Santos Laguna 2 x 1 Santos

Data: 11/11/2009, quarta-feira.
Competição: Amistoso
Local: Estádio Território Santos Modelo, em Torreón, México.
Público: 30.000 pagantes
Árbitro: Marco Rodríguez
Cartão amarelo: Adaílton (S).
Gols: Matías Vuoso (06-1); Jean (43-2) e Ochoa (48-2).

SANTOS LAGUNA
Oswaldo Sánchez; Estrada (Pedro Quiñonez), Figueroa (Paco Torres), Santiago (Cristian Sanchez) e Mares; Jiménez (Mosqueda), Arce, Rodríguez (González) e Luduenã (Cárdenas); Matías Vuoso (Ochoa) e Darwin Quintero.
Técnico: Sergio Bueno

SANTOS
Felipe; Pará (Luizinho), Adaílton (Edu Dracena), Eli Sabiá (Astorga) e Triguinho (Léo); Rodrigo Mancha (Felipe Azevedo); Rodrigo Souto, Madson (Róbson) e Paulo Henrique Lima (Jean); Neymar (Gil) e Kléber Pereira (André).
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Em inauguração de estádio mexicano, Santos perde por 2 a 1 do xará

O Santos caiu por 2 a 1 diante do clube mexicano Santos Laguna em confronto encerrado na madrugada desta quinta-feira. O duelo marcou a inauguração do Estádio Território Santos Modelo, que fica em Torreon (ao norte do México), com capacidade para cerca de 30 mil pessoas, e começou com cerca de 50 minutos de atraso por causa da bonita festa, que contou com apresentação do cantor Ricky Martin.

Ao contrário do que possa parecer, o Santos Laguna tem o nome inspirado na cidade de Santa Cruz e possui as cores verde, branco e preto em seu uniforme.

Convidado pela equipe mexicana, Pelé deu o pontapé inicial na partida, que contou com uma série de eventos antes do seu início. O jogo só começou após um discurso do presidente do México, Felipe Calderón, um show do cantor porto-riquenho Ricky Martin, além de apresentações de artistas locais. O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, também prestigiou a inauguração do estádio.

O jogo

A partida começou com o Santos fazendo valer sua melhor qualidade técnica e pressionando o adversário. No entanto, apesar de ter começado com duas boas descidas ao ataque, o Peixe recebeu um duro golpe logo nos minutos iniciais do confronto.

Aos seis minutos, Darwin Quintero encontrou Matías Vuoso na grande área. O atacante dominou com estilo e finalizou de bico ao gol. A bola passou debaixo das pernas de Eli Sabiá e enganou o goleiro Felipe, que nada pôde fazer. E Vuoso entrou para a história do Santos Laguna como o autor do primeiro gol do novo estádio de seu clube.

Mas o Alvinegro Praiano não se abateu e quase chegou ao empate. Aos 12, Kléber Pereira recebeu um lançamento de Neymar, protegeu bem a bola do goleiro mexicano Oswaldo Sánchez e bateu para o gol. Atenta, a zaga mexicana afastou o perigo. Pará ainda tentou o gol no rebote, porém Sánchez estava atento e fez a defesa, sem dar rebote.

Com 22, mais uma chance para o time da Vila Belmiro. Em triangulação do ataque brasileiro, o meia Paulo Henrique Lima arriscou um chute de fora da área, exigindo mais uma intervenção de Oswaldo Sánchez. O arqueiro do Laguna ainda viria a trabalhar mais uma vez, em boa cabeçada de Neymar, que aproveitou um cruzamento de Triguinho, dois minutos depois.

Após sofrer com uma forte pressão santista, que tinha um maior controle da posse de bola, dominando as ações no meio-campo, os donos da casa conseguiram responderam à altura. Em jogada ensaiada de escanteio, aos 30, Luduenã cortou a marcação e arrematou com força. Rápido, Felipe conseguiu espalmar a bola e evitar o segundo gol dos mexicanos.

Antes do intervalo, o Santos teve mais uma oportunidade para deixar tudo igual no placar. Descendo com rapidez pelo lado esquerdo, Triguinho surpreendeu a zaga mexicana ao cruzar uma bola para cabeçada de Kléber Pereira. O centroavante procurou finalizar fora do alcance de Oswaldo Sánchez. Mas o goleiro mexicano provou que estava em uma noite inspirada ao evitar novamente o gol de empate dos brasileiros.

Depois da conversa com o técnico Wanderley Luxemburgo e com cinco modificações, o Peixe voltou para a etapa complementar da mesma atitude que terminou o primeiro tempo: atacando.

Aos sete, Róbson cruzou a bola para a entrada da pequena área, Oswaldo Sánchez cortou parcialmente e, se antecipando aos atacantes alvinegros, se agarrou à bola, evitando, assim, o gol de empate dos santistas.

Entretanto, apesar de encurralar os anfitriões em seu campo de defesa, os brasileiros viram o seu xará mexicano assustar novamente. Aos 17, Quintero fintou Léo, deixando o ala esquerdo no chão, antes de buscar o ângulo de Felipe que, atento, espalmou a bola para escanteio.

O Santos continuava a ameaçar o gol dos mexicanos. Com 27, Adaílton foi ao ataque, em cobrança de escanteio, e quase deixou a sua marca. Pouco depois, aos 33, Gil exigiu uma boa defesa de Oswaldo Sanchéz em arremate cruzado. No rebote, André não conseguiu vencer o arqueiro do Santos Laguna.

No fim do amistoso, ainda houve tempo para dois gols. Aos 43, Jean se aproveitou do rebote de um chute de André, que bateu no travessão, para completar para o fundo das redes, deixando o placar empatado.

Só que os mexicanos não desistiram e chegaram à vitória, aos 48. O atacante Ochoa recebeu uma enfiada de bola precisa e, na saída de Felipe, marcou o gol do triunfo do Santos Laguna, para delírio dos 30 mil torcedores que compareceram a inauguração da nova arena.

O confronto desta quinta-feira também marcou a estreia do zagueiro Edu Dracena com a camisa santista. Apresentado há mais de um mês como reforço, o jogador demorou para estrear porque recuperava a melhor condição física, prejudicada pelo tempo que ele ficou afastado por causa de uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito, sofrida em abril.

Depois de retornar do México nesta sexta-feira, o Santos fará um único treino neste sábado à tarde, já em Porto Alegre, visando a partida do próximo domingo, contra o Internacional, no Beira-Rio. O duelo valerá pela 35.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Pelé diz que Santos merecia estádio igual ao do xará mexicano

Um dos convidados ilustres para a inauguração do estádio do Santos Laguna, Pelé rasgou elogios às novas instalações da equipe mexicana. O rei do futebol comparou a nova arena à do xará brasileiro e lamentou que o Santos não possua um local para receber os seus jogos com a mesma estrutura.

“O Santos ganhou todos os títulos que se pode imaginar. Só faltou jogar na lua. Mas hoje não tem nada tão completo quanto este [estádio]. Isso me deixa triste, mas espero que algum dia possamos contar com um estádio como o que inauguram aqui”, disse Pelé.

O ex-jogador espera que o estádio do Santos Laguna, que custou cerca de US$ 100 milhões, sirva de inspiração para os empresários brasileiros. De acordo com Pelé, uma obra com esta é importante não somente pela questão esportiva, mas também como fonte de emprego.

“Não é apenas um estádio de futebol, é toda uma oportunidade de emprego para famílias. Isso é importante não apenas para o México, mas todos da América Latina que precisam de empresas que apóiem o esporte”, comentou Pelé.

O estádio Território Santos Modelo será inaugurado com uma partida entre Santos Laguna e Santos, à 1h15 da manhã (horário de Brasília) desta quinta-feira. Além de Pelé, o evento contará com a presença do presidente da Fifa, Joseph Blatter, dos ex-jogadores Bebeto e Batistuta, além de um show do cantor porto-riquenho Ricky Martin.