CSA 0 x 0 Santos

Data: 08/04/2009, quarta-feira, 21h50.
Competição: Copa do Brasil – 2ª Fase – Jogo de ida
Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió, AL.
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS-FIFA)
Auxiliares: Luciano José Cruz (PE) e José Antonio Chaves Franco Filho (RS).
Cartões amarelos: Juninho (CSA); Triguinho (S) .

CSA
Jeferson; Juninho Caiçara, Carlos Diogo, Fábio Lima e Marciano; Anderson, Jean, Magno (Ricardo Miranda) e Júnior Amorim; Tiago Potiguar (Marco Brito) e Fábio Lopes (Esquerdinha).
Técnico: Julio Espinosa

SANTOS
Fábio Costa; Pará, Astorga, Fabão e Triguinho (Luizinho); Roberto Brum, Germano, Madson e Paulo Henrique Lima (Lucio Flavio); Neymar (Róbson) e Roni.
Técnico: Vagner Mancini



CSA estraga plano do Santos, empata em casa e faz 2º jogo na Vila

O Santos planejava “matar” o confronto diante do CSA já em Alagoas para aliviar a agenda já cheia de compromissos. A estratégia, porém, falhou. Visivelmente cansado, o time da Vila empatou com o CSA por 0 a 0, em Maceió, pela 2ª fase da Copa do Brasil, e terá de disputar o confronto de volta contra o time alagoano.

Vitória santista por mais de um gol de diferença evitaria uma nova partida entre as equipes, marcada para o dia 22, na Vila.

“Vamos decidir em casa agora. Seria bom fazer um gol, mas não foi possível. Vamos voltar a atenção para o Paulista. Estamos cansados, sentindo o reflexo do jogo contra a Ponte. É normal sofrer queda de rendimento”, disse o goleiro Fábio Costa.

Já neste sábado o Santos terá outro jogo decisivo: encara o Palmeiras, na Vila, na abertura das semifinais do Paulistão.

A surpresa no duelo em Maceió ficou por conta da ausência de Kleber Pereira, que sequer foi relacionado para o banco de reserva. Mancini justifica que o atacante tem idade avançada, 33 anos, e que precisa ser preservado de tantos jogos em série.

Sem um jogador de referência na área, o Santos explorou jogadas de velocidade, quase todas puxadas por Madson. Dos pés do baixinho saíram os melhores lances do Santos na 1ª etapa. Madson tocou para Roni, que acertou a bola na trave. Em outra jogada, Madson acertou belo chute, defendido por Jeferson.

Empurrado pela torcida, o CSA assustou Fábio Costa em jogadas de velocidade. Em uma delas, o goleiro santista precisou sair do gol, disputando a bola até a lateral. A inédita dupla de zaga santista, formada por Fabão e Astorga, demonstrou instabilidade.

Os santistas deixaram o campo no 1º tempo reclamando de um pênalti sobre Neymar.

Superior em campo, o time da Vila criava poucas jogadas. E nos raros momentos de boa articulação, o ataque pecava nas finalizações.

Para mudar o panorama do jogo, Vagner Mancini trocou duas peças do sistema ofensivo: tirou Neymar, figura apática em campo, e colocou Róbson. Já Lucio Flavio substituiu Paulo Henrique Lima.

Melhor atleta do CSA, o meia-atacante Fábio Lopes se cansou, tendo que deixar a partida aos 28 min da 2ª etapa. Apesar da saída do camisa 8 do CSA, o time da casa não reduziu o poderio ofensivo do time alagoano. Marco Brito e Júnior Amorim quase marcam.

Pouco inspirado, o Santos tratou de administrar o empate em Alagoas já pensado no clássico contra o Palmeiras. No final do jogo, Roni chegou a balançar a rede, mas a arbitragem assinalou impedimento.

Para avançar na Copa do Brasil, o Santos terá de vencer o CSA na Vila, dia 22. Empate sem gol levará a decisão para os pênaltis. Empate com gols classifica o CSA. O vencedor desse confronto da 2ª fase encara o ganhador do confronto entre Coritiba x Bahia