Grêmio 3 x 0 Santos

Data: 12/11/1996, terça-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – turno único – 20ª rodada
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 11.079 pagantes
Renda: R$ 102.522,00
Árbitro: Léo Feldman (RJ).
Cartões amarelos: Carlos Miguel, Rivarola, Dinho, Arce, Luis Carlos Goiano, Danrlei e Zé Alcino (G); Jamelli (S).
Cartões vermelhos: Narciso (S, 39-1) e Marco Antônio (G, 40-2).
Gols: Paulo Nunes (28-1) e Dinho (35-1); Zé Alcino (22-2).

GRÊMIO
Danrlei; Arce, Rivarola (Mauro Galvão), Adílson e Roger; Dinho (Marco Antônio), Luís Carlos Goiano, Emerson (Aílton) e Carlos Miguel; Paulo Nunes e Zé Alcino.
Técnico: Luis Felipe Scolari

SANTOS
Edinho; Ânderson Lima, Daniel, Narciso e Marcos Adriano; Marcos Assunção, Carlinhos, Élder (Jean) e Vágner (Edgar Baez); Jamelli e Camanducaia (Andradina).
Técnico: Orlando Lelé



Grêmio vence Santos e fica perto da vaga

A vitória de 3 a 0 do Grêmio sobre o Santos, ontem à noite, em Porto Alegre, colocou a equipe gaúcha em segundo lugar no Brasileiro, com 38 pontos em 20 jogos. A classificação do time está praticamente assegurada para a próxima fase da competição.

Aos 22min, Émerson foi derrubado por Narciso dentro da área. O juiz não marcou pênalti. Seis minutos depois, Paulo Nunes aproveitou falha de Élder e fez 1 a 0.

O juiz resolveu compensar e deu um pênalti inexistente de Narciso. Dinho bateu e fez 2 a 0, aos 35min.

No segundo tempo, o Grêmio continuou a ter domínio do jogo. O time chegou ao terceiro gol aos 22min. Arce cruzou da direita, para Zé Alcino fazer de cabeça.



Empate com Grêmio basta ao Santos (Em 12/11/1996)

Após duas vitórias consecutivas no Brasileiro, o Santos luta para obter pelo menos um empate hoje, em Porto Alegre, contra o Grêmio.

O objetivo é evitar que uma eventual derrota abale a confiança do time para a partida de quinta-feira, contra o Vélez Sarsfield, em Buenos Aires, na Argentina.

O jogo decide uma vaga para a final da Supercopa. O Santos precisa vencer por dois gols de diferença para disputar o título contra o Cruzeiro. Uma vitória simples leva a decisão para os pênaltis.

Mesmo com o receio de uma possível derrota hoje, às 20h30, o técnico Orlando Pereira promete ofensividade. Ele reclama da maratona de jogos, mas afirmou que não poupará nenhum titular hoje. No próximo domingo, o time paulista terá completado quatro jogos em oito dias (Vitória, Grêmio, Vélez e Atlético-PR).

O principal desfalque hoje é o atacante Alessandro, suspenso por cartão amarelo. Alessandro marcou quatro gols no Brasileiro -o artilheiro do time é Jamelli, com cinco- e é o principal responsável pela articulação de jogadas do ataque. Camanducaia o substitui.

Outro provável desfalque é o zagueiro Sandro, com uma torção no tornozelo. O jogador viajou com a delegação. Se não melhorar, será poupado para o jogo de quinta, e Daniel entrará em seu lugar hoje.

O lateral-esquerdo Marcos Adriano volta à equipe depois de cumprir pena de oito jogos de suspensão determinada pelo Tribunal da CBF devido às duas expulsões que sofreu no campeonato. Com seu retorno, o meia Roberto, que atuou improvisado na lateral, volta ao banco de reservas.

O Grêmio contará com a volta dos paraguaios Arce e Rivarola para reforçar seu sistema defensivo.

No último sábado, os dois não jogaram contra o São Paulo, também pelo Brasileiro, pois atuaram na seleção do Paraguai pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

O zagueiro Luciano cumpre suspensão. Paulo Nunes, artilheiro do Brasileiro com 13 gols, é a principal arma ofensiva para tentar vencer o Santos.

Uma vitória coloca os gaúchos na vice-liderança do campeonato.