Santos 1 x 0 Portuguesa

Data: 02/04/2009, quinta-feira, 15h45.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª Fase – 18ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 18.661 pagantes
Renda: R$ 205.725,00
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Auxiliares: Ednílson Corona e Anderson José de Moraes Coelho
Cartões amarelos: Triguinho, Brum, Madson e Fabão (S); Marco Antonio, Fernando e Athirson (P).
Gol: Kléber Pereira (01-2).

SANTOS
Fábio Costa; Luizinho, Fabiano Eller, Fabão e Triguinho (Domingos); Roberto Brum, Rodrigo Souto, Madson e Paulo Henrique Lima (Molina); Neymar (Pará) e Kléber Pereira.
Técnico: Vagner Mancini

PORTUGUESA
Fábio, Bruno Rodrigo, Érick e Ediglê; César Prates, Ygor (Fernando), Marco Antônio, Fellype Gabriel (Fabrício Carvalho) e Athirson; Christian (Preto) e Edno.
Técnico: Bonamigo



Pereira desencanta, Santos vence Lusa e rouba 4ª colocação

Kléber Pereira teve seu brilho ofuscado com a ascensão de Neymar. Ele não marcava havia três jogos. A tarde desta quinta, porém, foi especial para Pereira, que reviveu os tempos de “dono” da equipe, como ocorreu em 2008. O Santos venceu a Portuguesa por 1 a 0, na Vila Belmiro, e roubou do time do Canindé a 4ª colocação do Paulista.

No entanto, a vantagem santista sobre a Lusa é mínima: o time alvinegro fica à frente no critério de saldo de gols (10 a 9).

O quarto e último semifinalista do Estadual será conhecido neste domingo. O Santos visita a Ponte Preta, em Campinas, enquanto Portuguesa e Santo André se cruzam no Canindé, na rodada final da fase classificatória do Paulistão.

Santos e Portuguesa torcem por um tropeço do Santo André diante do Barueri, nesta quinta-feira à noite, no ABC.

“É sempre bom marcar um gol e poder ajudar os companheiros. Eu sempre trabalhei em prol do grupo. Fico feliz em novamente marcar”, disse Kléber Pereira, em entrevista à rádio Cultura.

A necessidade de vitória fez com que Santos e Portuguesa partissem para o ataque. O resultado foi um jogo nervoso e eletrizante, com boas chances de gols para as equipes.

Apesar do horário incomum para um clássico (iniciou às 15h45 de quinta) a torcida santista aderiu à promoção de ingresso e lotou o setor de arquibancada. Apenas no setor VIP sobrou espaço.

Cautelosos, os dois times “trancaram” o meio-campo no início do jogo; destaques ofensivos, Neymar e Edno foram bem marcados. Para romper o bloqueio da Lusa, o Santos intensificou jogadas pelas laterais, com Triguinho pela esquerda e Madson caindo pela direita.

Pelo lado direito, o Santos quase abriu o marcador com Kléber Pereira. O atacante recebeu cruzamento de Paulo Henrique Lima, mas perdeu gol incrível na 1ª etapa, em cabeceio dentro da pequena área.

A equipe da Vila passou a ter maior controle do jogo na etapa inicial. Neymar, assim como fez Pereira, perdeu ótima chance de gol. A Portuguesa respondeu com jogadas rápidas, articuladas por Fellype Gabriel e Athirson. Edno, de cabeça, mandou bola na trave nos acréscimos do 1º tempo.

Após o intervalo, o Santos não deu tempo para a Lusa respirar. Kléber Pereira, na primeira jogada do 2º tempo, colocou o Santos em vantagem no marcador, após rebote do goleiro Fábio.

Assustada, a Lusa assistiu à pressão do Santos, mas continuava respondendo em contra-golpes perigosos. Edno não repetiu as boas atuações anteriores. Quando chegava ao ataque, a Lusa esbarrava em Fábio Costa, que realizou duas grandes defesas em finalizações de Christian.

Veloz, Madson furava com facilidade o bloqueio lusitano. Pouco inspirado, Neymar foi substituído, deixando o campo mancando. Desesperada em busca do empate, a Lusa investiu nas jogadas aéreas.

Nos minutos finais, Bonamigo tentou sua última cartada: apostou na entrada do centroavante Fabrício Carvalho para elevar a altura do time no ataque. O plano, porém, não deu certo.