Ponte Preta 3 x 4 Santos

Data: 09/11/2003, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 42ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: 14.421
Renda: R$ 118.736,00
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP).
Auxiliares: Carlos Donizetti Pianosqui (SP) e Marinaldo Silverio (SP).
Cartões amarelos: Piá, Conceição e Gabriel (PP); Elano e Jerri (S).
Gols: Rodrigo (10-1), Elano (23-1), Jean (33-1) e Diego (45-1, de pênalti); Diego (16-2), Luizinho Vieira (29-2) e Renato (33-2).

PONTE PRETA
Lauro; Gabriel, Rafael Santos e Rodrigo; Marquinhos (Vaguinho), Conceição, Piá (Luizinho Vieira), Adrianinho e Ronildo (Lucas); Jean e Dario Gigena.
Técnico: Abel Braga

SANTOS
Júlio Sérgio; Neném (Reginaldo Araújo), André Luís, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Jerri) e Diego (Daniel); Robinho e Fabiano.
Técnico: Emerson Leão



De virada, Santos derrota Ponte Preta e segue sonhando

A luta continua. É com esse sentimento que os jogadores do Santos deixaram o gramado do estádio Moisés Lucarelli, após a vitória sobre a Ponte Preta por 4 a 3, em Campinas. Como o líder Cruzeiro derrotou o Vasco, em Campo Grande, por 1 a 0, a diferença entre os dois times permaneceu nos seis pontos. Restam quatro rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro e mais duas vitórias asseguram o título aos mineiros.

A Ponte Preta caiu uma posição e está na 22ª colocação, com 45 pontos. Não foi desta vez que a equipe quebrou o jejum de vitórias jogando em seu estádio. Desde o dia 13 de julho, na vitória por 1 a 0 sobre o Bahia, o time de Campinas não ganha no Moisés Lucarelli.

A partida foi muito movimentada, com os dois times buscando a vitória. Um para ainda lutar pelo título; o outro para escapar do rebaixamento. A Ponte esteve na frente por duas vezes, mas não conseguiu segurar o placar. Foi a nona virada do Santos na competição.

Diego e Elano, convocados para a Seleção Brasileira, deixaram o campo com problemas médicos. O camisa 10 do Peixe levou uma pancada na panturrilha direita. Já Elano passou mal no intervalo e não retornou para o segundo tempo.

O jogo

Precisando vencer para escapar do fantasma do rebaixamento, a Ponte Preta buscou a iniciativa da partida. Porém, desorganizada, a equipe não conseguia criar boas jogadas. Tanto que a primeira chance real de gol foi do Santos. Aos 3min, Léo avançou pela esquerda e quase marcou. O goleiro Lauro foi mais rápido e fez a defesa nos pés do lateral.

A Ponte Preta tentava responder em contra-ataques. E foi justamente em um deles que originou o primeiro gol do jogo. Aos 9min, Marquinhos pegou a defesa santista desarrumada e chutou cruzado. A bola já tinha passado por Júlio Sérgio, mas Alex conseguiu chutar a bola para a linha de fundo. Na seqüência, Piá cobrou o escanteio no primeiro pau e Rodrigo cabeceou para o gol. Foi a quarta vez que o zagueiro da Ponte Preta marcou na competição.

O gol da Ponte serviu para acordar o Santos. O time de Emerson Leão se soltou um pouco mais e aos 12min o empate quase saiu. Diego fintou Rafael Santos e Rodrigo e chutou cruzado. O zagueiro Alex tentou chegar de carrinho, mas não chegou a tempo. Cinco minutos depois, Elano arriscou de fora da área e a bola raspou a trave da meta do time de Campinas.

Aos 18min, a Ponte quase fez o segundo, em jogada idêntica ao primeiro gol. Escanteio da direita cobrado por Piá, a zaga do Santos ficou olhando e Rodrigo cabeceou livre, sem marcação. A sorte do goleiro Júlio Sérgio é que a bola subiu e foi para fora.

Fabiano desperdiçou a melhor chance do Santos, até então, aos 21min. Léo levantou a bola da esquerda e o atacante, cara cara com Lauro, chutou forte. O goleiro da Ponte saiu bem e espalmou. Diego ainda teve a chance de finalizar, mas foi interceptado pela zaga da equipe de Campinas.

Totalmente acuada, a Ponte Preta não conseguiu sustentar a vitória por muito tempo. Aos 23min, Robinho fez grande jogada com Fabiano e passou a bola para Elano. Livre, o meia não teve dificuldades para finalizar e empatar a partida.

Se mesmo antes de empatar o Santos já dominava a partida, com o gol essa supremacia ficou ainda mais evidente. O meio-campo santista dominava o setor e ao time da Ponte só restava optar por lançamentos longos para o veloz Jean. Aos 31min, Elano quase fez o seu segundo gol no jogo. Diego tocou para ele na área, o meia fintou a zaga adversária e chutou de pé esquerdo. Lauro fez a defesa com segurança.

A Ponte Preta buscava o ataque com Jean, explorando o espaço deixado pelo lateral-direito Neném. E foi justamente desta maneira que a equipe de Campinas fez 2 a 1. Com uma boa pitada de sorte, Jean chutou de fora da área, a bola bateu na perna do zagueiro Alex e enganou Júlio Sérgio, aos 33min.

O gol não abateu o Santos, que continuou dominando o meio-campo. Robinho saiu driblando e chutou de pé esquerdo de fora da área. A bola raspou o travessão de Lauro.

Aos 44min, Diego invadiu a área, driblou Rafael Santos e sofreu falta de Rodrigo. Pênalti bem marcado por Cléber Wellington Abade. E bem cobrado pelo próprio Diego, que chutou no canto esquerdo de Lauro para fazer 2 a 2.

“Precisamos acertar a nossa marcação. Tanto na defesa quanto no ataque”, alertava Diego, ao fim do primeiro tempo. E para solucionar isso, Leão tirou Neném e colocou Reginaldo Araújo no intervalo. O treinador do Santos também teve que substituir Elano, que se sentiu mal no vestiário. Em seu lugar, Jerri.

Assim como no início da partida, a Ponte Preta foi para cima do Santos no começo do segundo tempo. Em uma saída errada de Diego, aos 4min, por pouco a Macaca não ficou novamente à frente no placar. Jean cruzou para Gigena, mas André Luís tirou de cabeça para escanteio. O zagueiro santista salvou o time de novo quatro minutos depois, após cruzamento rasteiro feito por Ronildo.

Aos 13min, Conceição quase marca um golaço. O jogador arriscou de fora da área, a bola desviou em Alex e enganou Júlio Sérgio. Porém, ao contrário do segundo gol da Ponte no jogo, a bola bateu na trave e foi para fora.

Quando a Ponte Preta dominava amplamente a partida, uma falha individual deixou o Santos na frente. O zagueiro Rodrigo quis sair jogando e driblar Robinho. O esperto atacante do Santos foi mais rápido, roubou a bola e passou para Diego, que livre, bateu no canto esquerdo de Lauro, aos 16min.

Com o resultado negativo, o técnico Abel Braga tirou os laterais e colocou os atacantes Vaguinho, Lucas e Luzinho Vieira. E foi justamente o último que fez o gol de empate da Ponte, aos 29min. Após rebote da zaga santista, Luizinho Vieira chutou forte e rasteiro da entrada da área e a bola entrou.

Mas as substituições feitas por Abel Braga também tiveram um lado negativo. A entrada do trio de atacantes deixou a equipe de Campinas exposta aos contra-ataques. E em um deles o Santos fez o quarto gol, aos 33min: Reginaldo Araújo cruzou da direita e Renato, de primeira, chutou para o fundo das redes de Lauro.

Robinho ainda desperdiçou duas chances claras de gol, para desespero de Emerson Leão.