Santos 1 x 0 São Caetano

Data: 28/10/2006, sábado, 18h10.
Competição Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.080 pagantes
Renda: R$ 130.000,00
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (RJ)
Auxiliares: Ednilson Corona e Evandro Luís Silveira (ambos de SP)
Cartões amarelos: Wellington Paulista e Ronaldo Guiaro (S); Márcio Hahn, Élton e Cléber (SC).
Gol: Rodrigo Tabata (20-2).

SANTOS
Felipe; Luiz Alberto, Manzur e Ronaldo Guiaro (André Luiz); André Oliveira, Heleno, Zé Roberto (Ávalos), Rodrigo Tabata e Kléber, Reinaldo e Wellington Paulista (Carlinhos).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SÃO CAETANO
Mauro; Alessandro, Cléber, Gustavo (Gustavo Gaúcho) e Cláudio (Mádson); Márcio Hahn, Júlio César, Jonas e Elton; Leandro Lima (Dinélson) e Marcelinho.
Técnico: Dorival Júnior



Santos vence o São Caetano, e sonho segue vivo

O Santos mantém vivo o sonho de conquistar o título do Campeonato Brasileiro. Mesmo com dificuldades, o time da Baixada venceu o São Caetano por 1 a 0, na Vila Belmiro, e não se distanciou dos primeiros colocados. O triunfo deste sábado também serviu para afundar o clube do ABC paulista e praticamente selar seu destino rumo à Série B da próxima temporada.

“Ainda pensamos no título brasileiro porque somos capazes de conquistá-lo. É claro que se ele não vier, nossa segunda meta será a Copa Libertadores. Só que para atingirmos esses objetivos precisamos continuar vencendo e somando pontos”, decretou o meia Zé Roberto.

A vitória garantiu que o Santos retomasse a terceira colocação da tabela, com 55 pontos. Agora, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo fica a um ponto do segundo lugar Internacional e oito atrás do líder São Paulo, que venceu o Figueirense por 2 a 0, também neste sábado.

O resultado aumenta a crise do São Caetano e coloca o time ainda mais próximo da segunda divisão. A equipe do técnico Dorival Júnior permanece na penúltima posição, com os mesmos 26 pontos, a nove do Fluminense, último colocado fora da zona de rebaixamento.

“Lutamos bastante, mas foi um jogo complicado. Criamos várias chances e não as aproveitamos. A vitória era muito importante e sabemos que precisamos reverter isso. Precisaremos vencer todas as partidas até o fim da competição”, lamentou o meia Élton.

E o motivo para essa situação dramática da equipe do ABC paulista é a má seqüência dos últimos meses. Nas 12 partidas válidas pelo segundo turno, a equipe somou 11 derrotas e conquistou apenas um ponto, em empate sem gols contra o Fortaleza, dia 3 de setembro.

Agora, ambos os clubes terão três dias para trabalhar já que voltarão a campo na quarta-feira pelo Campeonato Brasileiro. O Santos enfrentará o Juventude, às 21h45, em Caxias do Sul. No mesmo horário, o São Caetano jogará contra o Fluminense no Anacleto Campanella.

O jogo

Com inúmeros desfalques suspensos e lesionados, o time do ABC paulista não optou por uma postura defensiva e deixou claro desde antes do jogo que buscaria as laterais para tentar furar o bloqueio santista. E quando a bola rolou, os donos da casa tiveram maior domínio da posse de bola, o que dificultou a tática da equipe de Dorival Júnior.

Porém, com o decorrer do jogo, a estratégia do São Caetano começou a fazer efeito. Aos 17min, Leandro Lima recebeu passe livre na direita, invadiu a área santista e chutou forte no alto. Atento, o goleiro Felipe se esticou e mandou a bola para escanteio, frustrando a jogada dos visitantes.

A resposta do Santos chegou na base dos cruzamentos e chutes de longe, que não surtiram o efeito esperado graças à boa participação do goleiro Mauro. O clube visitante não tinha o mesmo tempo com a bola que o adversário, mas também conseguiu chegar com perigo.

Aos 27min, Marcelinho realizou boa jogada individual pela direita e cruzou para o meio. Felipe resvalou na bola e, na sobra, Cláudio desperdiçou ótima oportunidade ao mandar em cima de André Oliveira, que salvou o clube da Baixada.

Já os anfitriões tiveram sua principal chance de marcar aos 44min, quando o ala Kléber cobrou falta de esquerda da entrada da área. No entanto, Mauro novamente fez boa defesa, se esticando no ângulo esquerdo para evitar o primeiro gol alvinegro.

No segundo tempo, o Santos voltou mais organizado dentro de campo, mas ainda assim encontrou muitas dificuldades para passar pela marcação do São Caetano. A principal opção continuou sendo os chutes de longa distância, que também chegaram a assustar o rival.

Aos 10min, o meia Rodrigo Tabata recebeu passe na intermediária e avançou até a entrada da área, de onde arriscou chute para o gol. A bola passou muito perto da meta de Mauro, mas saiu acima, raspando o travessão.

Mas a equipe de Dorival Júnior não recuou e também foi atrás da vitória. Oito minutos depois, Élton fez grande jogada pelo meio e saiu na cara do gol. Contudo, Felipe se adiantou bem e fez grande defesa.

O Santos finalmente balançou as redes aos 20min. Reinaldo arrancou pela direita, foi à linha de fundo e levantou na cabeça de Tabata, que só teve o trabalho de colocar para o fundo do gol. Depois disso, o São Caetano se mandou para o ataque, mas não fez o suficiente para evitar o revés e ainda viu o adversário chegar outras vezes, próximo de ampliar o resultado.