Ituano 2 x 0 Santos

Data: 01/02/2009, domingo, 19h10.
Competição: Campeonato Paulista – 4ª rodada
Local: Estádio Novelli Júnior, em Itu, SP.
Público: 5.315 pagantes
Renda: R$ 104.038,00
Árbitro: Paulo César de Oliveira
Auxiliares: Maria Eliza Correia Barbosa e João Bourgalber Nobre Chaves
Cartões amarelos: Ticão, Moacir e Anderson Aquino (I); Fabão, Molina e Bolaños (S).
Gols: Ricardo Xavier (29-1) e Alex Afonso (46-1).

ITUANO
Alexandre Fávaro; Anderson, Tiago Bernardi e Xaves; Henrique, Ticão, Serginho, Carlos Eduardo (Peter), Ticão e Ceará; Ricardo Xavier (Moacir) e Alex Afonso (Anderson Aquino).
Técnico: Vinícius Eutrópio

SANTOS
Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Adaílton e Triguinho (Bolaños); Roberto Brum, Rodrigo Souto, Madson e Lucio Flavio (Molina); Roni (Tiago Luis) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes



Santos acerta 6 bolas na trave e perde do Ituano e e deixa G-4 do Paulistão

Literalmente, o Santos “bateu na trave” diante do Ituano. Por incrível que pareça, foram seis bolas na trave do rival, sendo cinco no primeiro tempo –Kléber Pereira acertou quatro vezes somente na etapa inicial, além de Madson e Roni. Não bastasse isso, viu o adversário ser eficiente em suas oportunidades, vencer por 2 a 0, em Itu, e, desta forma, deixar a zona de classificação às semifinais do Campeonato Paulista.

Com isso, a equipe do técnico Marcio Fernandes estaciona em sete pontos, um a menos que o Mirassol, o primeiro do G-4. “Azar não me acompanha. Hoje, Deus não quis que a bola entrasse. Vamos corrigir os erros para voltar a vencer na próxima quinta-feira [contra o São Caetano]”, comentou o atacante Kléber Pereira.

Aliás, é o segundo tropeço consecutivo da equipe da Vila Belmiro. Na quinta-feira, cedeu o empate para o Mirassol nos minutos finais e após uma falha do goleiro Fábio Costa. A ideia era recuperar esses pontos perdidos. Nada melhor do que enfrentar uma equipe que ocupava a zona de rebaixamento com apenas um ponto. Coincidentemente, conquistado contra outro grande do futebol paulista, o São Paulo, na estreia.

Por isso, o treinador santista resolveu apostar nos mesmos 11 jogadores que iniciaram a última partida. Pretendia melhorar o entrosamento da equipe e, consequentemente, evitar a apatia demonstrada na rodada passada. Nos primeiros 45 minutos, até deu certo. Sua equipe se movimentou bastante, mas encontrou outro adversário pela frente: a trave. Foram cinco chutes do time santista na etapa inicial –o Ituano também teve uma bola.

Acostumado a balançar as redes, Kléber Pereira acertou quatro vezes