Santos 5 x 2 Araçatuba

Data: 26/05/1996, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 2º turno – 13ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.147 pagantes
Renda: R$ 15.735,00
Árbitro: Romildo Corrêa (SP).
Cartões amarelos: Gallo, Baiano, Sandro (S); André e Marcos (A).
Gols: Macedo (04-1), Giovanni (40-1) e Giovanni (41-1); Tuta (07-2), Giovanni (08-2), Jamelli (11-2) e Tuta (18-2).

SANTOS
Edinho; Cláudio, Sandro, Cerezo e Marcos Paulo; Gallo, Carlinhos (Vágner), Giovanni e Robert; Macedo (Clóvis) e Jamelli.
Técnico: Orlando Amarelo

ARAÇATUBA
Betinho; Luciano, Marcão, Gilmar Francisco e Biro (Abelardo); Denilson (Helinho), Leandro, Roberto Alves e André (Gil); Tuta e Jacques.
Técnico: Jair Picerni



Santos goleia o Araçatuba na Vila Belmiro

Giovanni faz 3 assume a artilharia do Paulista com 22 gols

O Santos goleou ontem o Araçatuba por 5 a 2, com três gols de Giovanni, que se isolou na liderança da artilharia do Paulista.

Os outros dois gols santistas foram marcados por Macedo e por Jamelli, enquanto Tuta fez os dois gols do Araçatuba.

“Caso não tívessemos perdido para o Novorizontino e o XV de Jaú, estaríamos na liderança”, disse o técnico Orlando Pereira.

A goleada se mostrou possível logo aos 4min do primeiro tempo, quando Macedo abriu o placar, mas o Araçatuba manteve a calma e o segundo e o terceiro gols do Santos só foram acontecer aos 40min e aos 41min, com Giovanni.

Reiniciada a partida, Tuta marcou pela primeira vez, aos 7min, em bela jogada, que foi concluída com um toque por entre as pernas do goleiro Edinho.

Se movimentando muito bem, Giovanni fez, de cabeça, aos 8min.

Aos 10min, sofreu um pênalti, que ele mesmo bateu. O goleiro Betinho defendeu, mas Jamelli pegou a rebatida e marcou.

Aos 18min, em nova falha da defesa santista, Tuta marcou.

Menos objetivo então, o Santos perdeu uma oportunidade de diminuir a vantagem de oito gols de saldo do Palmeiras.

Giovanni teme Luizão na luta pela artilharia

Com os três gols que marcou ontem, Giovanni assumiu a artilharia com 22 gols, um de seus objetivos na temporada 96.

Repórter – Desde sua efetivação como titular, você sempre disse que a meta era ser o artilheiro paulista.
Giovanni – No ano passado, estive perto da artilharia, mas não deu.
Agora, estou ganhando do Luizão, mas ainda temos duas rodadas. Ele é um goleador, e o ataque do Palmeiras é finalizador.

Repórter – No próximo domingo você terá confronto direto com Luizão. Quem terá vantagem no duelo pela artilharia?
Giovanni – Eu nunca desisti da artilharia. Mas, no clássico, o que interessa é que o Santos precisa vencer o Palmeiras.

Repórter – Um representante do La Corunã assistiu à partida e gostou do seu futebol. Jogar na Espanha está nos seus planos?
Giovanni – Tenho contrato com o Santos e pretendo cumpri-lo. Esse assunto tem que ser discutido pela diretoria.

Repórter – Você acredita que dá para vencer o Palmeiras e forçar o quadrangular?
Giovanni – Ainda resta um fio de esperança. Vamos nos agarrar nele. Vencer o clássico é questão de honra para nós santistas.

Só o Santos mantém chance de impedir conquista

Com os resultados da rodada, só o Santos ainda tem chances de vencer o segundo turno e impedir que o Palmeiras seja campeão sem a realização do quadrangular final. Mas precisa contar, para isso, com uma grande combinação de resultados nas duas rodadas finais do campeonato.

O Palmeiras tem 34 pontos, com 11 vitórias e saldo de 27 gols.

O Santos venceu o Araçatuba por 5 a 2 e somou seu 28º ponto no segundo turno. A equipe tem nove vitórias e saldo de 19 gols.

Agora, o time precisa vencer seus dois últimos jogos, contra Palmeiras e Botafogo. E por um placar dilatado, pois tem que descontar uma diferença de oito gols de saldo a favor do Palmeiras.

Precisa torcer também para que o XV de Jaú surpreenda e vença o time do técnico Wanderley Luxemburgo. E de preferência por uma larga margem de gols.

Outro fator que vai beneficiar o Palmeiras: a partida contra o Santos será disputada em seu campo, no próximo domingo. No primeiro turno, jogando na Vila Belmiro, o Palmeiras venceu o duelo por 6 a 0.



Santos joga sob pressão contra o Araçatuba na Vila Belmiro ( Em 26/05/1996 )

Pressionado por diretoria e torcida, o Santos enfrenta o Araçatuba hoje, às 16h, na Vila Belmiro.

A derrota para o XV de Jaú praticamente tirou as chances do time no Paulista e detonou o processo de reformulação da equipe, que deve culminar com as vendas de Marcos Adriano, Gallo, Vágner, Marcelo Passos, Narciso e Clóvis.

À exceção de Gallo, o desempenho dos outros foi considerado insatisfatório por dirigentes. Eles se reuniram na última quarta para analisar o desempenho do time e traçar planos para o próximo Campeonato Brasileiro.

“Não posso dizer que nos sentimos traídos. Mas o desempenho de alguns jogadores ficou abaixo do esperado, principalmente se levarmos em conta os esforços feitos pelo clube”, afirmou o diretor de futebol, José Paulo Fernandes.

Equipe poupada O treinador Orlando Pereira, que não deve dirigir o time no próximo Campeonato Brasileiro, decidiu fazer mistério sobre a escalação da equipe para hoje.

Apesar de negar, ele foi pressionado pela diretoria para não pôr em campo Macedo, Marcos Adriano, Narciso e Robert. Todos estão “pendurados” com dois cartões amarelos. Caso recebam nova punição, não enfrentam o Palmeiras no próximo domingo.

Pereira preferia escalar todos os titulares contra o Araçatuba, temendo que uma derrota em casa precipite sua saída do clube.

Na quinta-feira, após reunião com a diretoria, Pereira cedeu e declarou que pode preservar os jogadores com dois amarelos.

Para o atacante Giovanni, artilheiro do time, com 19 gols, o Santos precisa vencer e convencer, independente da escalação.

“Nossa atuação contra o XV foi vergonhosa. Não só pela diretoria e pela torcida, mas pela nossa dignidade, precisamos vencer o Araçatuba”, afirmou.

O Araçatuba luta para obter o título simbólico de campeão paulista do interior. O meia Alexandre, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, é o desfalque da equipe.

Clube estuda mudar premiação

O diretor de futebol do Santos, José Paulo Fernandes, disse que o clube pretende modificar a forma de pagamento de “bichos” para o Brasileiro.

“Bicho” é o prêmio recebido pelos jogadores em caso de vitórias.

Para o campeonato nacional, será feita uma tabela de premiações de acordo com o resultado alcançado pela equipe no torneio. A intenção com a medida é atrelar o pagamento dos “bichos” às arrecadações da equipe.

No caso de desclassificação antecipada em alguma das fases do Brasileiro, os jogos restantes, mesmo com vitória santista, não renderiam “bicho” aos atletas.

Segundo o diretor, com a derrota para o XV de Jaú, que praticamente acabou com as chances de classificação da equipe no Paulista, a partida de hoje, contra o Araçatuba, deverá atrair um pequeno público à Vila Belmiro.

“Caso tivéssemos ganho do XV de Jaú, teríamos umas 15 mil pessoas na Vila Belmiro. Como as chances de classificação são remotas, o público deve ser bastante pequeno. A nossa esperança é uma boa renda no clássico contra o Palmeiras”, afirmou.

Para o volante Gallo, um dos representantes dos jogadores junto à diretoria, a mudança proposta por Fernandes deve ser discutida com o elenco.

“Os clubes são o local de trabalho dos jogadores. Sem eles, não existimos. Toda medida que possa ajudar jogadores e clubes deve ser discutida por todos e colocada em prática”, afirmou.