Santos 3 x 4 São Paulo

Data: 25/10/2009, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.735 pagantes
Renda: R$ 217.640,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Altemir Hausmann (Fifa-RS)
Cartões amarelos: Germano e Adaílton (S); André Dias, Jean e Miranda (SP).
Cartão vermelho: Rogério Ceni (SP).
Gols: André (06-1), Hernanes (12-1), Rodrigo Souto (26-1) e Washington (38-1); Jorge Wagner (15-2), Róbson (21-2) e Rogério Ceni (23-2).

SANTOS
Felipe; Pará, Astorga, Adaílton e Triguinho (Leo); Germano, Rodrigo Souto, Felipe Azevedo (Róbson), Paulo Henrique Lima e Madson (Jean); André
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Renato Silva, André Dias e Miranda; Adrián González (Zé Luis), Jean, Hernanes, Jorge Wagner e Junior Cesar; Dagoberto (Borges) e Washington (Denis)
Técnico: Ricardo Gomes



Ceni marca, São Paulo supera ‘pane’ na defesa, vira na Vila e cola no topo

A melhor defesa do Campeonato Brasileiro sofreu uma ‘pane’ neste domingo e levou três gols. Mas Rogério Ceni entrou em cena, balançou a rede após 370 dias de jejum, e o São Paulo venceu o Santos por 4 a 3, em clássico eletrizante na Vila Belmiro.

Assim, o clube tricolor volta a vencer após três tropeços seguidos, chega a 52 pontos e fica a dois do líder Palmeiras. O time litorâneo segue com 41, sem ambições no certame.

Ceni ainda foi expulso após um choque com o atacante Jean. Para o árbitro Carlos Eugênio Simon, o capitão são-paulino impediu o gol com a infração e por isso foi expulso direto, sem o cartão amarelo. Mesmo com um atleta a menos nos minutos finais, a equipe da capital segurou o resultado.

“Só quero pedir para esse cidadão [Simon] não apitar mais jogos do São Paulo. Ele me persegue não sei por que. Sempre”, esbravejou o camisa 1.

O time de Vanderlei Luxemburgo abriu o placar com André. Hernanes empatou, Rodrigo Souto fez 2 a 1, e Washingon empatou novamente. No segundo tempo, Jorge Wagner virou, Robson fez 3 a 3, e Rogério Ceni fechou o placar com uma cobrança de falta aos 23min.

“A gente veio para cá em baixa, sem vencer nas últimas rodadas. Foi uma partida emocionante, com todas essas dificuldades, e estamos na briga de novo. O trabalho foi bem feito, e todos estão de parabéns”, celebrou Hernanes.

Do outro lado, Luxemburgo elogiou o conjunto alvinegro, criticou Simon e lamentou os gols sofridos nas faltas e escanteios. “O time está crescendo, mas erra muito, há uma falta de sintonia. Não podemos tomar tanto gol de bola parada. Mas a vida continua, o jogo serve de exemplo.”

O jogo

A bola parada fez a diferença logo no início do duelo. Aos 6min, Madson cruzou no primeiro pau, Rodrigo Souto desviou, e André ganhou no alto para superar Rogério Ceni.

Seis minutos depois, Hernanes arriscou o chute em uma cobrança de falta próxima à área e acertou o ângulo do gol de Felipe.

Aos 26min, Madson repetiu o escanteio no primeiro pau, Rodrigo Souto subiu sozinho e, dessa vez, cabeceou direto para o gol.

“Não tenho dúvidas de que foi falha nossa. Foram dois gols parecidos, com o Souto desviando no primeiro pau. Já tínhamos conversado no primeiro gol, mas acabamos levando o segundo”, lamentou André Dias, na saída para o intervalo.

A equipe visitante não se abateu, apesar dos vacilos na retaguarda, e se impôs em campo. Hernanes quase marcou o seu segundo gol na partida, mas esbarrou em Felipe, que mandou para escanteio uma finalização de dentro da área.

Aos 38min, o erro ocorreu no lado santista. Mais uma vez a bola no primeiro foi o caminho, Miranda desviou, e Washington completou com o pé esquerdo. Felipe ainda chegou até a bola, porém espalmou para dentro do gol.

“A bola parada é o forte deles, e tomamos dois gols assim. O Vanderlei pediu atenção pra gente não errar novamente”, declarou Rodrigo Souto na volta para a etapa final, em entrevista à TV Globo.

“Consegui dar um belo chute, mas vacilamos de novo e tomamos o segundo gol. Buscamos o empate e agora é lutar pelos três pontos”, disse Hernanes, citando o seu gol de falta.

E os gols continuaram a sair em falhas das defesas no segundo tempo. Aos 15min, Adrián González cruzou na área, Jorge Wagner se antecipou ao beque Astorga e bateu de primeiro, sem chances de defesa.

Aos 21min, Triguinho foi ao fundo, driblou González e colocou a bola na cabeça de Robson. Sozinho na pequena área, o santista cabeceou para as redes.

Dois minutos depois, Rogério Ceni fez o gol da vitória, em cobrança de falta.