Araçatuba 2 x 0 Santos

Data: 21/03/1996, quinta-feira.
Competição: Campeonato Paulista – 1º turno – 13ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio Adhemar de Barros, em Araçatuba, SP.
Público: 9.508 pagantes
Renda: R$ 49.875,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói (SP).
Cartões amarelos: Vladimir, Cleomir e Macalé (A); Baiano, Narciso, Giovanni e Robert (S).
Cartões vermelhos: Alexandre (A); Cláudio e Cerezo (S).
Gols: Garrinchinha (20-1); Gil (37-2).

ARAÇATUBA
Betinho; Garrinchinha, Vladimir, Marcão e Cleomir; Júnior (Leandro), Demílson (Roberto), Alexandre e Macalé; Gil e Jacques (Tuta).
Técnico: Jair Picerni

SANTOS
Gilberto; Cláudio, Cerezo, Narciso e Marcos Paulo (Macedo); Kiko, Baiano, Giovanni e Robert; Jamelli (Clóvis) e Marcelo Passos (Claudemir).
Técnico: Orlando Amarelo (interino)

O jogo

Com os cartões amarelos para Robert e Narciso, o Santos fica sem sete titulares para o clássico contra o Palmeiras, neste domingo, na Vila Belmiro.





Santos usa 6 reservas em Araçatuba (Em 21/03/1996)

O técnico interino do Santos, Orlando Amarelo, tenta a sua segunda vitória no comando da equipe escalando seis reservas, hoje à noite, contra o Araçatuba.

Edinho, Marcos Adriano, Vágner, Jean, Marcos Paulo, Ronaldo, Camanducaia e Carlinhos estão contundidos. Batista cumpre suspensão automática.

O meia Gallo, afastado pelo treinador na vitória sobre o XV de Jaú, volta à equipe em Araçatuba.

Amarelo assumiu após a demissão do treinador Candinho, e uma vitória hoje pode deixar o interino, que já recebeu o apoio do ministro Pelé, à frente do time até, pelo menos, o fim do primeiro turno.

“A situação é complicada. Sei que existe a pressão, mas não tenho medo”, disse Amarelo.

O técnico do Araçatuba, Jair Picerni, tenta acertar a defesa do time interiorano para se recuperar da derrota sobre o Rio Branco.

“Ninguém do Santos pode ter liberdade, principalmente os mais habilidosos, como Giovanni”, diz.