento

O torcedor do Santos viu a sua equipe ter problemas para furar o bloqueio montado pela defesa do Flamengo, mas o clube paulista desencantou nos minutos finais da partida e venceu o Flamengo, por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro. Os gols santistas foram marcados por Victor Andrade e Neymar.

Com o triunfo, o Santos saltou quatro posições, chegando a 11° colocação, com 30 pontosganhos. Já o Rubro-Negro desceu três lugares na tabela do Brasileirão e agora é o 16°, com somente 27 pontos.

Na próxima rodada, o Alvinegro Praiano visita o Coritiba, domingo, às 16 horas (horário de Brasília), no Couto Pereira. Já os cariocas recebem o Grêmio, também no domingo, só que às 18h30, no Engenhão.

O jogo

De volta ao Santos, após defender a Seleção Brasileira nos amistosos contra África do Sul e China, o atacante Neymar quase marcou logo no começo do jogo. Aos cinco minutos, em cobrança de falta, o astro santista cobrou no ângulo de Felipe, mas o goleiro rubro-negro se esticou, espalmando a bola para escanteio e evitando o primeiro gol paulista.

Os cariocas mostraram que não ficariam apenas na defesa, esperando os espaços para os contra-ataques se abrirem, e criou uma boa oportunidade, aos 12. Vagner Love tocou para Adryan, que rolou para Ibson fintar o seu marcador e arriscar o chute. Rafael fez a defesa, salvando os donos da casa.

Bem postado taticamente, o Flamengo teve mais uma grande chance. Aos 22, Adryan recuperou a bola, puxou contra-ataque e abriu para Mattheus. O meia rubro-negro dividiu a bola com Bruno Rodrigo, levou a melhor na disputa e finalizou. O arremate, porém, não foi bom.

Melhor em campo, o time carioca teve mais uma boa oportunidade, aos 38. Luiz Antonio cruzou rasteiro, da direita, com destino a Vagner Love. O centroavante flamenguista desviou “de letra” e quase abriu o placar para os visitantes.

Antes do intervalo, o Rubro-Negro assustou o goleiro Rafael, outra vez com Vagner Love. O atacante aproveitou cruzamento de Léo Moura, pela direita, e de cabeça quase acertou o ângulo do camisa 1 alvinegro.

Na volta para a etapa complementar, o Santos quase chegou ao gol, aos quatro, em jogada inusitada. Felipe Anderson tocou para Neymar, que tentou o lance individual, mas foi cortado por Luiz Antonio. Entretanto, o toque do volante flamenguista quase enganou o goleiro Felipe, batendo na rede pelo lado de fora e saindo para cobrança de escanteio a favor do Peixe.

Sem muito espaço para trabalhar a bola, os santistas tinham dificuldades para chegar com perigo ao gol adversário. Mas, em uma dessas ocasiões em que a equipe alvinegra furou o bloqueio rubro-negro, o arqueiro dos cariocas estava atento. Aos 18, Felipe fez grande defesa em chute do argentino Patrício “Patito” Rodríguez.

Com a partida se encaminhando para os seus minutos finais, o técnico Muricy Ramalho sacou Felipe Anderson e “Patito” Rodríguez, lesionado, para as entradas de Bernardo e João Pedro, respectivamente.

Logo no primeiro lance de Bernardo, aos 33, o meia-atacante cobrou escanteio com precisão na cabeça do zagueiro Durval, que subiu mais alto do que toda a zaga carioca, mas a bola passou por cima do gol de Felipe.O Flamengo respondeu com Vagner Love, aos 39, mas o centroavante rubro-negro acertou a trave.

Na réplica, o Santos chegou ao seu primeiro gol. Victor Andrade, que havia entrado no lugar de André, aos 40, recebeu nas costas de Frauches e tocou por cima de Felipe: 1 a 0. Victor recebeu cartão amarelo por ter tirado a camisa durante a comemoração.

No minuto seguinte, o Peixe aproveitou vacilo do Flamengo na saída de bola para definir o confronto. Neymar, em grande lance individual, pegou a bola na intermediária, passou por Marllon e encobriu Felipe para anotar o segundo dos santistas, dando números finais ao jogo.

Bastidores – Santos TV:

Muricy elogia Victor Andrade, mas dá bronca por cartão depois de gol

Atacante tirou a camisa na comemoração e foi advertido pelo árbitro na vitória do Santos sobre o Flamengo nesta quarta-feira

Autor do gol que abriu caminho para a vitória sobre o Flamengo nesta quarta-feira pelo Brasileirão , Victor Andrade teve a sua participação no time do Santos elogiada por Muricy Ramalho. O atacante de 16 anos entrou aos 38 minutos do segundo tempo, na vaga de André, e balançou as redes logo em sua primeira jogada.

“O moleque entrou bem. Ele é rápido, caiu bem pelos lados do campo, deu profundidade ao nosso ataque. E fez um belo gol. Teve méritos”, afirmou o treinador.

Por outro lado, Muricy reprovou cartão amarelo que o jovem atacante recebeu em seguida, após tirar a camisa durante a comemoração. “Falei para ele: ‘você não lançou essa moda’. Isso não é algo novo, ele não inventou isso. Comemorar sem camisa é antigo demais, ultrapassado até. Não adiantar tirar a camisa que o juiz vai advertir mesmo. Mas o menino tem 16 anos, fazer o quê? Na próxima ele fica mais esperto depois dessa bronca”, comentou.

Victor Andrade, por sua vez, revelou que a comemoração do gol não foi a única razão para Muricy chamar a sua atenção. “Ele ficou bravo por causa do cartão. Disse que eu não devia ter tirado a camisa. Além disso, o Muricy me mandou marcar o lado direito deles (o lateral Léo Moura). Tomei outra dura dele”, destacou, sorrindo.

Com o gol anotado sobre os rubro-negros, Victor Andrade chegou ao dois como profissional. O primeiro havia sido marcado na vitória sobre o Cruzeiro, por 4 a 2, em 8 de agosto, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Brasileirão.

Neymar quer ‘irmãozinho’ Ganso feliz, independente de time do meia

Atacante disse que sabe de muita coisa sobre negociação do companheiro depois da vitória do Santos sobre o Flamengo na Vila Belmiro

A proximidade da saída do meia Paulo Henrique Ganso do Santos foi comentada até mesmo pelo atacante Neymar, após a vitória sobre o Flamengo , nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Amigo pessoal do camisa 10, o atacante falou em tom de despedida sobre Ganso, que está próximo de um acerto com o São Paulo. O Grêmio, que também tem interesse no jogador, não desiste da contratação e segue na disputa.

“Para falar sobre esse caso, eu não sei de muita coisa. Apenas espero que ele seja feliz. O Ganso é um cara que eu gosto muito. Independentemente do lugar onde ele esteja, é o meu irmãozinho”, disse Neymar.

Juntos, Neymar e Ganso subiram para o elenco profissional em 2009 e, a partir de 2010, ajudaram o Santos a conquistar cinco títulos: três paulistas (2010, 2011 e 2012), uma Copa do Brasil (2010) e uma Copa Libertadores da América (2012).

O presidente santista, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, já admitiu que se alguma equipe oferecer o valor equivalente a parte dos alvinegros nos direitos econômicos do atleta, R$ 23,8 milhões, Paulo Henrique Ganso pode ser liberado e deixar o clube.

Laor avisa que não vai baixar a pedida por Ganso e critica o jogador

Presidente do Santos reclamou das acusações de que Ganso recebe um dos salários mais baixos do elenco, alegando que ele mesmo se recusou a renovar o contrato

A situação envolvendo Santos, Ganso e o São Paulo ganhou mais um capítulo na tarde desta quarta. O presidente santista Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro voltou a afirmar que não está disposto a liberar o meia por um valor inferior à parte que cabe ao clube na divisão de seus direitos econômicos: R$23,8 milhões.

“Não existe nenhuma novidade com relação a isso. O São Paulo não apresentou (uma nova proposta) e nem precisa apresentar. Se ela for inferior aos R$ 23,8 milhões, é perda de tempo, não precisa nem gastar tinta e papel. Esse é o numero para ele sair. Mas já dissemos, no último contato com o Adalberto (Baptista, diretor de futebol são-paulino), que o Santos não tem interesse em vender o Ganso. Queremos continuar com o atleta”, comentou.

Entretanto, apesar da falta de interesse no Santos na negociação, o acordo está mais próximo da concretização do que nunca. Isso porque o grupo DIS, detentor de 55% dos direitos do atleta, já se acertou com o São Paulo, e abriria mão de receber a sua parte na negociação, devido ao péssimo relacionamento que tem com a diretoria santista. Este acerto permitiria ao clube da capital paulista pagar apenas a parte que cabe ao Santos pela transferência do atleta.

O dirigente ainda criticou o jogador pelas afirmações de que recebe um salário baixo, dizendo que o próprio atleta recusou as propostas de renovação do clube.

“O gozado é que ele tem um dos menores salários do elenco proporcionalmente ao talento que tem, e nisso ele tem razão. Mas o estranho é que, por quatro vezes, eu fiz propostas muito atraentes que, se eu fosse ele e tivesse a categoria que ele tem para jogar, não pensaria duas vezes. Eu assinaria correndo. Ele ganha pouco porque não quis sentar para discutir e aceitar a nossa proposta”, disse o mandatário, em entrevista à Rádio Estadão/ESPN .

Vale lembrar que a polêmica aumentou quando Ganso foi hostilizado por parte da torcida, depois da derrota para o Bahia, no último dia 29, na Vila Belmiro. Enquanto deixava o gramado, o meio-campista foi alvo de uma “chuva de moedas”. Mais tarde, ao buscar o seu automóvel no CT Rei Pelé, o jogador foi perseguido por torcedores e precisou de forte esquema de segurança para deixar o local. O muro do CT ainda foi pichado com frases pedindo a sua saída.

O imbróglio gerou até mesmo um mal estar com declarações do lateral esquerdo Léo defendendo o camisa 10. O experiente ala destacou que “jogadores que ganharam títulos e fizeram história pelo clube” mereciam reconhecimento. No dia seguinte, Léo se reuniu com a diretoria, pediu desculpas por sua atitude, mas garantiu que não havia nenhuma mentira no seu desabafo.