Santos 1 x 1 Ipatinga

Data: 26/04/2006, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.038 pagantes
Renda: R$ 60.491,00
Árbitro: Wilson Souza de Mendonça (PE)
Auxiliares: Erich Bartholomeu Bandeira (PE) e Milton Otaviano dos Santos (RN)
Cartões amarelos: Neto, Cléber Santana, Reinaldo (S); Teco, Leandro Salino, Léo Silva, Camanducaia (I).
Gols: André (37-1); Cléber Santana (39-2).

SANTOS
Fábio Costa; Neto, Luiz Alberto, Manzur e Kléber; Fabinho, Wendel (Rodrigo Tabata), Cléber Santana e Léo Lima (Geilson); De Nigris (Magnum) e Reinaldo.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

IPATINGA
Rodrigo Posso; Dênis, Irineu, Teco e Marinho; Paulinho, Léo Silva, Leandro Salino e Enrico; Camanducaia (Gustavinho) e André.
Técnico: Ney Franco



Gol no fim mantém Santos ‘vivo’ na Copa do Brasil

A força da Vila Belmiro não foi suficiente para o Santos conseguir a vitória sobre o Ipatinga. Nesta quarta-feira, o clube praiano ficou no empate com a equipe mineira por 1 a 1, mas segue com boas chances de chegar às semifinais da Copa do Brasil. O resultado também pôs um fim à campanha de triunfos do time da Baixada em seu estádio.

Com o resultado, a equipe paulista precisa da vitória no dia 3 de maio, em Ipatinga, para assegurar a vaga. Caso o clube praiano empate por mais de dois gols, passa à próxima fase pelo número de vezes que marcou fora de casa. Se repetir o placar do jogo desta quarta-feira, o confronto será decidido nos pênaltis – 0 a 0 coloca o Ipatinga na semifinal.

A equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo começou melhor na partida, mas não conseguiu balançar as redes e levou o primeiro gol aos 37min da etapa inicial. André aproveitou rebote de Fábio Costa e completou para inaugurar o marcador. No segundo tempo, os anfitriões conseguiram o empate com pênalti de Cléber Santana.

A derrota acabou com o aproveitamento de 100% do Santos atuando em seu estádio. Nas 12 partidas que jogou (no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil) em 2006, o time alvinegro havia vencido todas elas.

O Ipatinga, por sua vez, havia triunfado em todos os jogos da competição. Foram seis vitórias, sendo cinco delas com três gols da equipe mineira. O número não se repetiu, mas o time do técnico Ney Franco mantém a invencibilidade.

A presença de Vanderlei Luxemburgo no banco de reservas só foi confirmada na última terça-feira, quando o departamento jurídico do time alvinegro conseguiu suspender a liminar imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva.

De acordo com o órgão, o treinador teria ofendido o arbitro Rodrigo Martins Cintra após o clássico contra o São Paulo, no dia 2 de abril, pelo Campeonato Paulista. Luxemburgo levou a punição de 60 jogos de suspensão, mas ele foi liberado do castigo até haver um novo julgamento e ficou livre para comandar sua equipe.

“Eles [Ipatinga] têm uma ótima equipe, com bons jogadores. Foi um time muito acertado dentro de campo, com atletas em ótimo estado físico. Dentro das circunstâncias, acredito que foi um resultado razoável”, declarou o comandante santista.

O clube da Baixada volta a campo pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro neste domingo. O adversário será o Palmeiras, que empatou com o São Paulo por 1 a 1 nesta quarta-feira, pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores.

O jogo

Com apenas três gols sofridos até então na Copa do Brasil, o Santos entrou em campo com a defesa menos vazada da competição. A principal preocupação do elenco santista era seguir com a boa forma atrás para ter uma boa vantagem no jogo da volta.

Luxemburgo optou pelo esquema 4-4-2 para chegar ao triunfo, deslocando Neto para a ala direita e tirando Ronaldo Guiaro da equipe titular. A alteração teve como objetivo segurar os laterais e também dar maior liberdade ao meio-de-campo para criar as jogadas.

Quando a bola rolou, ambas as equipes demonstraram pouca ofensividade, truncando o jogo na intermediária. A primeira chance real de gol só aconteceu aos 18min da primeira etapa. Léo Lima lançou Cléber Santana dentro da área, que quase mandou para as redes, mas a zaga chegou antes e conseguiu afastar para fora.

O lance motivou os anfitriões, que saíram mais para o jogo e passaram a dominar a posse de bola. A equipe de Ney Franco, porém, não recuou completamente e também começou a explorar os contra-golpes.

A equipe visitante saiu na frente aos 37min. Léo Silva bateu falta direto para o gol, mas o goleiro Fábio Costa, não conseguiu segurar a bola e cedeu rebote para André. O atacante só teve o trabalho de completar para abrir o marcador na Vila Belmiro

No começo da segunda etapa, os visitantes não ficaram presos ao campo de defesa e quase ampliaram o placar aos 8min. Denis deu bela arrancada na intermediária, passando no meio da zaga adversária e arriscou chute rasteiro, mas a bola bateu na trave santista e saiu da área.

A resposta do time da casa veio quatro minutos depois, em cobrança de falta de Cléber Santana, porém o goleiro Rodrigo Posso caiu no canto direito e impediu o empate.

O Santos passou a comandar as ações no ataque, mas mesmo assim errou muitos passes e encontrou um Ipatinga muito bem postado na defesa, que também arriscava nos contra-ataques. A equipe da Vila Belmiro chegou ao empate aos 39min em pênalti batido por Cléber Santana e deu números finais ao confronto.